.

.

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Rapidinha do Presidente

Justiça mantém plano de saúde na CET
O Sindicato dos Engenheiros no Estado de São Paulo conseguiu, através de ação na 84ª Vara do Trabalho de São Paulo, liminar que garante a manutenção do atual plano de saúde na Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). A medida assegura a cobertura e a qualidade dos serviços.

Ao cancelar o atendimento ambulatorial aos seus funcionários nos hospitais do convênio e outras ações, a companhia descumpriu o que está previsto na cláusula 29 do acordo coletivo.

Mais informações: 
www.seesp.org.br
Sede de entidades metalúrgicas cutistas sofre ataque
A sede da Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT (CNM/CUT) e da Federação Estadual dos Metalúrgicos da CUT/SP foi atacada na madrugada de quinta (26). A fachada de vidro foi destruída e estilhaços ficaram espalhados pelo saguão e calçada.

Em nota oficial conjunta, as entidades condenaram o atentado. O prédio fica na avenida Antártico, 480, em São Bernardo do Campo, no ABC paulista.

Mais informações: 
www.cnmcut.org.br
Câmara concede Medalha Anchieta a Sergio Gomes

A Câmara Municipal realiza sessão solene hoje (27), às 19 horas, para entrega da Medalha Anchieta e Diploma de Gratidão da Cidade de São Paulo ao jornalista Sergio Gomes da Silva (Serjão). A iniciativa é do vereador Eliseu Gabriel (PSB).

Perfil - Sergio Gomes tem larga experiência na imprensa, com destaque para a comunicação sindical. Em 1978 fundou a Oboré, empresa pioneira no setor, que atualizou a linguagem sindical e deu um padrão mais profissional à comunicação das entidades.

Serjão é formado pela USP, onde foi professor de Jornalismo Sindical, Comunitário e Popular, entre 1986 e 1992. Na segunda fase da Oboré, desenvolveu o projeto Repórter do Futuro, formando seguidas turmas de comunicadores, orientados para um jornalismo mais militante e cidadão. Ativista do PCB, nos anos 70, Sergio Gomes é ex-preso político.

Convidados - 
Para a outorga da medalha, estão convidados jornalistas, artistas, ativistas dos direitos humanos e interessados em geral.

Mais informações: vivibueno@camara.sp.gov.br
Dieese lança nota sobre importância dos Sindicatos

O Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos divulgou Nota Técnica, que aborda a origem dos Sindicatos, o papel das entidades na conquista de avanços na legislação trabalhista, na defesa dos trabalhadores e sua atuação na sociedade.
A Nota está sendo distribuída via e-mail para as entidades filiadas e órgãos de comunicação. Também pode ser lida no site do Dieese.
Brics querem criar vagas e combater desemprego
Os membros do Brics (bloco formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) devem usar a experiência dos vários países, para criar novas vagas de trabalho e aumentar o crescimento econômico. A previsão é do representante do Ministério do Trabalho indiano, Sri Shankar Aggarwal. Ele lembra que o crescimento do bloco nos últimos anos não proporcionou aumento de vagas.
Confiança do consumidor cresce após seis meses de queda
O Índice de Confiança do Consumidor, medido pela Fundação Getulio Vargas, cresceu 1,3% em novembro, na comparação com outubro deste ano. É a primeira alta depois de seis quedas consecutivas do indicador (com ajuste sazonal). O índice alcançou 76,7 pontos, nível que ainda é considerado baixo em termos históricos.

Compromisso pelo Desenvolvimento agrega trabalho, capital e sociedade

Sindicalistas, Dieese, setor produtivo e outras entidades avançam nas articulações contra a recessão e pela retomada do crescimento. Eles organizam o “Compromisso pelo Desenvolvimento”, cujo manifesto será lançado dia 3, durante ato em São Paulo.

Agência Sindical 
acompanha as reuniões da CUT, Força, UGT, Nova Central, CTB e CSB, com o Dieese e entidades empresariais, voltadas para a retomada. Ontem (26), ouvimos Clemente Ganz Lúcio, diretor-técnico do Dieese e um dos encarregados da redação do documento. Ele informa que o texto deve ser finalizado até segunda (30), para ser divulgado dia 3, durante ato no Espaço Hakka, na Liberdade.

Centro - 
A tarefa imediata é retomar o desenvolvimento nacional, adianta o diretor técnico do Dieese. Para tanto, o manifesto vai cobrar: retomada dos investimentos estatais e privados, sobretudo em infraestrutura; destravamento de obras paradas pelo “petrolão”, que paralisa empresas e gera desemprego; ampliação do crédito às famílias; e linhas de financiamento para capital de giro, especialmente das pequenas empresas. O mais imediato, e urgente, é reaquecer o setor do petróleo e gás, com forte atuação da Petrobras.

Vídeo - 
Durante o ato, será exibido vídeo com depoimentos de economistas renomados, que se posicionam contra a atual política econômica e cobram o retorno do crescimento.

Entidades - 
O “Compromisso pelo Desenvolvimento” – que tem participação das Centrais Sindicais e de entidades empresariais como Anfavea, Sindipeças, Abit, Sinicon, entre outras – visa agregar outras entidades da sociedade ao movimento.

Mais informações: sites das 
Centrais

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Gerente de restaurante da Tijuca é preso no Rio por injúria racial

Ele teria dado bananas a entregadores no Feriado da Consciência Negra. Homem pagou fiança de R$ 800 e foi liberado.

