.

.

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Rodrigo Maia diz que Bolsa Família escraviza beneficiários

O Bolsa Família não é um "bom programa social", por não ter mecanismos que permitam a independência de seus beneficiários, afirmou nesta quarta-feira, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia.
"Criar um programa para escravizar as pessoas não é um bom programa social. O programa bom é onde você inclui a pessoa e dá condições para que ela volte à sociedade e possa, com suas próprias pernas, conseguir um emprego", disse o parlamentar durante discurso no Brazil Institute do Wilson Center, em Washington.

Em entrevista depois do evento, Maia disse que o Bolsa Família gera "dependência", por não criar uma "porta de saída" para os participantes. "Essa dependência atrela as pessoas ao Estado."

O deputado defendeu mudanças que criem obrigações em relação à saúde, educação e saneamento, que levaria as pessoas as serem "estimuladas a sair do programa".
Continua depois da publicidade

Em sua opinião, a ausência de obrigações para os beneficiários os transforma em "dependentes". Maia afirmou que o Bolsa Família é um programa "liberal" e não de esquerda, mas criticou a maneira como ele foi implementado pelo PT.

"É engraçado que o Brasil cresceu tanto no governo do PT e o número de pessoas dependentes do Bolsa Família aumentou. Tem alguma coisa errada. Se o Brasil está ficando mais rico, por que há mais pessoas pobres dependentes do Bolsa Família? Essa era uma distorção grande."

Para ele, a principal questão em relação ao programa é a porta de saída para seus beneficiários. "Como é que você dá condições para o cidadão pobre brasileiro, que depende do Bolsa Família, que o filho dele tenha uma condição de escolaridade, uma condição de saúde, cursos profissionalizantes para que ele possa sair da dependência e possa gerar sua própria renda."

Maia admitiu que poderá disputar a sucessão de Michel Temer caso obtenha números mais elevados nos levantamentos sobre intenção de voto.

"Hoje não, eu tenho 1% nas pesquisas. No dia em que eu tiver 7%, as coisas melhoram muito", declarou, em resposta a pergunta sobre sua eventual candidatura.

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Descoberta razão da peste que causou colapso da civilização asteca

Pirâmide em Uxmal: civilização asteca teria sido aniquilada por praga
Pirâmide em Uxmal: civilização asteca teria sido aniquilada por praga

Na sequência da chegada dos conquistadores espanhóis encabeçados por Hernán Cortés no século XVI, cerca de 80% da população asteca foram aniquilados por uma epidemia que os locais chamaram "cocoliztli" (doença ou peste em idioma náhuatl) cuja causa foi posta em questão durante quase 500 anos.

Entretanto, um estudo publicado na segunda-feira (15) na revista Nature Ecology and Evolution identificou como possível razão a "febre entérica", similar à febre tifoide, descartando assim tais doenças como a varíola, o sarampo, a caxumba ou gripe como possíveis causas.
Graças ao uso de uma nova ferramenta de análise metagenómica de DNA, extraído de 29 esqueletos sepultados em Oaxaca, México, ligados à primeira epidemia de peste em 1545, os cientistas encontraram vestígios de uma bactéria, a Salmonella enterica, que provocou a febre entérica.
Ashild Vagene, da Universidade de Tubinga (Alemanha) e coautora do estudo, considera este agente patogênico como “forte candidato” para se tornar a causa principal do brusco declínio da população durante o "cocoliztli" registrado entre 1545 e 1550.
No início do ano passado dois estudos apresentaram pela primeira vez a Salmonella como o possível culpado. Entretanto, Maria Ávila-Arcos, uma geneticista da Universidade Nacional Autónoma de México (UNAM) disse não estar de acordo com os resultados. Ela sublinha que muitos especialistas acham que foi um vírus e não uma bactéria que causou a "cocoliztli".
O surto desta doença é considerado um dos mais mortais na história da humanidade junto com a peste bubônica acabou com a vida de 25 milhões de pessoas na Europa Ocidental no século XIV.

Jovem de 34 anos Rompeu a Aarganta Após Segurar um Espirro

Setas indicam fratura na garganta após espirro (Foto: BMJ Case Reports)

Em caso raro, homem rompe garganta e tem dificuldade para falar após segurar espirro

Situação publicada no 'BMJ Case Reports' mostra caso atípico de rompimento de parte de trás da garganta após um único espirro.

Setas indicam fratura na garganta após espirro (Foto: BMJ Case Reports) 

Um jovem de 34 anos no Reino Unido rompeu a parte de trás da garganta após segurar um espirro, o que o deixou quase sem fala e e com dificuldades para engolir temporariamente.

O caso foi publicado no "British Medical Journal Case Reports", braço do periódico BMJ que costuma publicar casos atípicos da medicina.
Segundo o relato, o homem colocou a mão na boca e apertou o nariz com a outra mão na tentativa de conter um espirro: como consequência, acabou por fraturar gravemente a garganta.
O caso foi surpreendente, dizem médicos que atenderam o homem, porque a ruptura da parte de trás da garganta só é vista em traumas e acidentes.
Às vezes, ela é reportada em vômitos ou tosse intensa, mas dificilmente após um único espirro.
A fratura foi seguida de dores intensas e bolhas de ar passaram a invadir tecidos, levando o jovem à internação.
No hospital, o homem foi alimentado por tubos e recebeu antibióticos até ser liberado sete dias depois

Temer acha que seu nome ganhará força para disputar a reeleição

O presidente tem dúvidas sobre as campanhas de Rodrigo Maia e Henrique Meirelles

Apesar de entendê-las, o presidente Michel Temer acha que as movimentações do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, serão inúteis. Diz que, com a melhora da economia e o aumento no número de empregos, seu nome é que sairá fortalecido para disputar a Presidência da República.

