.

.

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Centrais sindicais realizam dia de mobilização com protestos pelo País

Ao menos oito capitais têm paralisações de categorias. Atos fazem parte do Dia Nacional de Manifestação e Luta

A Força Sindical e outras centrais sindicais celebram em todo o País, nesta sexta-feira, o Dia Nacional de Manifestação e Luta. O objetivo dos sindicalistas é chamar a atenção do Congresso Nacional e os governos federal e estaduais para a classe trabalhadora. Avenidas e rodovias em pelo menos oito capitais sofrem interdições durante os atos. Diversas categorias prometeram parar no dia de hoje. 
Veja imagens de manifestações pelo País nesta sexta:
Força Sindical realizam protesto no viaduto Santa Ifigênia, no centro de São Paulo (SP). Foto: Futura Press
1/12
Os protestos já foram vistos nos Estados da Bahia, Ceará, Espirito Santo, Minas Gerais, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. O transporte público tem sido afetado durante os atos. Em Fortaleza (CE), por exemplo, sindicalistas bloquearam a saída de coletivos dos sete terminais da cidade. Há informações de confronto entre mebros da CUT e policiais militares. 
Além das causas sindicais, movimento sociais aproveitam o dia para pedir melhorias nas sistemas de saúde e moradia. Em São Paulo, no final da madrugada desta sexta-feira, um protesto bloqueou a rodovia Anchieta. Por volta das 5h, moradores do Conjunto Habitacional Imigrantes iniciaram uma marcha, sentido Anchieta. O local foi liberado por volta das 9 horas. 
Os protestos fazem parte do Dia Nacional de Mobilização e Paralisação, que tem entre as reivindicações redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais sem redução salarial, valorização das aposentadorias, rejeição ao Projeto de Lei 4.330/04, que regulamenta a terceirização nos serviços público e privado, além da destinação de 10% do Produto Interno Bruto (PIB) para a educação, de 10% do orçamento da União para a saúde e melhorias no transporte público.
*com Agência Brasil

Eike Batista e Grupo EBX em Baixa

Ficamos frustrados com resultado do grupo de Eike, diz presidente da bolsa
Ficamos frustrados com resultado do grupo de Eike, diz presidente da bolsa
Edemir Pinto, presidente da Bovespa (Foto: Anay Cury/G1)Clique para ampliar a imagem

Edemir Pinto negou que EBX tenha manchado imagem da bolsa no exterior.
Declaração foi feita nesta quinta (29), em congresso internacional, em SP.

O presidente da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), Edemir Pinto, negou nesta quinta-feira (29) que o desempenho negativo do grupo EBX, do empresário Eike Batista, tenha "manchado" a imagem da instituição no exterior, mas admitiu ter ficado frustrado com os resultados.

"Não acredito que manchou, não tenho ouvido isso de investidores estrangeiros. Isso acontece em projetos pré-operacionais, acontece em todo o mundo. Na verdade, a gente também se frustrou. O Eike, dada a condição de empreendedorismo que ele tem, a gente fica frustrado", disse.

"Obviamente, esse resultado não era o que ele imaginava, não era o objetivo dele", completou, após a abertura do 6º Congresso Internacional de Financeiro e de Capitais, em Campos do Jordão.

Segundo o presidente da bolsa, "Eike tinha as melhores intenções".
"O dinheiro que ele captou na bolsa, nos mercados, em todas as empresas que ele abriu capital, o dinheiro foi todo para a companhia. Ele não colocou dinheiro nem embolsou nenhum tostão. 

Todo o dinheiro foi para dentro, para investir no desenvolvimento das empresas. Eu coloco que há uma frustração nesse sentido. Ele chegou a ser eleito o maior empreendedor do mercado brasileiro. Isso deixa essa frustração. É lamentável isso que aconteceu, mas não estava no radar do próprio Eike", completou.

As seis companhias de capital aberto do grupo de Eike Batista somaram prejuízo de R$ 5,6 bilhões no segundo trimestre, alta de 483% na comparação com o mesmo período de 2012, quando as perdas das empresas somaram R$ 963 milhões, segundo levantamento da consultoria Economatica
.

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Promessas do futebol brasileiro que não vingaram

Eles surgiram como maiores destaques de seus times e esperanças de dias de glórias para suas torcidas. No entanto, com o passar do tempo, as decepções foram maiores do que as alegrias. Relembre aqui alguns nomes que, antes considerados craques, hoje passam por momentos apagados em suas carreiras.
Moraes 
Moraes - Revelado pelo Vasco da Gama em 2002, o meia era considerado uma grande promessa no Gigante da Colina. Por conta de problemas com dirigentes, acabou indo para o Corinthians. Sua última equipe foi o Bahia e hoje, quem era tido como futuro ídolo, não tem nem mesmo um clube para atuar
Boquita 
Boquita - Tratado como joia no início da carreira, quando se destacou na Copa São Paulo de Futebol Júnior, Boquita participou da conquista da Copa do Brasil e do Campeonato Paulista, em 2009, pelo Corinthians. Emprestado para a Portuguesa, o volante participou da "Barcelusa", equipe que teve um excelente desempenho durante a Série B em 2011 e ia demonstrando grandes exibições. Contudo, uma lesão mal tratada o tirou por seis meses do gramado e o jovem atleta não voltou a ter as mesmas boas atuações. Hoje, no Atibaia, Boquita tenta retornar a boa forma que o credenciou a uma promessa do futebol brasileiro.