Marcelo Elizardo e Cristina BoeckelDo G1 Rio
Entregador exibe banana que teria recebido do gerente do bar Garota da Tijuca (Foto: Leonardo Valentim/ Arquivo pessoal)Entregador exibe banana que teria recebido do gerente do bar Garota da Tijuca (Foto: Leonardo Valentim/ Arquivo pessoal)
O gerente do restaurante Garota da Tijuca, na Zona Norte do Rio, foi preso em flagrante por injúria racial, na sexta-feira (20). Ascendino Correia Leal teria oferecido bananas a três entregadores de bebidas negros como "homenagem" ao feriado da Consciência Negra. As vítimas acionaram a polícia e o gerente foi levado para a 19ª DP (Tijuca).
Leonardo Valentim, motorista do caminhão que entregava bebida no bar, contou que ele e os dois entregadores estavam fazendo uma entrega no estabelecimento. "Ele foi em cada um de nós e ofereceu as bananas e disse que era em homenagem ao Dia da Consciência Negra. E ainda completou que ‘é uma para cada um que vocês, que são todos da mesma raça", disse Leonardo.
O gerente do bar Garota da Tijuca foi acusado de injúria racial por entregadores de bebida (Foto: Marcelo Elizardo/ G1)O gerente do bar Garota da Tijuca foi acusado de
injúria racial por entregadores de bebida
(Foto: Marcelo Elizardo/ G1)
Segundo o delegado-titular da unidade, os depoimentos apontam que Ascendino acreditou estar fazendo uma brincadeira. "De mau gosto", acrescentou Celso Gustavo Castello Ribeiro. William Dias Delfim, outra vítima, afirmou em depoimento que o gerente tentou desfazer o constrangimento e entrou no restaurante rindo. No entanto, Leonardo teria discutido com o gerente pelo ocorrido e chamado a Polícia Militar.
Ascendino pagou fiança de R$ 800 e foi liberado no mesmo dia. Ele pode pegar de um a três anos de prisão e mais multa. O G1 procurou o gerente no Bar Garota da Tijuca e foi informado que ele está licenciado desde o episódio. O dono do estabelecimento estaria viajando. No registro de ocorrência, os dois entregadores afirmaram que não conheciam o gerente.
Leonardo afirma que relembrar o caso faz mal a ele e que chegou a pensar em agredir o homem, mas pensou melhor e viu que isso iria transformar o autor em vítima.
"A gente vê isso acontecendo pela TV, com jogadores de futebol, e até com artistas, como a Taís Araújo, e não imagina que uma coisa dessas vai acontecer com a gente", afirma Leonardo.
Bananas foram oferecidas aos entregadores por um gerente do bar Garota da Tijuca (Foto: Leonardo Valentim/ Arquivo pessoal)Bananas foram oferecidas aos entregadores por um gerente do bar Garota da Tijuca (Foto: Leonardo Valentim/ Arquivo pessoal)
Segundo registro de ocorrência, gerente ofereceu bananas em 'homenagem' do Dia da Consciência Negra (Foto: Marcelo Elizardo/ G1)Segundo registro de ocorrência, gerente ofereceu bananas em 'homenagem' do Dia da Consciência Negra (Foto: Marcelo Elizardo/ G1)

Tudo Por Dinheiro! conhecido pelo papel de Thor nos cinemas que IChris Hemsworth posta foto muito magro e divulga 'No coração do mar'


O ator australiano em 'Thor' (2011), à esquerda, e em imagem postada por ele no Instagram neste domingo (22), para divulgação 'No coração do mar' (Foto: Divulgação e Reprodução/Instagram/chrishemsworth)O ator australiano em 'Thor' (2011), à esquerda, e em imagem postada por ele no Instagram neste domingo (22), para divulgar 'No coração do mar' (Foto: Divulgação e Reprodução/Instagram/chrishemsworth)
O ator australiano Chris Hemsworth, conhecido pelo papel de Thor nos cinemas, divulgou neste domingo (22) uma foto em que exibe um físico bastante diferente daquele que o consagrou. "Acabo de tentar uma nova dieta/programa de treinamento chamado 'Perdido em alto mar'. Eu não recomendaria... #NoCoraçãodoMar", escreveu ele em seu perfil no Instagram.
Assista, abaixo, ao trailer de 'No coração do mar'.

Na hashtag, Hemsworth cita o filme 'No coração do mar", do qual ele é protagonista e que tem previsão de estrear em 3 de dezembro no Brasil. O diretor é Ron Howard, vencedor do Oscar por "Uma mente brilhante".

O roteiro de "No coração do mar" baseia-se no livro homônimo escrito pelo historiador Nathaniel Philbrick. A obra conta a dramática jornada do barco Essex, que foi atacado por uma baleia com sentido de vingança quase humano. O desastre marítimo ocorreu na vida real e inspirou Herman Melville a escrever o clássico "Moby Dick".
Tragédia em alto mar
À medida que a tripulação sobrevivente do Essex acabou levada aos seus limites, ela foi forçada a fazer o impensável para permanecer viva. Enfrentando tempestades, fome, pânico e desespero, os homens foram levados a questionar suas crenças mais profundas.