Honda chama mais 86 mil Fit e City para trocar 'airbags mortais' no Brasil

  Honda Fit 2013 é convocado para recall por causa de defeito no airbag (Foto: Divulgação)
A Honda convocou mais um recall no Brasil por causa dos airbags defeituosos que já foram ligados a pelo menos 17 mortes pelo mundo. Agora é a vez de 86 mil unidades dos modelos Fit e City ano/modelo 2013.

CHASSIS ENVOLVIDOS

  • Fit - de DZ100001 até DZ602059
  • City - DZ100001 até DZ300013 e de D1400001 até D1411010
Esta é a quarta convocação para o City e a sexta para o Fit, por causa do mesmo problema, desde 2004. Confira todos os recalls dos airbags mortais no Brasil.
O defeito faz com que o insuflador do airbag seja corrompido. Após longos períodos de exposição ao calor e a umidade, a "caixa" de metal que envolve o gás que faz o airbag abrir começa a trincar.
Quando surge a necessidade de a bolsa abrir --no caso de uma colisão, por exemplo -- a abertura se dá de forma violenta e a caixa se rompe, atirando estilhaços de metal contra os ocupantes.
"Em situações extremas, o defeito pode causar, além de danos materiais, lesões graves ou até mesmo fatais aos ocupantes e/ou terceiros", afirma o comunicado.
A fabricante trocará gratuitamente o insuflador do airbag em qualquer concessionária autorizada a partir do dia 22 de janeiro. 

O maior recall da história

O caso resultou no maior recall da história: mais de 30 milhões de carros já foram chamados para troca dos airbags, inclusive no Brasil (veja os recalls no país).
A Takata fornece para diversas marcas, além da Honda, e pediu recuperação judicial em 2017. A empresa concordou em pagar US$ 1 bilhão nos EUA, como compensação a fabricantes de carros e vítimas dos acidentes relacionados ao defeito.

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Porto do Itaqui tem recorde histórico na exportação de grãos

O Porto do Itaqui fechou 2017 com movimentação de 19,1 milhões de toneladas de cargas, o que representa crescimento de 13% em relação a 2016

Foto: Reprodução
O Porto do Itaqui fechou 2017 com movimentação de 19,1 milhões de toneladas de cargas, o que representa crescimento de 13% em relação a 2016 e de 3% em relação ao previsto para o ano. Os granéis sólidos responderam por 12,7 milhões de toneladas durante o ano, com recordes históricos na exportação de milho (194%) e soja (60%) e na importação de fertilizante (18%).
Em granéis líquidos, a importação de etanol, também, bateu recorde histórico, com volume 212% maior do que em 2016. As operações com arroz registraram aumento de 109%, a escória de cimento foi 53% maior e as cargas de combustíveis para o mercado interno cresceram 23% no comparativo com o ano anterior.
A projeção do mercado para 2018 é conservadora e depende da expansão dos terminais, em processo de execução. No entanto, os investimentos que o Governo do Maranhão vem realizando por meio da gestão do Porto do Itaqui serão atrativos para alavancar resultados positivos. No setor de combustíveis, a entrada em operação do Berço 108 ainda neste semestre incrementa em 40% a capacidade de operação desse granel líquido.
A Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap), que gerencia o Porto do Itaqui, está desenvolvendo Estudos de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental de novos terminais, voltados para a movimentação e armazenagem de combustíveis. “O plano é dobrar a capacidade de armazenagem em três anos”, afirma diretor de Planejamento e Desenvolvimento da Emap, Jailson Luz.
A Emap trabalha focada no mercado, para que o Itaqui volte a ter uma linha regular de contêiner e carga geral. Para isso, o porto conta com novo pátio, entregue no final de 2017, equipado para receber, também, carga refrigerada, o que favorece a operação com carne processada.
O volume de movimentação de fertilizante deve crescer neste ano, acompanhando a tendência de crescimento verificada em 2017, quando obteve 22% de aumento em relação ao previsto para o ano. Investimentos em logística fora da poligonal do Itaqui apontam para esse crescimento. E a movimentação de grãos, que atingiu 7,1 milhões de toneladas em 2017, deve crescer 13% em 2018, fechando o ano com cerca de 8,1 milhões de toneladas.

Inscrições para o ProUni começam dia 6 de fevereiro

Resultado da primeira chamada será divulgado no dia 14 de fevereiro

Inscrições estarão abertas do dia 6 ao 9 de fevereiro
Inscrições estarão abertas do dia 6 ao 9 de fevereiro Reprodução/Prouni
 
As inscrições para o ProUni (Programa Universidade para Todos) do primeiro semestre de 2018 estarão abertas do dia 6 a 9 de fevereiro. A inscrição é feita exclusivamente pela internet, no site do ProUni.
O resultado da primeira chamada será divulgado no dia 14 de fevereiro e o da segunda no dia 2 de março. O ProUni seleciona estudantes para receber bolsas de estudo integrais e parciais em instituições particulares de ensino superior com base na nota do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio).
Pode participar do programa o candidato que não tenha diploma de curso superior e tenha feito a prova do Enem 2017 e obtido no mínimo 450 pontos na média das notas do Exame. Outra condição é ter obtido nota na redação que não seja zero.
É preciso ainda que atenda a pelo menos uma das condições: ter cursado ensino médio completo em escola pública; ter cursado ensino médio na rede privada com bolsa integral; ter cursado ensino médio parcialmente da rede pública e privada, nesse caso como bolsista integral; ser pessoa com deficiência; ser professor da rede pública no efetivo exercício do magistério da educação básica.
Poderá concorrer a uma bolsa integral quem tem renda familiar bruta mensal per capta de até um salário mínimo e meio. Pode se inscrever para as bolsas parciais quem tem a renda familiar bruta mensal per capta de até três salários mínimos.