                          Lulinha 

Lulinha - Com uma extensão carreira nas categorias de base da Seleção Brasileira, subiu com apenas 17 anos para a equipe principal do Corinthians. Carregando o peso de maior artilheiro juvenil do Timão, com 297 gols nas divisões de acesso, era nome certo na boca torcida. Contudo, o jovem não soube lidar com a pressão e seu futebol foi se esvaindo, até que decidiu ir para o Estoril. Hoje, no Bahia, convive com atuações muito irregulares, bem distante de quando surgiu para o mundo da bola 
Gil 

Gil - Outra promessa corintiana. Assim como sua rapidez dentro de campo, sua ascensão foi meteórica, conquistando uma vaga na Seleção e indo atuar no exterior, jogando pelo Verdy Tokyo do Japão e Gimnàstic da Espanha. De volta ao Brasil, teve fracas atuações no Cruzeiro, Internacional, Botafogo e Flamengo. Hoje amarga o ostracismo na Quarta Divisão do Campeonato Paulista, defendendo o União de Mogi .
Tartá 
Tartá - Revelado pelo Fluminense em 2007, era a aposta do Tricolor das Laranjeiras para grandes títulos. Destaque soberano nas divisões de base, quase foi campeão das Américas com o Flu, em 2008. Depois disto, pouco reconhecido e sem chances de titularidade, foi parar no Atlético-PR. Trocou o Rubro-Negro paranaense pelo baiano: no Vitória, participou da campanha de acesso do clube à Primeira Divisão de 2013, mas pouco fez em comparação ao que se esperava no início de sua carreira. Mais um talento desperdiçado.

                         Erick Flores

Erick Flores - o meia era tido como o maior nome das categorias de base do Flamengo na última década. Sua agilidade e habilidade com a bola no pé faziam com que todos acreditassem no potencial do garoto. Infelizmente, para a torcida flamenguista, toda esta capacidade não se traduziu em prática e o jovem foi mais um a ser queimado precocemente. Sem conseguir fixar-se em um time, passou por Ceará, Náutico, Boa vista, Duque de Caxias e Itumbiara, até chegar ao Avaí, onde hoje se encontra.
Toró 
Toró - Seu apelido era devido a ''chuva de gols'' que o pequeno atacante proporcionava nos jogos de futsal, quando era das categorias de base do Fluminense. Chegou em 2006 no Flamengo mas viveu profundos momentos de esquecimento, até que Joel Santana passou a utilizá-lo como volante e a tratá-lo como ''filho''. Em 2010, depois de perder intensas disputadas pela tituralidade, se transferiu para o Atlético-MG e, mais uma vez, não obteve sucesso. Desde dezembro de 2011 atua pelo Figueirense.
Kerlon 
Kerlon - Sua genialidade passou a ser tratada com o famoso drible da foca, popularizado pelo atacante. Subiu rápido ao time principal do Cruzeiro e com pouco tempo de carreira já tinha ido para a Europa, tendo atuado no Chievo e na Inter de Milão. Passou pelo Ajax, da Holanda, até que voltou ao Brasil para atuar no Paraná. O Nacional de Minas foi outra parada na decadente carreira do promissor jovem. Hoje está quase que totalmente esquecido no Fujieda MYFC, do Japão.
Keirrison 
Keirrison - O atacante-sensação surgiu no CENE e seu talento logo chamou a atenção dos dirigentes do Coritiba. Sendo artilheiro dos campeonatos paranaenses de 2006 e 2007, não demorou até alcançar voos maiores: foi parar no Palmeiras. Na capital paulista, o sucesso foi tanto que o atacante chegou a ser contratado pelo Barcelona. Porém, no futebol europeu, sua carreira caiu num ritmo muito rápido. Passou por Benfica e Fiorentina, sem conseguir retornar ao clube catalão. Rumou de volta ao Brasil, onde atuou por Santos e Cruzeiro, até chegar no Coxa Branca novamente.
Giuliano 
Giuliano - A jóia do Internacional era tido como nome certo para suprir a ausência de Alexandre Pato no time gaúcho. Formado no Paraná, chegou ao ápice de sua carreira com 20 anos, sendo o destaque da final da Libertadores de 2010. A ida para a Seleção do então técnico Mano Menezes não demorou muito e a Europa era apenas questão de tempo. O meia, inexplicavelmente, sucumbiu a um belo início de carreira, tendo ido parar no futebol da Ucrânia, no Dnipro. Mais um para a lista de esquecidos.
André 
André - Surgiu na mesma safra de Ganso e Neymar. Tido como um atacante extremamente veloz e habilidoso, logo caiu nas graças da torcida santista, com muitos gols e formando uma das melhores duplas de ataque do Brasil, ao lado do amigo Neymar. Seu belo futebol o levou para o Dínamo de Kiev, da Ucrânia. Ao ir para o frio e distante país, seu talento parece ter sido congelado. Foi emprestado ao Bordeuux da França e, não tendo se adaptado, voltou para o Brasil, indo jogar no Atlético-MG. No momento mais especial de sua carreira, teve chances na Seleção, mas não soube aproveitá-las. Passou novamente no Santos mais não ficou já não carrega a mesma credibilidade dos tempos em que fora revelado, atualmente joga no Vasco da Gama.
Breno 
Breno - Campeão Brasileiro de 2007 com o São Paulo e Campeão Alemão de 2007-08 e 2009-10 com o Bayern de Munique, o zagueiro era considerado disparado o melhor de sua posição quando atuava no Brasil. Mesmo com todo esse reconhecimento, sua carreira caminhou para um destino trágico: com problemas alcoólicos, incendiou sua própria casa na Alemanha e hoje encontra-se preso na Europa. Triste fim para uma das maiores apostas da Seleção Brasileira para o futuro.
Dentinho 
Dentinho - Foi da mesma safra de Lulinha, tendo neste, um grande amigo pessoal. No time principal, contrariando todas as expectativas, fez mais sucesso que o seu companheiro. Ao lado de Ronaldo, foi campeão da Copa do Brasil e do Campeonato Paulista, se tornando um dos jovens ídolos da Fiel corintiana. Sua objetividade e talento, contanto, foram desaparecendo com o tempo, até que foi negociado com o Shaktar Donetsk, da Ucrânia, onde atua até hoje, esquecido e fora dos holofotes.
Lenny 
Lenny - Outro jogador tratado como gênio nas categorias de base do Fluminense, surgiu como um raio no futebol. Conquistou a Copa do Brasil em 2007 com o Tricolor das Laranjeiras, mas atravessou má fase e foi emprestado ao Palmeiras. Sem sucesso no Verdão, foi tentar a sorte em Portugal, com o Braga: mais um fracasso. Retornou ao Brasil e tentou recuperar a carreira no Figueirense, mas sem sucesso. Passou ainda pelo Boavista e pelo Desportivo Brasil, até chegar aos dias de hoje, sem clube.