Em "No coração do mar", Chris Hemsworth interpreta o veterano marinheiro Owen Chase. O elenco tem ainda Benjamin Walker (“Abraham Lincoln: Caçador de vampiros”) como George Pollard, o inexperiente capitão; Cillian Murphy (“Batman: O cavaleiro das trevas ressurge”) como Matthew Joy, o segundo oficial; e Ben Whishaw (“007: Operação Skyfall”) como o escritor Herman Melville, cujas investigações sobre o evento 30 anos mais tarde ajudaram a trazer a história à tona.

O Zagueiro Diego Lugano pode está de volta ao futebol brasileiro em 2016


Juan Figer diz que 'jogador já conhece' teor das tratativas do clube e não descarta presença na festa de Rogério Ceni

FUTEBOL BRASILEIROPOR FUTEBOL BRASILEIRO
Uruguaio Diego Lugano atua pelo Cerro Porteño-PAR e pode pintar no São Paulo (Foto: Divulgação)
Uruguaio Diego Lugano atua pelo Cerro Porteño-PAR e pode pintar no São Paulo (Foto: Divulgação)
Um dia depois da histórica goleada sofrida pelo São Paulo para o Corinthians por 6 a 1, o torcedor tricolor recebeu uma notícia que pode ao menos diminuir a tristeza pelo resultado. De acordo com declarações do empresário Juan Figer ao Blog do Boleiro, ligado ao portal Uol, a cúpula do clube do Morumbi já entrou em contato com a intenção de contratar o zagueiro Diego Lugano para 2016.
O desempenho abaixo do esperado no último domingo (22), em que os três primeiros gols do Timão foram marcados após lances de bola aérea, pode ter acelerado a movimentação para a vinda do defensor uruguaio. “Eles (São Paulo) já falaram comigo. O jogador já conhece a situação. Estamos aguardando”, garantiu o agente.
As negociações entre Lugano e São Paulo teriam tido início ainda na época em que a agremiação era presidida por Carlos Miguel Aidar, mesmo tendo como opositor o vice de futebol Ataíde Gil Guerreiro, favorável a dar chances para os jovens da base, em vez de apostar em um atleta mais rodado. Curiosamente, a derrota no Majestoso veio com uma dupla de zaga titular formada em Cotia, na base tricolor, com Lucão e Rodrigo Caio.
O torcedor são-paulino pode nem mesmo ter de esperar tanto para ver Lugano com a camisa do clube novamente, ainda que de forma não oficial. O jogador foi um dos convidados para participarem do jogo de despedida do goleiro Rogério Ceni do futebol profissional, confirmado para o dia 11 de dezembro, em um evento que promete grande festa aos presentes. “Se ele não tiver compromisso com o Cerro Portenho, ele virá”, prometeu Figer.
Enquanto isso, o São Paulo terá como próximo compromisso o duelo contra o Figueirense, neste sábado (28), no estádio do Morumbi, a partir das 17h (de Brasília). Apesar da goleada sofrida, o Tricolor segue no G-4 do Brasileirão, com os mesmos 56 pontos do quinto, o Internacional, e um a mais que o Santos, o sexto.

Conmebol planeja ranking para definir os cabeças de chave da Libertadores

Juan Ángel Napout presidente Conmebol (Foto: AP)Juan Ángel Napout estuda mudanças na Libertadores (AP)
O presidente da Conmebol, Juan Angel Napout, anunciou que planeja fazer mudanças no futebol sul-americano. Uma delas seria implementar um ranking de clubes que definiria, por exemplo, os cabeças de chave da Taça Libertadores. A medida já passaria a valer a partir de 2016, e a lista deve ser feita com base em números de títulos e pontos ganhos acumulados ao longo da última década.
- Vamos ter um ranking de clubes. E os cabeças de chave desse ranking serão definidos de acordo com esse ranking. Estamos trabalhando arduamente para fazer o torneio ainda mais emocionante, lançando esse ranking com base no histórico e no desempenho dos clubes nos últimos dez anos. Ao mesmo tempo, queremos dar maior valor aos clubes pela sua participação – disse Napout, em entrevista publicada no site oficial da entidade.
Outros pontos foram abordados, como as mudanças nos contratos de transmissão. Além disso, o presidente disse que pretende fazer mudanças no sistema de classificação para a Recopa Sul-Americana. O assunto entra em pauta por conta da situação do River Plate, atual campeão da Libertadores e da Sul-Americana (nesta temporada, o time argentino já está na semifinal novamente). 
- Pode repetir o caso do Olímpia em 90, que ganho a Libertadores e a Supercopa e levou a Recopa sem jogar. Se isso acontecer, podemos escolher vice-campeões. O Comitê Executivo vai estudar uma forma na qual a final da Recopa seja sempre jogada com representantes da Libertadores e da Copa Sul-Americana. 
Até o momento, Corinthians e Atlético-MG são os brasileiros garantidos na próxima edição da Libertadores. O Grêmio está praticamente classificado, enquanto São Paulo, Inter e Santos brigam pelo último lugar no G-4. O Peixe ainda decide a Copa do Brasil com o Palmeiras e pode garantir o sua vaga por lá também.