Sai a lista dos convocados para próxima fase do concurso da PM do MA

A avaliação médica e o exame odontológico serão realizados entre 13 e 21 de janeiro.

Foto: Reprodução
Foi divulgado, nesta terça-feira (9), o resultado final nas provas objetivas do concurso para a Polícia Militar do Maranhão. Também foi publicada a convocação para os exames médicos e odontológicos, para o teste de aptidão física, para o exame psicotécnico e para a entrega da documentação para fins de investigação social, bem como para o procedimento de verificação dos candidatos que se autodeclararam negros e para a perícia médica dos candidatos que se declararam com deficiência. Confira a relação AQUI
A avaliação médica e o exame odontológico serão realizados entre 13 e 21 de janeiro. O candidato deverá, obrigatoriamente, acessar o endereço eletrônico http://www.cespe.unb.br/concursos/pm_ma_17 para saber o dia e local dos exames.
O teste de aptidão física será feito entre 27 de janeiro de 2018 a 4 de fevereiro de 2018. A consulta para saber o local estará disponível a partir de 22 de janeiro.
O exame psicotécnico será nos dias 17 e 18 de fevereiro de 2018. A consulta pode ser feita a partir de 12 de fevereiro.
Os candidatos convocados para a investigação social terão de entregar a Ficha de Informações Confidenciais entre 15 e 19 de janeiro, das 8 horas às 12 horas e das 13 horas às 17 horas.
Os candidatos que se autodeclararam negros serão submetidos, no período de 2 a 4 de fevereiro de 2018, ao procedimento de verificação da condição declarada para concorrer às vagas reservadas.
O concurso oferece 1.214 vagas nas carreiras de soldado e tenente, com exigência de níveis médio e superior, respectivamente.

Mulher mata vizinha a facadas por causa de vaga de emprego

Outras duas irmãs da vítima, que estavam com ela no momento da discussão, ficaram feridas. Crime aconteceu em Santos, no litoral de São Paulo.

Arquivo Pessoal
vizinhaUma jovem de 24 anos foi morta a facadas pela vizinha, na noite deste sábado (13), em Santos, no litoral de São Paulo. Segundo informações de familiares, a autora do crime queria a vaga de emprego da vítima, Érica Oliveira da Silva, e há dias elas discutiam sobre o assunto. Além da jovem, a suspeita feriu outras duas irmãs da vítima. Até o momento, ninguém foi preso.
Érica era assistente administrativa em uma empresa de concreto localizada no bairro Monte Cabrão, onde mora. Segundo a irmã da vítima, Rafaela Oliveira da Silva, há dias ela e a vizinha, identificada pela Polícia Civil como Angélica da Cruz, discutiam sobre o emprego da irmã. “Ela estava desempregada e queria a vaga da minha irmã. Sempre que a Érica passava, elas se provocavam. Isso acontecia todos os dias”, explica.
Por volta das 20h deste sábado, Érica, Rafaela e mais duas irmãs voltavam para casa quando Angélica as viu na rua e começou a provocar a vítima. “Eu não lembro o que foi que ela disse, mas sei que ela gritou algo e minha irmã começou a retrucar. Elas começaram um bate-boca e o pai, o irmão e o marido da agressora saíram para ajudar”.
Segundo Rafaela, durante a discussão, o pai de Angélica segurou Érica para que ela ficasse imóvel enquanto a filha esfaqueava a vítima. A faca foi entregue à suspeita pelo próprio marido que, segundo testemunhas, também teve participação no crime. Rafaela foi a única das quatro irmãs que não teve ferimentos e, imediatamente, solicitou o socorro. “A ambulância demorou muito, decidimos não esperar e meus pais levaram elas para o Pronto Socorro de carro”, relembra.
Érica deu entrada no Pronto Atendimento Médico (PAM) da Rodoviária já sem vida. Débora Oliveira da Silva, de 32 anos, e Daniele Alves de Oliveira, de 27, foram transferidas para o Hospital Santo Amaro em estado grave. Daniele passou por procedimento cirúrgico e se encontra na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), com ferimentos no pulmão e intestino. Débora está em observação.
Segundo a polícia, logo após a briga, Angélica fugiu do local e não foi mais vista. Os familiares da suspeita foram até a Delegacia Sede de Santos prestar depoimento sobre o caso e, em seguida, foram liberados. “O que queremos, agora, é justiça para todos eles, todos devem pagar. Ela não conseguiria matar a minha irmã e machucar as outras duas sozinha”, desabafa Rafaela. A Polícia Civil realiza diligências neste domingo (14) para tentar localizar Angélica.
Fonte: G1

Governo recorre ao Supremo pela privatização da Eletrobras


postado em 15/01/2018 14:27 / atualizado em 15/01/2018 14:39

O governo enviou nesta seegunda-feira (15) uma reclamação ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra a decisão da Justiça Federal em Pernambuco que suspendeu o trecho de uma medida provisória (MP) que autorizou a União a seguir com o processo de privatização da Eletrobras.
Continua depois da publicidade

Na peça, escrita pela advogada-geral da União, Grace Mendonça, o governo alega que o juiz federal Carlos Kitner, da 6ª Vara Federal do Recife, usurpou a competência do STF ao deliberar sobre a constitucionalidade de uma MP, atribuição que seria exclusiva do Supremo.

Segundo Grace, a MP em questão só poderia ter sido questionada em ação direta de inconstitucionalidade aberta no Supremo. Ela pediu por uma liminar (decisão provisória) urgente para suspender os efeitos da determinação do magistrado.

O mesmo pedido foi feito pela Câmara dos Deputados, em reclamação assinada pelo assessor jurídico Leonardo Barbosa e também protocolada nesta segunda-feira.

A decisão sobre o pedido de liminar da AGU deve ser da ministra Cármen Lúcia, presidente do STF, que despacha em regime de plantão. A ministra pode ainda deixar que qualquer decisão seja tomada pelo relator, Alexandre de Moraes, no retorno do recesso da Corte, em fevereiro.