Cidade maranhense terá que mudar de nome em 90 dias


Edson Lobão - Ministro de Minas e EnergiaEdson Lobão - Ministro de Minas e Energia (Crédito foto: gilbertoleda.com.br)


A Justiça Federal acatou uma ação movida pelo Ministério Público Federal contra o município maranhense de Governador Edison Lobão que terá que mudar de nome em no máximo 90 dias.

O Ministério Público Federal afirma que o município desrespeita a Constituição Federal, pois recebe o nome de um político, ainda vivo – trata-se do Senador e Ministro de Minas e Energia Edson Lobão.

Caso não mude de nome dentro do prazo estabelecido o município não receberá recursos federais, com exceção de recursos destinados à saúde, educação e assistência social.

Conforme a Lei nº 6.454/77, que dispõe sobre a denominação de logradouros, obras serviços e monumentos públicos, é proibido, em todo o território nacional, atribuir nome de pessoa viva a bem público, de qualquer natureza, pertencente à União ou às pessoas jurídicas da administração indireta.

Reunião entre o STIMA e GRUPO QUEIROZ GALVÃO poderá mudar termos da Convenção Coletiva do Trabalho nos próximos dias


Os Diretores do STIMA - Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Açailândia e Região do Maranhão se reunirão com Diretores do Grupo Queiroz Galvão Siderurgia nessa sexta-feira 30, na pauta o projeto do Cartão VALE CARD, essa reunião tratara exclusivamente da implantação desse cartão para os trabalhadores.
O CARTÃO VALE CARD disponibiliza até 40% do salario do trabalhador para compras e consumos, com isso o STIMA deliberado em Assembleia Pelos Trabalhadores tentam a implantação desse cartão que substituíra todos os convênios já firmados na CCT - Convenção Coletiva do Trabalho vigente entre as partes, assim empresa e sindicato, terão que realizar um aditivo na convenção, a reunião está marcada para as 10 horas da manhã dessa sexta-feira na sede da Queiroz Galvão Siderurgia no Pequia.

Fonte: Secretaria Jurídica do STIMA.  