Gerdau: sindicatos denunciam prática antissindical e querem reunião com MDIC

Representantes de sindicatos discutem
Representantes de sindicatos discutem ações para combater prática antissindical na Gerdau
A Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT (CNM/CUT) e seis sindicatos que têm em suas bases unidades da Gerdau querem uma audiência com o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio (MDIC) para debater medidas que assegurem os direitos dos trabalhadores e também de estímulo ao setor siderúrgico no país.
Em reunião realizada na manhã desta quarta-feira (18), na sede da CNM/CUT, em São Bernardo do Campo (SP), representantes dos sindicatos avaliaram propostas de ação para se contrapor aos ataques aos direitos e às práticas antissindicais da empresa, que não quer cumprir acordos coletivos de trabalho já assinados em três bases e nem assinar acordos nas outras três.
De acordo com relatos dos sindicalistas, a Gerdau quer trocar o reajuste por abono salarial e tem pressionado os metalúrgicos a assinarem uma lista concordando com essa proposta, que já foi rejeitada em assembleias feitas com os trabalhadores nas seis plantas (Sapucaia do Sul/RS, Pindamonhangaba/SP, Araçariguama/SP, Vitória/ES, Recife/PE e Parnamirim/RN).
Diante da pressão e das dificuldades das entidades em garantir que a siderúrgica cumpra com os acordos e a legislação, na reunião de hoje ficou acertado que a CNM/CUT formalizará uma denúncia contra a prática antissindical da Gerdau junto à Organização Internacional do Trabalho (OIT) e à IndustriALL Global Union (federação internacional dos trabalhadores na indústria).

Crédito: CNM/CUT
Reunião
Reunião decidiu pedir audiência com ministro do Desenvolvimento
Assembleias já rejeitaram proposta
Os sindicalistas reiteraram a posição comum de não aceitar trocar o reajuste salarial por abono, já tomada em assembleias dos metalúrgicos nas portarias das plantas. “A reposição da inflação é sagrada e os trabalhadores não podem abrir mão disso, porque o abono aprofundará as perdas salariais no futuro e trará prejuízos em remunerações como férias, 13º, FGTS e aposentadoria futura”, lembrou Loricardo de Oliveira, secretário geral em exercício da CNM/CUT.
Loricardo lembrou que a Confederação tem propostas sobre a indústria siderúrgica e quer debatê-las com o governo e os empresários. “Ontem (17) mesmo, nos reunimos com representantes do Instituto Aço Brasil para discutirmos a situação do segmento e reafirmar nossa posição de que os trabalhadores não podem ser as vítimas do desaquecimento industrial [leia aqui]”, afirmou o dirigente.

(Fonte: Assessoria de Imprensa da CNM/CUT)

Segmento automotivo: metalúrgicos querem novas políticas para gerar emprego e renda

Encontro promovido pela CNM/CUT debateu situação do setor e ações para unificar direitos dos trabalhadores nas montadoras, reafirmando importância do Contrato Coletivo Nacional de Trabalho.

Crédito: CNM/CUT
Durante três dias, participantes debateram conjuntura do segmento e realidades locais
Durante três dias, participantes debateram conjuntura do segmento e as realidades locais
Os metalúrgicos da CUT que trabalham na indústria automobilística em todo o país vão formular propostas ao governo para que o segmento volte a ser estimulado no país, como mecanismo para a retomada do crescimento e da geração de empregose renda.

Esta foi uma das decisões tomadas no 3º Encontro Nacional de Trabalhadores (as) no Setor Automotivo, encerrado no início da tarde de ontem (18) e que foi promovido pela Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT (CNM/CUT), em sua sede, em São Bernardo do Campo (SP).

A atividade integra as ações da Secretaria de Formação da entidade e, pela primeira vez, reuniu representantes dos trabalhadores em todas as montadoras da base cutista. “Isso tornou o debate mais produtivo, porque ele não foi focado em uma única região, o ABC paulista, mas teve de fato uma dimensão nacional”, ponderou Michelle Marques, secretária de Formação da Confederação, dizendo que, dessa forma, a entidade cumpre o seu papel de envolver todo o país na discussão estratégica das ações sindicais no setor. A secretária também é a coordenadora do segmento automotivo na CNM/CUT.
 
Crédito: CNM/CUT
Marcelo Loural
Marcelo Loural fala sobre a conjuntura do segmento
O encontro teve início na segunda-feira (16). Ao longo dos três dias, os participantes puderam trocar experiências, falar sobre a realidade das montadoras em cada região, a conjuntura nacional e internacional do segmento e os impactos do Programa Inovar-Auto - que estabeleceu diretrizes para a indústria automotiva nacional -, além de debater o papel das entidades sindicais para a formulação de propostas tanto no âmbito sindical quanto junto aos fóruns de deliberação da política industrial.

Para qualificar a discussão, houve painéis com especialistas: Marcelo Loural, professor e mestre em economia do Trabalho da Universidade de Campinas, que falou sobre a conjuntura do segmento; e os economistas do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), Fausto Augusto Júnior (da Subseção dos Metalúrgicos do ABC), que abordou o histórico das montadoras e seus processos produtivos e atualizou informações sobre o Inovar-Auto; e André Cardoso (da Subseção da CNM/CUT), que apresentou um perfil da indústria automotiva no país.
“A partir do raio X feito pelos especialistas, ficou claro que medidas de estímulo ao consumo são fundamentais para o setor automotivo. Quando isso não acontece, os impactos sobre os trabalhadores são imediatos. Por isso, é nosso papel formular propostas que, além do desenvolvimento do setor, assegurem principalmente as contrapartidas trabalhistas”, afirmou a dirigente da CNM/CUT.

