.

.

quarta-feira, 27 de junho de 2018

Siderurgia: Ex Siderúrgica Maragusa de Marabá volta a funcionar, agora administrada por empresa mineira

A Âncora Siderúrgica empresa do Estado de Minas Gerais, que arrendou toda a estrutura da Maragusa – Marabá Gusa Siderúrgica Ltda. –, voltou a operar no Distrito Industrial de Marabá.
A boa notícia foi confirmada pelo presidente do Sindicato das Indústrias de Ferro Gusa do Estado do Pará (Sindiferpa), Zeferino Abreu Neto. O grupo que chega a Marabá vai gerar 300 empregos diretos.
“De imediato a siderúrgica vai empregar 300 funcionários. Depois vai aumentando, de acordo com o aumento dos trabalhos”, confirmou Zeferino Abreu.
Segundo ele, a religação do alto-forno é interessante, porque faz com que outras siderúrgicas “já comecem a se mexer”, porque o comércio está bom, apesar da discussão sobre o preço do minério. “Infelizmente nenhum dos políticos nossos se interessaram em lutar pelo setor para buscar um preço do minério diferenciado para viabilizar o setor, que hoje é um dificultador grande que faz com que atrapalhe outras siderúrgicas voltarem a operar”.
Sobre a mão-de-obra que será empregada na Âncora Siderúrgica, Zeferino informou que os currículos para a parte operacional estão sendo analisados. “O que me informaram é que os currículos analisados são de pessoas para trabalharem no alto-forno, que já tem experiência na área. A parte administrativa é tudo da empresa, que arrendou da gente e não está tendo vaga”, disse
Nos anos 2000, foi o auge do projeto de gusa no pólo Carajás. Onze guseiras funcionavam no Distrito Industrial de Marabá, gerando 8.600 postos de trabalho. No efeito dominó que iniciou em 2008, o DIM viu suas empresas fecharem em função da crise mundial que fez despencar o preço do minério de ferro e também do gusa.
DIM
Atualmente, está em operação no DIM apenas a Siderúrgica Norte Brasil (SINOBRAS). Sua produção estimada hoje é de 300 mil toneladas aço laminado por ano e é voltada para o mercado interno, principalmente construção civil.

Soja: Mercado já conhece últimas informações da disputa comercial e se ajusta antes do USDA

Segue a cautela no mercado internacional da soja no pregão desta terça-feira (26). Por volta de 12h40 (horário de Brasília), as cotações trabalhavam com oscilações de 0,25 a 1,25 ponto, com algumas, inclusive, sem apresentar variação, com o mercado ainda não tentativa de se ajustar após a intensa baixa da sessão anterior. Assim, o julho/18 valia US$ 8,74 por bushel, enquanto o setembro tinha US$ 8,84. 
Mais cedo, os futuros da oleaginosa chegaram até mesmo a registrar alguns ganhos, na tentativa, como explica o analista de mercado Bryce Knorr, do portal internacional Farm Futures, de amenizar as últimas perdas e consolidar uma recuperação. O movimento, no entanto, teve vida curta. 
As preocupações com a guerra comercial entre a China e os Estados Unidos ainda não se dissiparam, porém, o mercado e os traders buscam retomar seu fôlego para as novas informações que estão por vir. Além disso, essa é semana de novos boletins do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) e os traders procuram ainda estar bem posicionados antes da divulgação dos novos números. 
Ao mesmo tempo, o que também segue como um limitante para uma recuperação mais expressiva das cotações é a questão climática nos Estados Unidos. Quase todo o Meio-Oeste americano conta com boas condições e um desenvolvimento satisfatório das lavouras 2018/19. 
De acordo com o reporte de acompanhamento de safras trazido pelo USDA no fim da tarde de ontem, são 73% dos campos de soja em boas ou excelentes condições. Há ainda 95% das lavouras em fase de germinação e 12% em fase de florescimento. 
"O fim de semana aqui no Cinturão Agrícola americano trouxe chuvas amplamente dispersas e, em algumas localidades, com totais pluviométricos expressivos. No atual momento, os níveis de umidade do solo da região são adequados para proporcionar o bom desenvolvimento vegetal", diz o boletim diário da AgResource Mercosul.
E para os próximos dias, as previsões continuam mostrando que as chuvas seguirão chegando em bons volumes e abrangência para manter, até este momento, a sanidade das lavouras norte-americanas.