Justiça nega recurso da ANS em caso de suspensão de planos

O Tribunal Regional Federal da 2ª Região negou recurso da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) para que fosse mantida a suspensão da venda de 212 planos de saúde de 21 operadoras.
De acordo com a decisão do desembargador federal Aluisio Mendes, não poderão ser contabilizadas como pontos negativos, na avaliação dos planos de saúde, as reclamações de clientes feitas à ANS que ainda estejam sendo apuradas, através de diligências.
A regra, no entanto, vale apenas para as prestadoras de serviço que tenham encaminhado defesa administrativa, acompanhada da devida documentação comprobatória.
Em sua ordem anterior, o desembargador determinava que a ANS não poderia computar na pontuação, também, as reclamações que não tenham sido objeto de análise e as que tenham sido indeferidas, pela não obrigatoriedade de cobertura. Uma nota técnica apresentada pelo órgão fiscalizador, no entanto, esclareceu que essas duas hipóteses já são excluídas do cálculo de pontos negativos.
Na decisão mais recente, porém, o relator do processo destacou que as reclamações encaminhadas para a realização de diligências, em razão da ausência de resposta da operadora de seguro de saúde, podem ser computadas negativamente. Para o desembargador, a omissão da empresa que não apresenta resposta é um indício de infração e que isso dificulta a apuração dos fatos e das responsabilidades.
Já com relação às reclamações que tenham recebido resposta do plano de saúde, o desembargador Aluisio Mendes ressaltou que o cômputo da pontuação só pode ocorrer após a formação de um juízo conclusivo no sentido de ter sido cometida infração por parte da prestadora de serviço. 
Histórico
Na sexta-feira (23), a agência reguladora retirou do seu site a lista de 212 planos de saúde de 21 operadoras que teriam a venda suspensa a partir daquele dia, como parte do seu sexto ciclo de monitoramento de qualidade. Na ocasião, a ANS explicou que a medida foi tomada para atender à decisão da Justiça, que determinou a revisão das suspensões.
Na terça-feira (20), a ANS anunciou a suspensão da venda, por três meses, dos 212 planos de saúde. A medida foi tomada por descumprimento de prazos estabelecidos para atendimento médico, realização de exames e internações, além de negativas indevidas de cobertura, e começaria a valer na última sexta.
No mesmo dia, o desembargador Aluisio Gonçalves de Castro Mendes, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2), atendeu parcialmente ao pedido da Federação Nacional da Saúde Suplementar (FenaSaúde) e determinou à ANS que reveja os critérios de avaliação dos planos de saúde e de contabilização de reclamações dos usuários antes de anunciar a suspensão das vendas.
Pela decisão inicial, a ANS não deveria considerar em seus cálculos as reclamações que não foram objeto de análise; as que tenham sido objeto de análise pela necessidade de realização de diligências; e as que tenham sido objeto de análise pela não obrigatoriedade de cobertura até o julgamento definitivo do agravo de instrumento.
Na quinta (22) a ANS anunciou que recorreu da liminar para tentar manter a suspensão da venda dos planos a partir desta sexta.

Deu a Logica Time da Serie "A" se classifica sobre time da Serie "B" é Presidente do Palmeiras se diz envergonhado com eliminação e promete "chacoalhada" na equipe


Paulo Nobre assumiu o Verdão em 2012Mister Shadow/Gazeta Press
A derrota por 3 a 0 do Palmeiras diante do Atlético-PR na Copa do Brasil custou o fim do sonho de disputar a Libertadores no ano do centernário do Verdão e não foi bem digerida pelo presidente Paulo Nobre.
Ao final da partida, em Curitiba (PR), o dirigente se disse envergonhado com a postura da equipe e garantiu que irá cobrar explicações de seus comandados.
— O Palmeiras é um time copeiro, tem isso em seu DNA. Não faz o menor sentido vir para um jogo eliminatório e não demonstrar aquela doação que é marca registrada deste time. Como palmeirense é uma vergonha tomar de 3 a 0, sem tirar os méritos do Atlético-PR. Esse grupo já demonstrou que é brioso, mas não dá para entender o que aconteceu hoje.
O presidente do Verdão não respondeu se o técnico Gilson Kleina corre risco de demissão, mas garantiu que irá cobrar da comissão técnica uma explicação pela eliminação.
— Eu tenho certeza absoluta que esse time pode dar muito mais do que deu hoje. O time estava apático em campo, vamos entender por que aconteceu isso. Não é caça as bruxas, mas vamos identificar o que está acontecendo.
Por fim, Paulo Nobre relacionou o comportamento de seus jogadores à facilidade encontrada pela equipe na segunda divisão.
—  Ao contrário do que os senhores (jornalistas) falam, o Palmeiras ainda não subiu para a Série A. O time precisa se doar em todos os jogos.
O volante Wesley fez coro às palavras de seu presidente e também usou a palavra "vergonha" ao falar do maior objetivo do Verdão em 2013.
— Que sirva de lição para não passarmos vergonha assim na Série B. Agora é hora de focar na Série B e colocar o Palmeiras onde merece.

Investigador Cientista defende que "somos todos marcianos"

Investigador defende que "somos todos marcianos"
A vida nasceu na Terra graças a um metal proveniente de Marte, que chegou ao nosso planeta num meteorito, segundo uma nova teoria apresentada pelo investigador norte-americano Steven Brenner.
O ingrediente vital para a vida na Terra foi uma forma oxidada de molibdénio, um metal utilizado atualmente em ligas usadas no fabrico de ferramentas de bricolage ou coroas dentárias.
Mas na época em que a vida apareceu na Terra, este molibdénio serviu para impedir que as moléculas de carbono - fundamentais a todas as formas de vida - se deteriorassem e acabassem em alcatrão, defende Steven Brenner, professor no Instituto Westheimer para a Ciência e a Tecnologia em Gainesville, nos EUA.
"Só quando o molibdénio está fortemente oxidado é que se torna capaz de influenciar a formação de uma vida primitiva", precisa Brenner, que apresentou hoje a sua teoria numa conferência internacional consagrada à geoquímica em Florença, em Itália.
"Esta forma de molibdénio não poderia estar presente na Terra na altura em que os primeiros elementos da vida apareceram, porque há três milhões de anos a superfície da Terra não continha muito oxigénio, ao contrário de Marte", explica.
Na altura, a Terra era constantemente bombardeada por cometas e asteróides. Tal como Marte, o que explica como é que detritos marcianos foram projetados no espaço e acabaram no nosso planeta, atraídos pelo campo de gravidade.