A partir dos debates feitos no evento, a Confederação vai, junto com os sindicatos, elaborar as propostas a serem levadas ao governo.
 
   Crédito: CNM/CUT
Michelle e Paulo Cayres na abertura
    Michelle Marques e Paulo Cayres na abertura
“Organizar globalmente, agir localmente”
“Temos de ter estratégias comuns, respeitando as realidades regionais, mas atuando globalmente. Vale aquele preceito do movimento sindical: organizar globalmente e agir localmente”, assinalou Michelle na abertura do evento, lembrando do percurso formativo desenvolvido pela Confederação para os trabalhadores no segmento.

O presidente da CNM/CUT, Paulo Cayres, disse também na abertura que a entidade e as centrais sindicais querem discutir com o governo medidas para a retomada do crescimento industrial, para que os trabalhadores possam recuperar os empregos em vários segmentos.

Ele também anunciou o acampamento de sindicalistas em Brasília – que foi iniciado ontem (18) – para pressionar o Congresso Nacional a focar sua ação na pauta da classe trabalhadora e para se posicionar contra a tentativa de golpe no pais.
Direitos dos trabalhadores e práticas antissindicais
Durante os três dias do Encontro, houve uma rica troca de experiências, com relatos sobre cada montadora, o que evidenciou a diferença de direitos entre os metalúrgicos do segmento e a prática antissindical adotada, por exemplo, pela Fiat tanto em Betim (MG) quanto em Campo Largo (PR); a empresa continua tentando impedir a organização dos trabalhadores e a ação dos sindicatos para defender os direitos da categoria.

A partir dos relatos, ficou claro para os participantes a necessidade de lutar pelo Contrato Coletivo Nacional de Trabalho no segmento, que é uma das grandes bandeiras da CNM/CUT e seus sindicatos.
Crédito: CNM/CUT
Representantes dos Comitês Mundiais
Painel com representantes dos Comitês Mundiais 
Além disso, outro tema no evento abordado foi o Programa de Proteção ao Emprego (PPE), que está em vigor e que assegurou milhares de postos de trabalho nas montadoras e em autopeças. E houve painel com os representantes dos trabalhadores nos Comitês Mundiais de montadoras, que falaram sobre a importância da organização internacional e das ações solidárias para impedir ataques a direitos nas plantas dos mais diferentes países.
Crédito: CNM/CUT
Encontro reuniu representantes de todas as plantas da base cutista
Encontro reuniu representantes de todas as plantas da base cutista

“O retorno dado pelos participantes mostrou que o encontro acabou sendo muito produtivo. E nos deu a certeza de que temos de construir junto as políticas sindicais para unificar direitos e avançar num ponto fundamental para garanti-los: a organização no local de trabalho”, avaliou Michelle Marques.

Participaram do encontro metalúrgicos de Sorocaba, ABC, Taubaté e São Carlos (SP), de Juiz de Fora (MG), Ponta Grossa e Campo Largo (PR), Araquari (SC) e Pernambuco.
(Fonte: Assessoria de Imprensa da CNM/CUT)

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Jarlis Adelino Fala de Pessoas que Deixaram Saudades!!!

Conheça a indiana que plantou centenas de árvores, ganhou fama mundial e hoje vive na pobreza


071 
Por Bruno Rizzato
Saalumarada Thimmakka é uma ambientalista que, junto com seu falecido marido, plantou e cuidou de 384 figueiras em sua cidade natal, na aldeia Hulikal, em Karnataka, na Índia. Agora, aos 103 anos, ela vive para contar sua história e motivar outras pessoas.
Quando Thimmakka era uma menina, ela casou-se com um fazendeiro chamado Chikkaiah e, juntos, eles resolveram ir além de trabalhar na lavoura. O casal não teve filhos por anos, para poder ajudar seus conterrâneos de uma forma diferente. “Um dia, nós pensamos: por que não plantamos árvores e cuidamos delas como nossos filhos?!”, contou Thimmakka.

Eles começaram plantando 10 mudas de figueiras, que cresciam abundantemente em sua aldeia. Usando os seus poucos recursos, eles plantaram essas mudas em um trecho vazio de terra de cerca de quatro quilômetros.
 071 1
Não havia água disponível na área, e o casal enchia quatro baldes em sua casa e levava até o local, percorrendo todo o caminho diariamente. Eles protegiam as mudas dos animais e de doenças e, no ano seguinte, plantaram mais 15 mudas, depois, 20 no outro e assim continuaram ano após ano. O casal conseguiu, ao longo do tempo, plantar um total de 384 árvores.

Hoje, as árvores abrangem cinco quilômetros entre as aldeias de Hulikal e Kudoor, a cerca de 80 quilômetros da capital do estado de Bangalore, e são cuidadas pelo Governo de Karnataka.