Suzano vai emitir R$ 4,68 bi em debêntures para pagar aquisição da Fibria

Na segunda-feira, 26, a Coluna do Broadcast antecipou que a Suzano fez uma sondagem com grandes bancos brasileiros para uma linha de crédito de R$ 6 bilhões a R$ 8 bilhões, com prazo de oito anos, no âmbito do pagamento da aquisição da Fibria. Bradesco e Banco do Brasil fizeram propostas, conforme fontes.
A aquisição da Fibria pela Suzano Papel e Celulose movimentou R$ 47,7 bilhões

Em fato relevante enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a empresa detalha que as debêntures terão prazo de oito anos e remuneração de 112,50% do CDI.
A empresa informa ainda que já contratou o respectivo hedge para todo volume objeto da emissão de debêntures informada, com custo de 5,74% ao ano em dólares.
"A utilização de outras formas de financiamento, alternativamente aos compromissos firmes anteriormente mencionados em março, está em linha com a estratégia da companhia de busca constante por oportunidades com estruturas e custos mais aderentes e condizentes com a gestão de seu endividamento e com seu posicionamento de mercado e fortalece a posição da companhia com relação a sua capacidade de realizar o pagamento da Parcela em Dinheiro da Operação", diz a empresa.
Segundo a Suzano, a consumação da operação está sujeita, ainda, ao cumprimento de outras condições precedentes usuais para este tipo de operação, incluindo a aprovação por determinadas autoridades da concorrência no Brasil e no exterior. "Até a data da consumação da operação, as companhias não sofrerão qualquer alteração na condução de seus negócios e permanecerão operando de forma independente"

Cartórios não podem registrar união poliafetiva, decide CNJ

Cartórios não podem registrar união poliafetiva, decide CNJ

Por entender que a Constituição reconhece apenas a existência de casais monogâmicos, CNJ proibiu registro de uniões poliafetivas.
123RF

A Constituição Federal reconhece apenas a existência de casais monogâmicos, por isso não é possível que cartórios registrem a união poliafetiva — relação estável com mais de duas pessoas. Assim entendeu o Conselho Nacional de Justiça ao proibir, nesta terça-feira (26/6), que cartórios façam o registro de uniões poliafetivas.
No julgamento, prevaleceu o voto do relator, ministro João Otávio de Noronha, que defendeu que atos notariais devem seguir o que está escrito na legislação. Para a maioria dos conselheiros, o documento atesta um ato de fé pública e implica o reconhecimento de direitos a receber herança ou previdência.
O CNJ foi acionado a pedido da Associação de Direito de Família e das Sucessões (ADFAS) contra dois cartórios de comarcas paulistas, em São Vicente e em Tupã, que teriam lavrado documentos de uniões estáveis poliafetivas.
O julgamento havia começado em abril, mas foi adiado após pedido de vista do conselheiro Aloysio Corrêa da Veiga e, em outra sessão, do conselheiro Valdetário Monteiro. Hoje, Monteiro acompanhou o voto de Noronha.
Competências
Na decisão, o CNJ determinou que as Corregedorias-Gerais de Justiça proíbam os cartórios de seus respectivos estados de lavrar escrituras públicas para registar uniões poliafetivas. De acordo com Noronha, as competências do CNJ se limitam ao controle administrativo, não jurisdicional, conforme estabelecidas na Constituição Federal.
A emissão desse tipo de documento, segundo ele, não tem respaldo na legislação e na jurisprudência do Supremo Tribunal Federal, que reconhece direitos a benefícios previdenciários, como pensões, e a herdeiros apenas em casos de associação por casamento ou união estável.
"Eu não discuto se é possível uma união poliafetiva ou não. O corregedor normatiza os atos dos cartórios. Os atos cartorários devem estar em consonância com o sistema jurídico, está dito na lei. As escrituras públicas servem para representar as manifestações de vontade consideradas lícitas. Um cartório não pode lavrar em escritura um ato ilícito como um assassinato, por exemplo", afirmou o ministro.
Divergência
Ao final da votação, oito conselheiros votaram pela proibição do registro do poliamor em escritura pública. A divergência parcial, aberta pelo conselheiro Aloysio Corrêa da Veiga, teve cinco votos.
Para ele, escrituras públicas podem ser lavradas para registrar a convivência de três ou mais pessoas por coabitação sem, no entanto, equiparar esse tipo de associação à união estável e à família.
Tema controverso
A advogada e presidente da ADFAS, Regina Beatriz Tavares da Silva, diz que são inválidas das escrituras lavradas antes da recomendação liminar e da proibição definitiva desses documentos.
Segundo ela, “a Constituição Federal e o Código Civil impõem a monogamia no casamento e na união estável, de modo que uma família pode ser constituída por duas pessoas (ou seja, um casal), e não por três ou mais”. Regina diz que, “agora, nenhum cartório se atreverá a descumprir a lei, porque poderá receber as sanções respectivas”.
De acordo com Luiz Kignel, especialista em Direito de Família e sócio do PLKC Advogados, a determinação do CNJ é adequada porque o poliamor gera reflexos que ainda precisam ser resolvidos antes de instrumentos públicos criarem situações sociais novas.
“Como definir a meação em um patrimônio formado por três pessoas? Qual o regime de bens que prevalecerá quando o primeiro e o segundo conviventes tiverem um regime e o terceiro convivente buscar outro regime patrimonial? Quem será o provedor de alimentos no divórcio quando um dos conviventes dele necessitar?”, questiona.
Já para Hannetie Sato, especialista em Direito de Família do Peixoto & Cury Advogados, reconhecer essa forma de união é reconhecer o direito de diversos brasileiros que vivem nessa forma de composição familiar.
“O Brasil é um Estado laico, determinado na própria Constituição Federal, mas estamos vivendo um momento de forte pressão conservadora, muitas vezes por razões religiosas. Essa onda conservadora é um fato e que reflete tanto nas novas leis como nas decisões do Poder Judiciário”, avalia.
Além disso, as relações de poliamor crescem cada dia mais, segundo o advogado Lucas Marshall Santos Amaral, do Departamento de Direito de Família do Braga Nascimento e Zilio Advogados. “Concordando ou não, numa democracia, o ideal é o Estado apenas regular as relações sociais existentes, especialmente no âmbito familiar. E, nesse caso, mais ainda, em razão da liberdade do planejamento familiar e por se tratar de relações íntimas de afeto.”
O advogado, no entanto, reconhece que, do ponto de vista jurídico, a decisão do CNJ tem fundamento. “Realmente, o Direito ainda não dispõe de normas que aceitem essa situação, embora seja uma realidade”, analisou. Com informações da Assessoria de Imprensa do CNJ.
*Notícia alterada às 17h35 e às 19h20 do dia 26/6/2018 para acréscimo de informações.