Para Lula, protestos contra médicos cubanos em Fortaleza foi abominável


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) denominou ontem de “abominável” o protesto organizado contra os médicos cubanos, protagonizado em Fortaleza, no Ceará. Em evento de 30 anos da CUT (Central Única dos Trabalhadores), em São Bernardo, o petista tratou o caso pela primeira vez de forma incisiva, considerando preconceituosa a atitude dos profissionais do País, que lideraram a manifestação na segunda-feira. “Eles estão cobrindo o lugar que os brasileiros não querem ir. Não estão indo à Avenida Paulista ou Copacabana.”
Grupo de 96 médicos cubanos, inscritos no programa Mais Médicos, do governo federal, foi hostilizado sob gritos de incompetentes e escravos. Lula chamou de “grandiosa” a postura dos profissionais estrangeiros ao aceitar o desafio de atender em regiões remotas do Brasil. “O levantamento do programa prova que faltam médicos (na rede), não tem ginecologista, pediatra suficientes. Sou totalmente solidário à atitude da presidente Dilma (Rousseff, PT) e do ministro (da Saúde, Alexandre) Padilha, que tiveram coragem.”
O ex-presidente remeteu os problemas na Saúde ao fim da CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira), quando a oposição conseguiu força para enterrar o tributo, o que resultou numa perda de arrecadação, segundo a União à época, de R$ 50 bilhões. “A elite derrubou. Não é possível elevar ao top se não existir dinheiro. Se houvesse manifestação (dos apoiadores do governo) naquela oportunidade acredito que não teríamos perdido”, alfinetou.
Num discurso de praticamente uma hora, Lula exaltou série de medidas adotadas por Dilma, como a proposta de plebiscito por reforma política, investimentos em Mobilidade Urbana e parcela de destinação fixa de recursos do royalties para Educação. “Temos de criar condições para que ela (Dilma) faça mais. Uma coisa que podemos dar certeza é que a inflação não vai voltar.”
PRESENÇAS ILUSTRES 
José Dirceu e Delúbio Soares estiveram na ala VIP do Pavilhão Vera Cruz durante a solenidade e, em diversos momentos, foram citados pelos oradores. Presidente nacional da CUT, Vagner Freitas fez questão de elogiar a dupla, classificando como “orgulho” o fato de os ex-homens-fortes do governo Lula terem participado ativamente do processo de construção da entidade.

Dirceu e Delúbio protagonizaram o escândalo do Mensalão. Dirceu foi acusado de comandar a operação de compra de votos parlamentares no Congresso, enquanto Delúbio era quem negociava com empresários, como Marcos Valério, a arrecadação para financiar o esquema político.

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

CUT, 30 anos: é hora de resgatar origem para renovar atuação

Paulo Cayres

A Central Única dos Trabalhadores completa 30 anos neste dia 28 de agosto. É uma data histórica para o movimento sindical e para a democracia brasileira. Hoje é impossível imaginar o Brasil sem a sua maior central sindical, sem as bandeiras de luta que uniram trabalhadores e trabalhadoras de norte a sul do país em defesa de suas reivindicações, mas também em defesa da justiça social, da cidadania e da soberania de nosso povo.

Há 30 anos, quando a CUT foi fundada, vivíamos sob o jugo da ditadura. De peito aberto, enfrentamos o regime militar e fomos em frente, abrindo caminho para a redemocratização e para a eleição direta para todos os cargos do Legislativo e do Executivo.

Graças às lutas da CUT e seus sindicatos, a classe trabalhadora conquistou avanços fundamentais na Constituição de 1988. Também ganhamos mais respeito dos patrões nas negociações coletivas, abrimos espaço para discutir políticas públicas sob a nossa ótica e combatemos toda e qualquer tentativa de redução de direitos que veio mais tarde com a onda neoliberal.

Elegemos um dos fundadores da CUT para a presidência da República e, com ele, nosso país voltou suas atenções para as demandas sociais e se tornou referência para todo mundo. O movimento sindical cutista foi protagonista nesta mudança de rumo da política econômico-social ocorrida na última década. Quando a Central foi criada, o salário mínimo no Brasil era de 70 dólares e hoje é de 320 dólares, só para citar um dos mais importantes exemplos, uma vez que o salário mínimo, junto com os programas sociais, alavancou o desenvolvimento em todas as regiões.

Foi preciso muita determinação para chegar até aqui. Muitas barreiras foram rompidas para que o país vencesse o preconceito e elegesse, sequencialmente, um operário e, depois, uma mulher para a presidência.

Assim, temos de comemorar muito os 30 anos da Central Única dos Trabalhadores, homenageando todos aqueles que, ao longo desse período, ajudaram na consolidação de sua concepção e prática sindical, contribuíram para que o trabalhador e a trabalhadora tivessem voz ativa no seu sindicato e na sociedade.