Infelizmente, Chikkaiah morreu em 1991, mas Thimmakka recebeu vários prêmios estaduais e nacionais, incluindo o Prêmio de Cidadão Nacional, em 1995 e o Godfrey Phillips Bravery Award, em 2006. Ela foi homenageada por vários países, ativistas ambientais e organizações sociais.
 071 2
Apesar de todo o reconhecimento que recebeu, infelizmente, Thimmakka ainda vive em extrema pobreza. Ela é proprietária de uma modesta casa de três quartos e ressalta que, embora as pessoas premiem-na com certificados e medalhas, ninguém jamais ofereceu-lhe quantias em dinheiro. Ela diz que, às vezes, suspeita que as pessoas usam sua imagem para arrecadar fundos, mas nunca compartilham com ela.
Thimmakka recorda que o local em que ela e seu marido viveram foi tomado por parentes gananciosos, mas ela admite que o governo lhe concedeu um novo pedaço de terra para viver, e uma pequena pensão mensal de 500 rupias. Ela acabou adotando um filho para lhe fazer companhia, que agora cuida de suas aparições públicas e eventos. “Meu filho foi inspirado por mim para realizar atividades relacionadas com a ecologia em uma cidade próxima. Ele cuida de toda a minha papelada, pois eu não sei ler e escrever”, contou.

Apesar de sua idade, Thimmakka ainda é apaixonada por sua história e por fazer a diferença na humanidade. “Eu tenho vontade de iniciar um hospital, mas ninguém parece interessado. Eu vou continuar tentando”, concluiu a ambientalista.

Torrada e batata frita podem ser cancerígenas, confirma Reino Unido

A batata, quando frita, sofre uma reação química que libera a acrilamida, substância que é cancerígena
O aminoácido asparagina reage com a glicose (ou frutose) e libera a acrilamida, substância já conhecida por causar câncer em ratos. Além das torradas e batata frita, a beterraba, os pães e os cereais costumam conter esses três ingredientes, mas, como não é hábito o consumo desses últimos alimentos submetidos à altas temperaturas (acima de 120ºC), a reação química não acontece e o risco de acúmulo de acrilamida não existe.
A acrilamida é maléfica porque, segundo um estudo publicado no Journal of the National Cancer Institute, ela pode conduzir à mutações no DNA, que, por sua vez, podem causar câncer. 
Câncer de ovário e endométrio em mulheres
Um estudo publicado no periódico Cancer Epidemiology, Biomarkers & Prevention acompanhou 62 mil mulheres ao longo de 11 anos e descobriu que aquelas que consumiam acrilamida na dieta (por meio desses alimentos aquecidos a mais de 120ºC), tinham mais chance de desenvolver câncer de endométrio e ovário depois da menopausa em relação àquelas em que a acrilamida não fazia parte do dia a dia.

Novo método se mostra mais eficaz para diagnóstico de câncer de próstata

Pesquisadores do Instituto de Karolinska, na Suécia, desenvolveram um novo teste para diagnóstico de câncer de próstata. Batizado com nome de STHLM3, o método se mostrou mais eficaz que o usual exame, conhecido como PSA. Unindo exames de sangue que buscam por uma combinação de seis marcadores proteicos, 200 marcadores genéticos e análise de dados clínicos, como idade, histórico familiar e avaliações antecedentes para a doença, o STHLM3 é capaz de identificar formas mais agressivas dos tumores ao mesmo tempo em que reduziu a incidência de falsos positivos, evitando que os pacientes passassem por tratamentos arriscados ou biópsias dolorosas.
O estudo  analisou os resultados dos testes PSA e STHLM3 realizados em 58.818 homens de Estocolmo, com idades entre 50 e 69 anos, entre 2012 e 2014. As análises mostraram que o STHLM3 reduziu o número de biópsias em 30% sem comprometer a segurança dos pacientes. Além disso, o novo método encontrou casos agressivos de câncer em homens com baixos valores no teste PSA, e que por isso não teriam a doença diagnosticada a tempo de ser combatida.
Dilemas masculinos ainda são entraves para diagnóstico
Os dados comprovam: o tumor na próstata é a quinta doença que mais mata no mundo e a segunda mais comum entre os brasileiros. Somente este ano, são esperados mais de 60 mil novos casos em todo o país. A notícia boa é que, segundo a última pesquisa realizada pelo Instituto Nacional de Câncer (Inca), o aumento da expectativa de vida e a melhoria nos métodos de diagnósticos, além da evolução dos sistemas de informação, contribuíram para que mais casos pudessem ser descobertos e tratados rapidamente. No entanto, ainda não é o suficiente. Com o objetivo de diminuir a incidência da doença e alertar a população sobre a importância da prevenção e diagnóstico precoce, o Instituto Lado a Lado pela Vida, em parceria com diversos setores da sociedade, promove, desde 2012, a campanha Novembro Azul.
Para o oncologista Victor Marcondes, médico da Clínica Oncomed, é preciso que os homens superem os tabus que os afastam dos consultórios e, acima de tudo, mudar hábitos do cotidiano que contribuem para o surgimento desse tipo de tumor. “Campanhas, como o Novembro Azul, têm o papel de alertar os homens sobre a realização de um diagnóstico precoce. Mas, para que haja uma diminuição na incidência do câncer de próstata, é fundamental ter atenção aos fatores de risco, como alimentação inadequada, sedentarismo e obesidade”, afirma Marcondes.
De olho no histórico familiar
Segundo a Sociedade Brasileira de urologia, o ideal é que os médicos conversem com os pacientes que possuem 50 anos ou mais sobre a importância de realizar o rastreio do câncer de próstata. Os procedimentos indicados são o exame de toque retal e uma dosagem de PSA (substância encontrada no sangue que, em níveis maiores que 4ng/ml, aumenta os riscos de incidência da doença). Marcondes chama atenção ainda para o histórico familiar, que influencia na possibilidade de desenvolvimento da doença nos homens acima dos 50.
“Indivíduos com histórico de um ou mais parentes de primeiro grau afetados pelo câncer de próstata têm risco maior de desenvolver a doença. E quanto maior o número de parentes de primeiro grau afetados, maior a possibilidade da doença atingir os demais membros da família. Outra questão importante é que o câncer de próstata tem maior incidência em negros do que na população de cor branca”.
Possibilidade de infertilidade preocupa
Uma das principais preocupações dos pacientes é a possibilidade de a cirurgia para a retirada do tumor causar infertilidade. Segundo Maria Cecília Erthal, especialista em reprodução humana do Vida -  Centro de fertilidade da Rede D’Or, já existem métodos eficazes para que o homem possa ter filhos após a doença.  Segundo ela, o combate ao tumor deve vir em primeiro lugar, e o mais prejudicial é a falta de esclarecimento.
“Este é um trabalho que sempre tentamos realizar: orientar os homens que hoje existe vida após o câncer. Com as crescentes taxas de cura, a vida continua por muitos anos após o tratamento e devemos sempre nos preocupar com a qualidade dessa vida. A técnica de congelamento de espermatozoides, por exemplo, já é bem conhecida e dominada há mais de 60 anos”, explica.
Equilíbrio emocional é fundamental para a recuperação
As principais sequelas acontecem quando há a cirurgia de retirada total da próstata, conhecida como prostatectomia radical. Esse tipo de procedimento pode resultar em disfunção erétil, incontinência urinária e complicações relacionadas ao momento da cirurgia, como infarto, trombose, infecções, entre outros. O paciente deve manter um acompanhamento frequente com o seu médico após a cirurgia para que seja feita uma avaliação personalizada sobre o surgimento de complicações.
O oncologista Victor Marcondes ressalta que a incontinência urinária é uma das sequelas que mais incomodam os homens. No entanto, segundo o médico, o estado emocional do paciente é o fator que mais influencia. “O dano à musculatura do esfíncter pode levar, sim, à incontinência urinária. Apesar disso, a principal causa para o aparecimento do problema é o estresse emocional. E apenas menos de 1% dos casos necessitam da implantação de um esfíncter artificial para correção da incontinência”, explica Marcondes.