Na semana passada, o juiz Carlos Kitner, da Justiça Federal em Pernambuco, concedeu uma liminar para suspender o artigo 3º da Medida Provisória (MP) 814, editada em 29 dezembro de 2017, que retirava de uma das leis do setor elétrico a proibição de privatização da Eletrobras e de suas subsidiárias.

A ação popular foi aberta na terça-feira (9) pelo advogado Antônio Accioly Campos. Ele questionou a revogação, pela MP, do artigo 31 da Lei 10.848/2014, que excluía a Eletrobras e suas controladas (Furnas, Companhia Hidroelétrica do São Francisco, Eletronorte, Eletrosul e a Companhia de Geração Térmica de Energia Elétrica) do Programa Nacional de Desestatização.

Na decisão, Kitner afirma que o governo federal não justificou a urgência de editar uma MP, “no apagar das luzes” do ano passado, “para alterar de forma substancial a configuração do setor elétrico nacional”.

Ele argumentou que as leis sobre o setor elétrico não poderiam ser modificadas sem a “imprescindível” participação do Congresso Nacional. Em nota, o Ministério de Minas e Energia rebateu os argumentos do juiz, afirmando que, em sua exposição de motivos ao Congresso Nacional, o governo deixou claro que a MP 814 não tinha o objetivo de antecipar “discussões de mérito relacionadas ao tema”, que ainda serão alvo de outro projeto de lei.

TRF5

Em outra frente, a AGU entrou com pedido de suspensão de liminar no Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5), que é a segunda instância da Justiça Federal em Pernambuco. Desta vez, o órgão entra no mérito da questão, argumentado que a liminar suspendendo a privatização pode causar prejuízo de R$ 18,9 bilhões ao setor elétrico, “sendo R$ 12,2 bilhões relacionados às concessões de usinas da Eletrobrás – que dependem da privatização da empresa”, disse a AGU, por meio de nota. Neste caso, quem deve julgar o recurso é o presidente do TRF5, desembargador Manoel de Oliveira Erhardt.

Petrobras e Total avançam em aliança para negócio de US$ 1,95 bi

Uma das operações envolve a cessão de direitos de 35% da Petrobras para a Total, assim como a operação do campo de Lapa

A Petrobras anunciou hoje (15), em nota, ter concluído a operação de cessão de direitos dos campos de Lapa e Iara, no pré-sal da Bacia de Santos, com a petrolífera Total. O negócio envolve US$ 1,95 bilhão.
Uma das operações envolve a cessão de direitos de 35% da Petrobras para a Total, assim como a operação do campo de Lapa, no bloco de pré-sal da Bacia Marítima de Santos. A nova composição do consórcio passa a ter a Total como operadora, com os 35% de participação, a Shell com 30%, a Repsol-Sinopec com 25% e a Petrobras com10%.
O campo de Lapa iniciou produção em dezembro de 2016, por meio plataforma flutuante de produção, armazenamento e transferência de petróleo e gás natural, com capacidade de 100 mil barris por dia.
Já na área de Iara, a operação envolve a cessão de direitos de 22,5% da Petrobras para a Total, envolvendo os campos de Sururu, Berbigão e Oeste de Atapu, também na Bacia Marítima de Santos. A nova composição do consórcio passa a ter a Petrobras como operadora, com 42,5% de participação; a Shell com 25%, a Total com 22,5% e a Petrogal com 10%.
A produção em Iara está prevista para iniciar no segundo semestre de 2018 nos campos de Berbigão-Sururu, com capacidade de 150 mil barris por dia, e em 2019, no campo de Atapu.
O valor pago nessas transações de US$ 1,95 bilhão, incluindo ajustes do fechamento da operação, não contempla uma linha de crédito que pode ser acionada pela Petrobras no valor de US$ 400 milhões, representando parte dos investimentos da companhia nos campos da área de Iara, além de pagamentos contingentes.
Segundo a nota da Petrobras, todas as condições precedentes às cessões de direitos foram cumpridas, incluindo a concessão de licenças de operação e instalação pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama), para que a Total se torne operadora do campo de Lapa.
A avaliação da companhia brasileira é de que “essas operações concretizam a Aliança Estratégica entre a Petrobras e a Total, permitindo que as empresas combinem suas experiências em águas profundas, maximizando a rentabilidade no segmento”.
Para o presidente da Petrobras, Pedro Parente, essas operações representam um grande passo na Aliança Estratégica entre as duas companhias. “A Petrobras é líder na exploração do pré-sal e a Total é líder na exploração de campos de águas profundas na costa oeste africana, nossa parceria tem potencial para reduzir nossos riscos exploratórios e fazer ambas companhias mais competitivas. Trabalhar em parcerias é estratégico para a Petrobras. Nós acreditamos que isso cria valor e vai continuar ampliando nossa cooperação em todos os segmentos da cadeia de valor de óleo e gás”.
Atualmente, a Petrobras e a Total são parceiras em 19 consórcios de exploração e produção. No Brasil, são parceiras na área de Libra, primeiro contrato pelo regime de partilha de produção, localizada no pré-sal da Bacia de Santos. No exterior, são parceiras no campo de Chinook, no Golfo do México nos EUA, nos campos de águas profundas de Akpo e Egina, na Nigéria, e nos campos de gás de San Alberto, San Antonio e Itaú na Bolívia, além de serem sócias no gasoduto Bolívia-Brasil.