Mas, para além da comemoração, este é o momento ideal para refletir sobre os próximos anos e também para resgatarmos princípios que foram ficando pelo caminho, porque a conjuntura de cada período nos conduzia para outras formas de luta.

Este é o momento para revisitarmos nossa origem e investir numa das principais bandeiras que norteou a criação da CUT: a organização no local de trabalho. Será por meio de instrumentos como este, com os sindicatos cutistas atuando efetivamente dentro das empresas e dos órgãos públicos, que poderemos nos renovar e dialogar com o novo trabalhador e a nova trabalhadora.

As manifestações que tomaram o país em junho a partir do Movimento do Passe Livre mostraram a necessidade urgente de refletir sobre a nossa prática e o que deve ser feito para conciliar o caminho institucional que estamos trilhando com um sindicalismo de base renovado.

Temos de recuperar nossa determinação em promover um movimento classista solidário, conscientizando a juventude que hoje está no mercado de trabalho de que o sindicato e a CUT são as instituições que podem unificar a sua voz e estar a seu lado, batalhando por seus sonhos.

Temos de pensar e agir como uma única classe e, para isso, os macrossetores da CUT são passos fundamentais, ao resgatarem o princípio de aglutinar lutas, bandeiras e ações de trabalhadores (as) de um mesmo ramo.

Assim, é nossa tarefa, dirigentes nacionais e estaduais, arregaçar as mangas e percorrer este país, para conhecer a realidade local forjada a partir das mudanças estruturais do país, para dialogar com as bases e para, acima de tudo, conseguirmos cumprir com sucesso nosso papel de interlocutores da classe trabalhadora brasileira.

Ou seja, vamos, aos 30 anos de idade, nos renovar onde começamos a surgir como central: no chão da fábrica e nas bases sindicais. Com muita determinação, com muito orgulho e com a consciência de que o Brasil precisa do nosso sindicalismo. Somos forte, somos CNM/CUT! Somos CUT!

* Paulo Cayres é presidente da Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT

Dirigente da CNM assume coordenação da Comissão Intersetorial de Saúde do Trabalhador

Crédito: Divulgação
Geordeci também integra a mesa diretora do Conselho Nacional de Saúde
Geordeci também integra a mesa diretora do Conselho Nacional de Saúde
O secretário de Saúde e Meio Ambiente da Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT (CNM/CUT), Geordeci Menezes de Souza, é o novo coordenador da Comissão Intersetorial de Saúde do Trabalhador (CIST), um dos órgãos de assessoria do Conselho Nacional de Saúde (CNS) do Ministério da Saúde.

Geordeci já integra a mesa diretora do CNS e sua eleição para coordenação da CIST amplia a participação da representação sindical da CUT nos fóruns de discussão e formulação de políticas públicas de saúde. “Agora a CIST tem um caráter eminentemente sindical, no setor de usuários. Além de minha eleição para a coordenação como representante da CUT, as cinco centrais têm membros titulares, junto com outras três entidades sindicais. Na suplência, há membros de outras quatro entidades sindicais. Ao somarmos as entidades sindicais representadas no segmento profissionais da saúde, a representação total na CIST chega a 19 membros”, explicou o secretário de Saúde da CNM/CUT.

Segundo ele, a CUT também tem representação, como titular, nas seguintes comissões que integram o CNS: Acompanhamento das Políticas em DST/AIDS, Recursos Humanos e Orçamento e Finanças. “Nossa central tem suplências nas comissões de Saúde da Criança, Adolescente e Jovem, Educação Permanente para Controle Social no SUS, Práticas Integrativas e Complementares no SUS, Saúde da População Negra e Saúde Suplementar”, assinalou o dirigente.

Ramos cutistas
Geordeci destacou ainda que a CNM/CUT foi escolhida para ocupar a suplência de outras duas comissões: Saneamento e Meio Ambiente e Saúde da Mulher. Ele disse também que outras entidades de ramos cutistas – urbanitários (FNU), ramo financeiro (Contraf), construção civil (Conticom), comércio (Contracs), aviação civil (Fentac) e aposentados (Sintapi) – têm titularidade e suplência em várias comissões.

“Nossa central e suas entidades agora têm 31 assentos no total”, explicou. “Com isso, será possível levar a nossa visão sobre a saúde pública – em todos os seus aspectos – para o debate nas comissões. E estando na coordenação da CIST, vamos com força total na preparação da 4ª Conferência Nacional de Saúde do Trabalhador, que deve acontecer em 2015”, finalizou.

(Fonte: Solange do Espírito Santo - assessoria de imprensa da CNM/CUT)

CUT intensifica preparativos para 30 de agosto, Dia Nacional de Mobilização e Paralisação

Luta pela pauta da classe trabalhadora continua nesta sexta-feira em todo o país, com manifestações, greves e passeatas. Combate ao PL 4.330 e fim do fator previdenciário são destaque.