Collor gastou R$ 3 milhões com cartões de crédito em 3 anos, diz PF

Os gastos do senador Fernando Collor (PTB-AL) com cartão de crédito entre 2011 e 2013 foram considerados incompatíveis com a renda declarada por ele à Receita Federal, segundo laudo da Polícia Federal que analisou os rendimentos do parlamentar no período.
O laudo 1480, a que o jornal O Estado de S.Paulo teve acesso, foi finalizado no último 25 de setembro. Nos anos investigados, as faturas de três cartões de crédito do senador somaram pouco mais de R$ 3 milhões; enquanto que seu rendimento declarado, basicamente o salário de senador em todo período, foi cerca de R$ 700 mil, já considerados os descontos.
O laudo pericial foi anexado ao inquérito do Supremo Tribunal Federal (STF) que investiga o senador por suspeita de receber propina do esquema de corrupção descoberto pela Operação Lava Jato. "A movimentação com cartão é incompatível com os rendimentos declarados", afirma o documento.
As investigações revelaram que o senador gastou quase cinco vezes mais do que declarou ter recebido para pagar a fatura do cartão de crédito entre 2011 e 2013. Embora seja sócio das empresas Água Branca Participações, TV Gazeta e Gazeta de Alagoas, o senador só incluiu nas declarações de imposto de renda do período investigado os rendimentos do Senado.
Após deixar a presidência da República, Collor voltou à política em 2007 quando foi eleito para um primeiro mandato de oito anos em 2007 e reeleito em 2015. O laudo também aponta um "montante expressivo" de empréstimos contraídos pelo senador junto à TV Gazeta de Alagoas no período analisado que ajudaram o petebista a justificar seu crescimento patrimonial.
"Se não tivesse o empréstimo, o crescimento patrimonial seria incompatível. Há indícios de empréstimos fictícios", concluíram os policiais. Os peritos também consideraram "desproporcional" o fato de Collor ter apenas 12,28% da TV para contrair os empréstimos milionários.
Em apenas um dos anos investigado, um deles correspondeu a 110 vezes o patrimônio do senador. "Empréstimos concedidos a pessoas ligaram corresponderam 70% ao ativo contábil da empresa" que tem outro objeto. A Polícia Federal fez ainda um segundo laudo sobre as contas do senador Fernando Collor para a investigação Lava Jato. Finalizado em 6 de outubro deste ano, o laudo 1547 reforça as suspeitas sobre os repasses da TV Gazeta Alagoas para Collor.
Descobriu que sequencialmente valores eram depositados na conta da TV e no mesmo dia eram repassados para duas contas bancárias da firma e na sequência transferidos para contas de Collor integralmente ou em parte. O jornal Folha de S. Paulo revelou nesta quinta-feira, 19, que parte do dinheiro foi usado por Collor para pagar prestações de carros de luxo apreendidos pela PF na Lava Jato e já liberados.
No período investigado nesse laudo, 2011 a 2014, Collor declarou a compra dos carros como Cadilac SRX, Hyundai Azera, Honda Acoord, Land Rover, Hyundai Vera Cruz, Toyota Hilux. Na mesma época, ele declarou a venda da Ferrari S-43, Maserati, Toyota Hilux e Hyundai Azera. O laudo identificou ainda 469 depósitos na conta do senador de R$ 2 mil feitos em 33 datas de 2011 a 2014 totalizando R$ 938 mil e 46 depósitos de R$ 1.500 num total de R$ 69 mil. As repetições, segundo o entendimento do Banco Central, podem indicar lavagem de dinheiro.
Os policiais identificaram que um assessor de Collor no Senado fez depósito na conta da empresa depois transferido para o senador. Num mesmo dia também foram feitos quatro depósitos num intervalo de quatro minutos. O mesmo laudo também confirma informação de Rafael Ângulo, funcionário do doleiro Alberto Youssef que atuava na entrega de dinheiro do esquema, de que ele viajou para Maceió e era recebido no aeroporto por um diretor da TV Gazeta de Alagoas.
O advogado de Collor foi procurado pela reportagem pelo celular e por meio de mensagem, mas não ligou de volta. A defesa tem negado qualquer envolvimento do senador com o esquema da Lava Jato. O advogado Fernando Neves, que representa o senador, disse que "não pode comentar sobre esse assunto porque os processos correm em segredo de Justiça".