"Prévia" do PIB registra novo avanço; saiba por que isso é importante

O Brasil voltou a crescer e isso já não é novidade para ninguém. Para ficar por dentro do assunto, confira o que é Produto Interno Bruto (PIB), sua importância e como ele afeta sua vida
publicado: 15/01/2018 11h58 última modificação: 15/01/2018 13h38
   Pixabay
Entenda o que é PIB
                                                                                                                                                                                                 
Em mais um sinal da retomada da economia, o Brasil cresceu 0,49% em novembro. O mês foi o terceiro seguido de alta do Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), considerado uma espécie de “prévia” do Produto Interno Bruto (PIB). No ano, o indicador já aponta para um crescimento de 1,06%. Entenda como isso afeta sua vida.
O que é PIB?
É a soma de toda a riqueza produzida no País. Ele compreende desde a atividade exercida pela banca de jornal da vizinhança até as grandes fábricas industriais.
Quem calcula?
Muitas instituições, públicas ou privadas, têm seu próprio método de calcular o PIB. O principal, que serve de base para todos, é o do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
E você com isso?
O número do PIB é importante pois ele mostra se o País está crescendo ou não. Se ele estiver como agora, crescendo, significa que há mais produção de produtos, mais gente empregada para produzir e mais renda sendo gerada. 
Como ele se comporta?
São muitos os fatores que influenciam o comportamento do PIB. Mesmo assim, dá para destacar o consumo e a taxa de juros como fortes sinalizadores de crescimento. Quanto mais renda, mais as pessoas consomem. E quanto menores os juros, mais as pessoas têm acesso ao crédito.

Nova Ford Ranger tem motor do Mustang e câmbio de 10 marchas

com conjunto mecânico e equipamentos mais sofisticados

Ford Ranger
Ranger norte-americana tem design com elementos exclusivos (Divulgação/Ford)
De porte menor que as tradicionais picapes F-Series, a Ford Ranger voltará a ser vendida nos Estados Unidos. Para isso, sofreu algumas mudanças no design e importantes tem importantes alterações na mecânica.
Esqueça o motor 2.5 flex e os 2.2 e 3.2 turbodiesel das Ranger vendidas no Brasil. Para os EUA a picape média recebeu o mesmo conjunto mecânico do Mustang.
Ford Ranger
Traseira ganhou tampa com nome “Ranger” em relevo (Divulgação/Ford)
Não, não é o V8 5.0 de 440 cv do Mustang que teremos no Brasil, mas sim o moderno 2.3 Ecoboost de 310 cv e 48,3 mkgf de torque. Mas o câmbio é o mesmo do Mustang mais potente: o moderno automático de dez marchas desenvolvido em uma parceria entre a Ford e a General Motors.
Ford Ranger
De lado parece a mesma Ranger que temos no Brasil, mas com molduras nas caixas de roda (Divulgação/Ford)
A silhueta da Ranger está igual. Faróis, lanternas e grade têm o mesmo formato, mas cada uma destas peças tem design próprio. Faróis tem luzes diurnas de led, as lanternas tem iluminação ao estilo das F-150 e a grade tem duas barras horizontais ou fundo de colméia, mas não tem ligação com o para-choque.
A propósito, o para-choque que tem a parte inferior independente e mais larga. Foi a saída encontrada para que ele ficasse alinhado com as molduras das caixas de roda, onde a Ford resolveu instalar as luzes de posição laranjas obrigatórias para os carros vendidos nos EUA.
Ford Ranger
Versões FX4 tem maior capacidade off-road (Divulgação/Ford)
Na traseira, a Ford mudou a tampa da caçamba. Pequeno detalhe: o nome “Ranger” vai em relevo na chapa, não em adesivo.
O painel é praticamente igual. Mudam o material de acabamentos dos bancos e a placa central do painel, que recebeu o nome da picape.
Ford Ranger
Interior tem apenas detalhes diferentes em relação a Ranger que temos no Brasil (Divulgação/Ford)
Mas se você quer ver mais diferenças entre a Ranger que está no Salão de Detroit e a Ranger que está na concessionária perto da sua casa, olhe a lista de equipamentos.
Em vez de alerta de frenagem de emergência, há sistema de frenagem autônoma de emergência. Os assistentes de permanência em faixa trabalham em conjunto com o piloto automático adaptativo e ainda há detector de pontos cegos e detector de pedestres.
Ford Ranger
Picape tem seletor eletrônico de tração e opção de modos de atuação dos diferenciais eletrônicos (Divulgação/Ford)
Serão cinco versões: XL, XLT e Lariat, com cabine estendida ou dupla. Elas estão disponíveis nas configurações de tração FX2 e FX4. Todas têm bloqueio eletrônico do diferencial, mas a FX4 tem diferencial central Dana, amortecedores e pneus off-road, protetor de cárter e seletor eletrônico com modos de tração – grama, cascalho e neve, lama e areia.

Palmeiras anuncia Gustavo Scarpa, que assina por cinco anos

Palmeiras oficializou na tarde desta segunda-feira a contratação de Gustavo Scarpa. O meia assinou contrato de cinco anos e foi anunciado pelo clube por meio das redes sociais.
Palmeiras anuncia Gustavo Scarpa (Foto: Reprodução/Twitter)
A operação vai custar ao Palmeiras 6 milhões de euros (R$ 23,5 milhões), valor que inclui luvas e comissões aos intermediários da negociação, a serem pagos ao longo de três anos. Em troca, o Verdão fica com 100% dos direitos econômicos do jogador. A informação foi publicada primeiro pelo jornalista Mauro Cezar Pereira, da ESPN, e confirmada pelo GloboEsporte.com.
Mesmo com o anúncio, o Verdão estuda compensar o Flu com o empréstimo de alguns jogadores. A leitura da diretoria do Palmeiras é que, se o Fluminense não topar, a briga judicial entre Scarpa e o clube carioca irá se alongar, mas sem que o Verdão seja prejudicado por isso. Os cariocas prometem tentar reverter a negociação.