A CUT e as demais centrais sindicais ampliaram a convocação de norte a sul do país para o Dia Nacional de Mobilização e Paralisação, marcado para esta sexta-feira (30). O objetivo é priorizar a luta pelo fim do fator previdenciário, a redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais e o combate ao Projeto de Lei 4.330, da terceirização.
“Estamos enfrentando as dificuldades diante de um governo de disputa em que muitas vezes os interlocutores vão se alternando. Daí a importância da pressão conjunta, da unidade de ação do movimento sindical para impedir retrocessos e ampliar conquistas”, afirmou o presidente da CUT, Vagner Freitas, para quem “o próximo dia 30 se soma ao ato vitorioso do 11 de julho, são manifestações para alterar o jogo”.

“Com os trabalhadores em campo, paralisando atividades, realizando protestos e passeatas, acumulamos força para pressionar o Congresso Nacional e o governo federal. Foi assim que conseguimos na semana passada os recursos para o Fundo Social do pré-sal, foi essa luta colossal que tem impedido que eles passem o PL 4.330 de qualquer maneira, impondo uma terceirização indiscriminada”, ressaltou o presidente cutista.
Estudos do Dieese apontam que o trabalhador terceirizado recebe salário 27% menor que o contratado diretamente, tem jornada semanal de três horas a mais, permanece 2,6 anos a menos no emprego, e sua rotatividade é mais do que o dobro (44,9% contra 22%). Além disso, aponta o Dieese, a cada 10 acidentes de trabalho, oito acontecem entre os terceirizados.
O secretário geral da CUT, Sérgio Nobre, também destacou a importância da mobilização do conjunto das categorias para garantir a igualdade de direitos, de condições e de salário, direito à informação prévia, proibição na atividade-fim, responsabilidade solidária das empresas contratantes e penalização das empresas infratoras, tudo o que setores do patronato querem apagar da legislação.
O Dia Nacional de Mobilização e Paralisação é uma continuidade dos protestos, passeatas e greves realizados no dia 11 de julho, como forma de cobrar o atendimento à pauta da classe trabalhadora. A agenda de reivindicações inclui ainda a luta pelos 10% do PIB para a Educação; 10% do Orçamento da União para a Saúde; transporte público e de qualidade/mobilidade urbana; valorização das aposentadorias; reforma agrária e suspensão dos leilões de petróleo.

(Fonte: CUT Nacional)

Central Única dos Trabalhadores: 30 anos transformando o Brasil

Maior central sindical da América Latina completa 30 anos nesta quarta-feira (28). A CUT, hoje referência para a classe trabalhadora no Brasil e no mundo, programou várias atividades para marcar a data.

Crédito: Vera Jursis
Congresso de fundação da CUT, em São Bernardo do Campo (SP)
Congresso de fundação da CUT, em São Bernardo do Campo (SP)
A Central Única dos Trabalhadores completa 30 anos de fundação nesta quarta-feira (28). Sem dúvida, a criação da central é um dos mais importantes marcos da história recente do país. A entidade teve papel fundamental na luta pela redemocratização do Brasil e tem sido a principal porta-voz das reivindicações da classe trabalhadora ao longo dessas três décadas.
Crédito: ABC de Luta
Lula fala aos delegados no Congresso de 1983
Lula fala aos delegados no Congresso de 1983
Para marcar o 30º aniversário, várias atividades serão realizadas em São Bernardo do Campo (SP), a cidade que abrigou o congresso de fundação da entidade. Na própria quarta, será realizado o Seminário Internacional “O Movimento Sindical e os Desafios Globais”, que reunirá representantes de várias entidades sindicais estrangeiras e também da OIT (Organização Internacional do Trabalho). A atividade acontece das 9 às 18 horas, no Hotel Palm Leaf.
Às 19 horas, o Pavilhão Vera Cruz, espaço onde foi realizado o Congresso de fundação da CUT, será palco do ato político. E ainda lá, no dia seguinte, das 10 às 22 horas, acontecerá a jornada cultural, aberta ao público e com atividades voltadas para todas as faixas etárias (confira aqui).
Crédito: Instituto Henfil
-
 
A CUT representa 24 milhões de trabalhadores e trabalhadoras da base de quase 3.100 sindicatos de todos os ramos. É a maior central sindical brasileira e a quinta maior do mundo. E não apenas em números. A Central é referência para o movimento sindical internacional e, no Brasil, sempre esteve à frente de lutas fundamentais em defesa dos trabalhadores, como a de ampliação de direitos na Constituição de 1988. Graças à atuação dos cutistas, a jornada de trabalho foi reduzida de 48 para 44 horas e a licença-maternidade ampliada de 90 para 120 dias, por exemplo.
Além dos embates sindicais ao longo destas três décadas, a CUT também encabeçou lutas sociais importantes, formulando propostas de políticas públicas que privilegiassem o desenvolvimento com justiça social. Uma das principais e mais recentes é a política de recomposição do salário mínimo, estabelecida após a Central convocar, em 2004, a primeira Marcha a Brasília com este propósito.
Só para se ter ideia, quando a CUT foi fundada, em 1983, o mínimo equivalia a 70 dólares. Hoje, ele vale 320 dólares e se transformou no principal instrumento de distribuição de renda no país, contribuindo com a redução da miséria.
Agora, 25 anos depois de promulgada a Constituição e com inúmeros avanços trabalhistas e sociais, a Central continua à frente de lutas fundamentais para os (as) trabalhadores (as) e a sociedade, entre elas: combate ao projeto de lei 4.330 – que institui a terceirização sem limites –, fim do fator previdenciário, jornada de 40 horas semanais (que já era reivindicação desde a fundação da entidade), 10% do PIB para a educação e reforma agrária.
No portal da CUT, ao longo desta semana estão sendo veiculados artigos do presidente e dos ex-presidentes da Central e de alguns blogueiros sobre a importância da Central Única dos Trabalhadores para o Brasil e para a classe trabalhadora de todo o mundo. O presidente da Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT (CNM/CUT), Paulo Cayres, também fala sobre o papel e os desafios da CUT em artigo no site da entidade.
(Fonte: assessoria de imprensa da CNM/CUT)