Mariana: ‘É a maior catástrofe ambiental do País', diz a ministra do Meio Ambiente

Publicado: Atualizado: 
IZABELLA TEIXEIRA

“É a maior catástrofe ambiental do País. Isso é inegável”, definiu a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, sobre a tragédia de Mariana. Em entrevista à CBN, após conversar com o governador do Espírito Santo, Paulo Hartung, a ministra afirmou que o acidente é de enorme dimensão e destacou que a lama chegará ao mar.
“Eu vi o acidente. É impressionante o impacto, na fauna, flora e também nas atividades econômicas.”
Segundo ela, Colatina (ES) está abastecida porque a população e a indústria estocaram água. Por causa das chuvas, a lama também está menos concentrada.
Ainda de acordo com a ministra, há 16 barragens do País que apresentam sérios problemas. Elas são fiscalizadas pelo Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), ligado ao Ministério de Minas e Energia.
Na terça-feira (17), a ministra disse que a recuperação do Rio Doce, atingido pelo tsunami de lama do rompimento de uma barragem e transbordamento de outra da mineradora Samarco, levará pelo menos 10 anos.

Adesão de empresas ao PPE preserva 30 mil postos de trabalho

Segundo o Ministério do Trabalho, foram assinados 33 acordos e há 42 pedidos sendo analisados. Do total, 27 são do setor automobilístico e 54 de São Paulo
por Redação RBA publicado 19/11/2015 17:49, última modificação 19/11/2015 18:56
VALTER CAMPANATO/ABR
ursos1.jpg
Projeto foi sancionado nesta quinta-feira (19) pela presidenta Dilma Rousseff
Criado pelo governo em julho, o Programa de Proteção ao Emprego (PPE) tem, até ontem (18), 33 termos de adesão assinado por 23 empresas, incluindo filiais e matrizes. Esses acordos preservam 30.202 empregos, segundo balanço divulgado hoje pelo Ministério do Trabalho e Previdência Social. De acordo com o MTPS, há outros 42 processos em análise. O projeto foi sancionado hoje pela presidenta Dilma Rousseff.
Caso todos esses pedidos sejam aprovados, o número de postos de trabalho mantidos subirá para 42.466. E os investimentos do Estado em benefícios aumentarão dos atuais R$ 91,6 milhões para R$ 121,2 milhões. Conforme projeção do ministério, se os 30 mil trabalhadores já incluídos tivessem sido dispensados, o gasto com seguro-desemprego somaria aproximadamente R$ 184,1 milhões.
Segundo o balanço, dos 75 pedidos de adesão (33 já aprovados e 42 em estudo), 27 são do setor automobilístico e 17, de outras áreas do ramo metalúrgico. O estado de São Paulo concentra 54 empresas, seguido de Minas Gerais (oito), Rio Grande do Sul (quatro), Rio de Janeiro e Paraná (três cada) e Santa Catarina (dois).
Originalmente, a medida provisória que criou o PPE previa 31 de dezembro deste ano como prazo final de adesão. Na tramitação no Congresso, essa data foi alterada para 2016. Também houve mudança no tempo máximo de participação das empresas – de 12 para 24 meses.
Pelo programa, jornada e salários podem ser reduzidos em até 30%. Metade da perda salarial é complementada com recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), com limite de 65% do maior benefício do seguro-desemprego.
Na cerimônia de sanção, a presidenta Dilma afirmou que o PPE é vantajoso "para as empresas, porque podem ajustar sua produção sem abrir mão de seus trabalhadores, o ativo mais importante na retomada, sem incorrer em custos de demissão". Também beneficia os trabalhadores, "porque preservam seus empregos e preservam a maior parte de seus rendimentos, e passam a vivenciar uma menor incerteza em relação ao futuro". E é bom para o governo, "porque, diante da crise, esta é um medida de proteção ao emprego". Segundo ela, o programa terá gasto possivelmente menor do que com o seguro-desemprego "e ainda preserva a arrecadação das contribuições sociais".
Dilma também fez um aceno ao Parlamento: "O Congresso compartilhou com todos nós o sentido de urgência na análise da proposta".