O presidente Maurício Galiotte telefonou pela manhã para o presidente do Fluminense, Pedro Abad, para dizer que negociava com o meia, mas que se colocava à disposição para alguma contrapartida (boa para os dois lados). A diretoria se vê respaldada juridicamente.
Scarpa é o sexto reforço do clube para a temporada. Os outros foram o zagueiro Emerson Santos, o meia Lucas Lima, o goleiro Weverton e os laterais Marcos Rocha e Diogo Barbosa.

Após três anos, Corinthians acerta o retorno de Emerson Sheik

O Corinthians acertou o retorno do atacante Emerson Sheik na tarde desta segunda-feira, quase três anos após a saída do jogador do Parque São Jorge. Aos 39 anos, o jogador deve assinar contrato até o final de junho, auxiliando a equipe na disputa do Campeonato Paulista, da fase de grupos da Libertadores da América e das 12 primeiras rodadas do Campeonato Brasileiro.
A informação foi publicada inicialmente pelo Uol e acabou confirmada pela Gazeta Esportiva . Campeão brasileiro, mundial, paulista e da Recopa pelo Alvinegro, Sheik marcou seu nome na história alvinegra principalmente pelos dois gols marcados na final da Libertadores de 2012, diante do Boca Juniors-ARG, no único título alvinegro na história da competição.
O clube assegurou o acerto minutos depois, sem especificar quando o atleta deve ser apresentado. A ideia é que Sheik passe por exames médicos nesta terça-feira e se junte ao elenco assim que possível. Fisicamente, há a confiança que o atleta tem total condição de ser aproveitado ao menos em algumas partidas pontuais pela comissão técnica.
No ano passado, o antigo camisa 11 acertou com a Ponte após o Campeonato Paulista e disputou um total de 25 jogos, com cinco gols marcados, levando os campineiros a 7 vitórias, 5 empates e 11 derrotas. Justamente na época em que não atuou, porém, a Macaca viu seu aproveitamento cair na reta final do torneio: 4 derrotas, um empate e uma vitória, selando seu rebaixamento à segunda divisão nacional.

Confira a lista de cidades onde o Ministério da Saúde recomenda a vacina contra a febre amarela

Zagueiro do Grêmio morre afogado no interior do RS

Zagueiro de 19 anos da base do Grêmio morre afogado no interior do RS

Jean Pyerre lamenta morte do colega na base (Foto: Reprodução)Grêmio é obrigado a conviver com o luto neste início de semana. O clube informou em seu site oficial a morte do zagueiro Paulo Sérgio Bratti Dalmoro, que integrava o elenco sub-19 das categorias de base. De acordo com o Hospital Ouro Branco, o jogador se afogou em um arroio na cidade de Teutônia, na manhã desta segunda-feira.

Na nota, o clube ressaltou que o jovem "sua carreira de forma íntegra e sempre defendeu as cores do Tricolor com honra e dedicação" e desejou força aos familiares do atleta. Natural de Encantado, cidade do interior do Rio Grande do Sul, o atleta defendia o Grêmio desde 2014 e chegou a ser capitão com as cores do Tricolor.
Nas redes sociais, o atacante Dionathã, ex-companheiro de Dalmoro, deixou sua homenagem ao amigo, assim como Jean Pyerre (veja abaixo). Pedro Lucas, que defende o Inter na Copa São Paulo de Futebol Júnior, também registrou suas condolências à família em uma postagem no Instagram.
 Dalmoro faleceu nesta segunda-feira (Foto: Divulgação/Grêmio)
> Nota publicada no site oficial do clube:
É com pesar que o Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense informa o falecimento do zagueiro Paulo Sérgio Bratti Dalmoro, ocorrido na manhã desta segunda-feira.
Natural de Encantado/RS, o atleta integrava a categoria sub-19 do Grêmio e estava nas categorias de base do Tricolor desde 2014. Paulo dedicou sua carreira de forma íntegra e sempre defendeu as cores do Tricolor com honra e dedicação. Que a família possa encontrar conforto neste momento.

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Kia Cerato 2019 com design inspirado no Stinger tem esboço divulgado


kia-cerato-2019-1 Kia Cerato 2019 com design inspirado no Stinger tem esboço divulgado
Como será o próximo Kia Forte, que conhecemos como Cerato? A Kia Motors deu uma dica com três esboços revelados oficialmente antes do Salão de Detroit e – pelo menos em termos de estilo – a notícia é boa. O Kia Cerato 2019 vai aparecer na congelante Detroit com linhas bem quentes, importadas do desejado Kia Stinger.
A inspiração no irmão maior e bem mais poderoso parece ser uma indicação de que a marca sul-coreana quer produtos com uma pegada estilística mais nervosa, algo que atraia ainda mais compradores. Com uma carroceria mais volumosa e larga, o Kia Cerato 2019 terá um coeficiente aerodinâmico melhor e também maior espaço interno, embora seja provável a manutenção do entre-eixos atual.
kia-cerato-2019-1 Kia Cerato 2019 com design inspirado no Stinger tem esboço divulgado
Na frente, a grade tigrada – marca registrada da Kia Motors – se apresenta com vincos cromados e uma grelha bem escura, que no modelo de produção deve carregar elementos esportivos. O conjunto ótico chama atenção pela disposição das luzes diurnas em LED com formato de “X” tendo o projetor de LED ao centro. Essa deve ser a marca supostamente exclusiva do sedã médio, que ainda incorporará um para-choque esportivo, dotado de entrada de ar horizontal com dois faróis de neblina incorporados e entradas de ar laterais devidamente estilizadas.
No Kia Cerato 2019, o esboço indica um capô bem curvado e integrado à grade frontal, além de rodas de liga leve de acabamento diamantado. A linha de cintura é alta e as janelas apresentam área envidraçada menor do que o esperado. Como se trata de um esboço, pode ser que sejam maiores do que a impressão que temos nessas imagens. As laterais são bem lisas e possuem apenas um vinco pouco marcante na parte superior. Já as colunas C se destacam mais, morrendo sobre parte da tampa traseira, que tem defletor de ar integrado ao desenho.
kia-cerato-2019-1 Kia Cerato 2019 com design inspirado no Stinger tem esboço divulgado
As lanternas traseiras duplas possuem a mesma reprodução do desenho dos LEDs nas duas peças, tanto na tampa quanto a parte que fica na carroceria, sendo igualmente outra marca para identificar o Kia Cerato 2019 no portfólio da empresa. Um vinco desce das lanternas e contorna todo o conjunto retornando ao outro extremo, chamando assim a atenção para a nova traseira. O para-choque também incorpora falsas saídas de ar e difusor com escape integrado.
Por dentro, o Kia Cerato 2019 adotará um painel mais reto e baixo, ostentando uma tela sensível ao toque bem proeminente, assim como difusores de ar circulares e uma vistosa barra central com acabamento brilhante ou fosco. O cluster compacto e o volante de três raios reforçam o estilo mais esportivo do sedã coreano. A ser produzido em Pesquería, México, o modelo deverá sair da fronteira com os EUA em direção ao mercado brasileiro após sua introdução naquele mercado. A apresentação será no dia 15 de janeiro.