Estudo mostra que cocaína muda estrutura do cérebro em duas horas


Cocaína (PA)Pesquisadores descobrem mecanismo que pode explicar como começa o vício em drogas.
Uma pesquisa feita por cientistas nos Estados Unidos revelou que a cocaína pode mudar a estrutura do cérebro poucas horas após o consumo.
Os estudiosos da Universidade da Califórnia fizeram experimentos com camundongos, que receberam injeções com cocaína.

Os camundongos que tiveram as maiores alterações no cérebro revelaram ter uma dependência mais elevada de cocaína, mostrando que, segundo especialistas, o cérebro deles estava "aprendendo o vício".Eles constataram que, apenas duas horas após receber a primeira dose, as cobaias já haviam desenvolvido no cérebro novas estruturas que são ligadas à memória, ao uso de drogas e a mudanças de comportamento.

A pesquisa foi divulgada na publicação científica Nature Neuroscience.

Caçador de cocaína

Os cientistas investigaram nas cobaias o surgimento de pequenas estruturas nas células do cérebro chamadas espinhas dendríticas, que têm relação profunda com a formação das memórias.
Um microscópio a laser foi usado para olhar dentro do cérebro dos camundongos, ainda vivos, para procurar por espinhas dendríticas após eles receberem doses de cocaína. A mesma análise foi feita em camundongos que, em vez de injeções com cocaína, receberam injeções com água.
O grupo que recebeu cocaína apresentou uma maior formação de espinhas dendríticas, o que indica que mais memórias, relacionadas ao uso da droga, foram formadas.
A pesquisadora Linda Wilbrecht, professora assistente de psicologia e neurociência da Universidade da Califórnia na cidade de Berkeley, disse: "Nossas imagens fornecem sinais claros de que a cocaína induz ganhos rápidos de novas espinhas, e quanto mais espinhas os camundongos ganham, mais eles mostram que ‘aprenderam’ (o vício) sobre a droga".
"Isso nos mostra um possível mecanismo ligando o consumo de drogas à busca por mais drogas."
"Essas mudanças provocadas pela droga no cérebro podem explicar como sinais relacionados à droga dominam o processo de tomada de decisões em um usuário humano".
O pesquisador Gerome Breen, do Insituto de Psiquiatria do King’s College de Londres, ressaltou que "o desenvolvimento da espinhas dendríticas é particularmente importante no aprendizado e na memória".
"Este estudo nos dá um entendimento sólido de como o vício ocorre – ele mosta como a dependência é aprendida pelo cérebro."

Ex-Batman não aprova Ben Affleck como homem-morcego, diz revista

Val Kilmer - Batman
De acordo com a revista Star, o ator americano Val Kilmer, hoje com 53 anos, não gostou muito de saber que Ben Affleck dará vida ao Batman nos próximos filmes do homem-morcego.

Após a DC confirmar Affleck como Batman, Kilmer postou uma foto dele como Homem-Morcego nas redes sociais para lembrar seus fãs que ele deu vida à Bruce Wayne nos anos 90. O Batman que Kilmer viveu foi o fraco "Batman: Forever", de 1995, produzido por Tim Burton.
A DC também confirmou a contratação de Bryan Cranston, astro da série Breaking Bad. Cranston dará vida à Lex Luthor em seis filmes da franquia Superman, o primeiro será "Batman x Superman", previsto para estrear em 2015.

Samsung anunciará na próxima semana relógio conectado

A Samsung revelará o Galaxy Gear, seu relógio de pulso conectado, na quarta-feira da semana que vem (4), disse um executivo da companhia ao jornal “Korea Times”.
reportagem, publicada nesta terça-feira (26) diz que a apresentação do aparelho –que será capaz de navegar na internet, acessar e-mails e fazer chamadas– acontecerá em Berlim, cidade que recebe a feira de tecnologia IFA, que começa dois dias depois do anúncio.
Imagem de divulgação do Samsung S9110, um relógio com tela sensível ao toque lançado pela Samsung em 2009; "sucessor" chega no dia 4 de setembro
A confirmação veio de Lee Young-hee, responsável pela divisão móvel da fabricante coreana. “Esse novo aparelho vai incrementar e enriquecer a experiência de comunicações móveis”, disse à publicação.
Em contraste com o que chegou a ser rumorejado, o Galaxy Gear não terá tela flexível.
Divulgação
Imagem de divulgação do Samsung S9110, um relógio com tela sensível ao toque lançado pela Samsung em 2009; “sucessor” chega no dia 4 de setembro