Palmeiras vende Yerry Mina ao Barcelona por mais de R$ 47 milhões

O Barcelona acertou com o Palmeiras, nesta quarta-feira, os detalhes finais da compra do zagueiro Yerry Mina, de 23 anos. O acordo, apalavrado desde segunda-feira, saiu por 12,3 milhões de euros (mais de R$ 47,4 milhões). O pagamento será à vista e o Palmeiras ficará com 10 milhões de euros (quase R$ 38,5 milhões). É a maior venda de um zagueiro na história do futebol nacional.
Mina Barcelona
Mina Barcelona

Falha no WhatsApp pode permitir que estranhos leiam mensagens de grupos


WhatsApp: funções que chegaram em 2017
WhatsApp: funções que chegaram em 2017
A vulnerabilidade tem um conceito simples, porém a sua exploração é complexa. Ela usa a regra de apenas o administrador de um grupo fazer o convite para novos participantes. O problema está em não haver qualquer tipo de autenticação para esses convites. Um hacker que tenha o controle do servidor, por exemplo, poderia adicionar um contato dentro de um grupo, sem a permissão dos membros ou do próprio administrador.
O infiltrado passaria a ter os mesmo privilégios dos participantes. Todos os membros compartilhariam da chave criptografada, permitindo que o penetra possa ler as conversas após ser adicionado. As mensagens antigas trocadas dentro do grupo não poderiam ser visualizadas.

Assim como acontece com contatos adicionados normalmente, o grupo veria a mensagem de alerta da adição de um novo participante. O problema, apontado pelos pesquisadores, é que um hacker com o controle do servidor poderia atrasar o alerta ao bloquear este tipo de mensagem.
A descoberta joga desconfiança na criptografia ponta a ponta do WhastsApp. Na teoria, a empresa poderia ser forçada por governos a usar o artifício para grampear grupos. Vale lembrar que aqui no Brasil, por exemplo, o aplicativo chegou a ser bloqueado por não colaborar com a Justiça. Alguns países, com a premissa de garantir a segurança, sugeriram até que o app desenvolva um backdoor, uma forma de se ter acesso às conversas criptografadas

Resposta do WhatsApp

Os pesquisadores reportaram a falha ao WhatsApp em julho de 2017. Como resposta, a empresa melhorou a segurança do aplicativo, tornando mais difícil identificar as mensagens mesmo que um invasor consiga decifrar a chave criptográfica.
Entretanto, a falha que permite adicionar pessoas em grupos não vai ser corrigida. O motivo é a dificuldade da vulnerabilidade ser explorada, segundo o próprio WhatsApp, já que, além do controle do servidor, o infiltrado seria rapidamente identificado por conta do alerta de novos membros. Outro motivo é que mudar a tecnologia para prevenir este tipo de ataque eliminaria o recurso que permite que um membro seja adicionado ao clicar em uma URL.

Orçamento de 2018 não prevê correção da tabela do IR, diz Receita Federal


O orçamento de 2018, já aprovado pelo Congresso Nacional, não prevê a correção da tabela do Imposto de Renda das Pessoas Físicas, informou nesta quinta-feira (11) a Secretaria da Receita Federal.
A tabela foi corrigida pela última vez em 2015. Portanto, com 2018 são três anos sem o ajuste. Segundo o Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Sindifisco Nacional), nos últimos 20 anos não houve correção da tabela do IR em quatro governo diferentes. No acumulado de 1996 a 2017, a defasagem é de 88,40%.
Se a defasagem fosse corrigida, a faixa de isenção de pagamento do Imposto de Renda, que hoje é para quem ganha até R$ 1.903,98, subiria para aqueles que recebem até R$ 3.556,56. O valor permitidos para as deduções também aumentaria. No caso do desconto por dependente, passaria de R$ 2.275,08 ao ano para R$ 4.286,28 ao ano, segundo o Sindifisco Nacional.
A ausência de correção ocorre em um cenário de crise econômica, que vêm se refletindo em déficits primários bilionários sucessivos nas contas públicas. Por conta disso, o governo não tem pressa para fazer o reajuste da tabela do IR, já que isso diminui a mordida do leão no salário do trabalhador e, por consequência, faz com que a arrecadação do governo seja menor (leia mais abaixo).
"No orçamento que foi aprovado no CN [Congresso Nacional] não está prevista a correção da tabela por falta de medida legal que a autorizasse no momento do envio do PLOA [projeto de lei orçamentária anual]", informou a Receita Federal, em resposta a questionamento do G1.
O presidente do Sindifisco Nacional, Cláudio Damasceno, diz que, ao não fazer a correção da tabela do IR, o governo toma posse "daquilo que não tem direito" e "achata a renda do trabalhador."
"Obriga-o [o trabalhador] a pagar mais imposto, dinheiro que poderia ser mais bem aplicado na poupança, no aprimoramento da formação educacional, no consumo", avaliou Damasceno.
Ele acrescentou que o "prejuízo do contribuinte não ficou maior porque o IPCA de 2017 foi um dos mais baixos em quase 20 anos". No ano passado, o IPCA, a inflação oficial, foi de 2,95%, a menor desde 1998.
Imposto de Renda
Desde 1996, tabela acumula defasagem de 88,40%
1.903,981.903,983.556,563.556,562.275,082.275,084.286,284.286,28Faixa de isenção hojeFaixa de isenção cor…Dedução por depen…Dedução por depen…01k2k3k4k5k
Dedução por dependente corrigida
4.286,28
Fonte: Sindifisco Nacional

Benefício para a classe média e alta

A correção da tabela do Imposto de Renda beneficiaria principalmente trabalhadores que ganham acima de R$ 1.903,98 por mês, a atual faixa de isenção do Imposto de Renda. Os trabalhadores informais que recebem menos de um salário mínimo, assim como aqueles empregados formalizados que têm seu salário atrelado ao valor do mínimo, não são beneficiados por eventuais correções da tabela.
No fim do ano passado, estudo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelou que 50% dos trabalhadores brasileiros recebem por mês, em média, 15% menos que o salário mínimo.
O levantamento foi feito ao longo de 2016 por meio da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD). Naquele ano, o salário mínimo era de R$ 880. Dos 88,9 milhões de trabalhadores ocupados no ano, 44,4 milhões recebiam, em média, R$ 747 por mês.
A lei brasileira prevê um salário mínimo para os trabalhadores com carteira assinada. O rendimento abaixo desse valor é possível entre a população com emprego informal e os trabalhadores por conta própria, como vendedores ambulantes e donos de pequenos negócios.
O rendimento médio real domiciliar per capita foi de R$ 1,2 mil por mês em 2016. Nas regiões Norte e Nordeste, a média foi de R$ 772. A maior média foi observada no Sudeste, com R$ 1,5 mil.
Cálculos do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) apontam que cerca de 47,9 milhões de pessoas, por sua vez, têm rendimento referenciado no salário mínimo - fixado pelo governo em R$ 954 para o ano de 2018. Entre essas pessoas, estão aposentados e pensionistas.

Dificuldade nas contas públicas

A ausência de proposta para reajustar da tabela do IR pelo terceiro ano consecutivo acontece em um momento de difculdade nas contas públicas.
No ano passado, as contas do governo registraram um rombo primário (despesas maiores do que receitas, sem contar os juros da dívida pública) recorde de R$ 154,25 bilhões, o equivalente a 2,4% do Produto Interno Bruto (PIB).
Em 2015, as contas do governo já tinham apresentado resultado ruim, com um déficit primário de R$ 114,9 bilhões. Para 2017, a estimativa de analistas e do governo é de que o déficit fiscal ficará novamente acima da marca dos R$ 120 bilhões - o resultado que será divulgado no fim de janeiro.
Para 2018, a estimativa é de um rombo de até R$ 159 bilhões. Mesmo nessa marca, analistas apontam que o governo poderá ter dificuldades para atingir esse valor, uma vez que as medidas de ajuste fiscal propostas no ano passado enfrentam dificuldades.
O adiamento do reajuste dos servidores e o aumento da alíquota da contribuição previdenciária, encaminhadas por meio de Medida Provisória, estão suspensas até o momento por conta de decisão liminar do Supremo Tribunal Federal (STF).
Além disso, o governo não conseguiu aprovar mudança na tributação de fundos de investimento, que garantiriam R$ 6 bilhões neste ano. Essa proposta continuará sendo analisada pelo Legislativo neste ano, mas poderá ser implementada, se aprovada, somente de 2019 em diante.
Por conta dessas dificuldades, expectativa é de que, até o início de fevereiro, o governo anuncie, assim como em todos os anos, um bloqueio bilionário de gastos no orçamento para tentar cumprir a meta de um déficit primário de até R$ 159 bilhões em suas contas neste ano.

Renúncias fiscais

Uma eventual correção na tabela do Imposto de Renda, neste ano, aumentaria o volume das chamadas "renúncias fiscais", ou seja, o valor que o governo deixa de arrecadar por conta de benefícios concedidos a pessoas físicas e empresas.
No ano passado, a estimativa é de que as chamadas renúncias tributárias, ou seja, a perda de arrecadação que o governo registra ao reduzir tributos com caráter "compensatório" ou "incentivador" para setores da economia e regiões do país, tenham somado algo em torno de R$ 284 bilhões.
Juntamente com os benefícios financeiros e creditícios (R$ 121,13 bilhões), os valores totais estão projetados em R$ 406 bilhões, com alta de 7,4% frente ao ano de 2016 (R$ 378 bilhões). Os números são da Receita Federal e do Tribunal de Contas da União (TCU).
O valor concedido em benefícios tributários e financeiros em 2017 superou todas as despesas com saúde e educação (sem contar pessoal), Bolsa Família, benefícios de prestação continuada (BPC), seguro-desemprego, abono salarial, Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), Fundeb e Fies, que, juntos, estão estimados em R$ 317,44 bilhões.
Nas renúncias, há uma miríade de benefícios. Entre eles: Zona Franca de Manaus, para empresas do Simples, pessoas físicas (deduções do IR de saúde e educação), cesta básica, exportações, energia, empregados domésticos, donas de casas, indústria automobilística, pessoas com deficiências, entidades sem fins lucrativos, filantrópicas, subsídios do BNDES, informática, desporto e crianças e adolescentes.