Rio de Janeiro: Vereadores aprovam projeto para taxar servidores inativos do município

A Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro aprovou na noite desta terça-feira (26), por 28 votos a 20, o projeto de lei para taxar em 11% os servidores do município inativos que ganhem acima de R$ 5.645, quantia que representa o teto da previdência.
Atualmente, estão nessas condições cerca de 8,7 mil aposentados e pensionistas.
Durante todo o dia os ânimos estiveram exaltados dentro e fora do Palácio Pedro Ernesto, na Cinelândia, Centro do Rio. Enquanto os vereadores discutiam o projeto em plenário, nas imediações do palácio os manifestantes contrários à proposta e policiais militares entraram em confronto.
A confusão começou no início da tarde e teve dois momentos mais acirrados. Da segunda vez, uma professora de teatro do município e dois militares acabaram feridos. A docente, identificada como Maira, foi ferida no rosto e precisou ser levada para o Hospital Souza Aguiar, também no Centro.
Os policiais feridos foram acertados com pedras e também precisaram ser socorridos ao Hospital Central da PM, no Estácio. A corporação informou que uma mulher foi detida carregando pedras portuguesas e conduzida para a 5ª DP (Gomes Freire). 

Crivella convoca base

Ainda nesta segunda, o prefeito Marcelo Crivella se reuniu com sua base parlamentar para pedir empenho na votação.
Vereadores da oposição passaram a tarde aguardando o chefe da Casa Civil, Paulo Messina, para discutir as emendas, como combinado. Mas Messina não apareceu. Além disso, os parlamentares passaram o fim de semana estudando formas de capitalizar o Funprevi.
A vereadora Teresa Bergher (PSDB) apresentou emenda ao PL 855 - o projeto das medidas estruturantes do fundo - para que a receita do imposto de renda dos servidores da prefeitura seja investida no fundo.
"Esta receita já é do município, é retida, não vai para o Tesouro Federal. Já fica com o município. Ajudaria muito a tirar o Funprevi do fundo do poço", explicou a vereadora.

domingo, 3 de junho de 2018

TOP 30 • Gols mais bonitos da seleção em copas

Parabéns Açailândia 37 anos Parabéns


A CIDADE FAZ ANIVERSÁRIO NESTA QUARTA-FEIRA, 06 DE JUNHO!

PARABÉNS AÇAILÂNDIA PELOS SEUS 37 ANOS!



“Neste 06 de junho desejo que cada munícipe seja um ponto de apoio nesta construção diária, com valores sólidos, que ajude preparar as crianças e jovens, neste processo contínuo de transformação. Semear ações e colher conquistas, buscando no presente o futuro! Desejo que as conquistas da comunidade sejam sempre crescentes, demonstrando que somos nós que fazemos o amanhã e que nossa perseverança é a luz que ilumina o caminho rumo a uma cidade mais justa.



Parabéns gente guerreira que tem vontade de vencer!



Gente que com seu trabalho diário constrói o desenvolvimento da nossa cidade.



Parabéns a todos que diariamente cumprem sua missão, contribuindo assim com o desenvolvimento do município, buscando sempre novos projetos e aceitando o desafio de fazer mais e melhor, não desistindo e não perdendo de vista esperança. Não existem fronteiras ou limites para alcançarmos nossos objetivos.



Na lida estamos amadurecendo nossas habilidades, lapidando nosso crescimento profissional. Buscando acertar, servir melhor. Quem ama, cuida! Façamos uma prece neste aniversário de Açailândia, vamos pedir a Deus por todos nós, saúde e sabedoria, para que toda energia positiva de um povo seja absorvida pela nossa cidade. Açailândia merece que lutemos por ela, pela saúde, educação, segurança, transportes, pela infra-estrutura, pela ação social, pelo emprego e renda. Mais cidadania, habitação, proteção ao meio ambiente, apoio as iniciativas comunitárias, às crianças, aos jovens, adultos e à melhor idade. Mais entusiasmo, esperança e satisfação pessoal tanto para os homens do campo, como da cidade. Tudo isso, ainda é pouco para quem merece muito mais.



Em especial, seguimos dispostos a servir ao lado daqueles que acalentam sonhos e desejam construir, com muita garra, um futuro melhor para nós e para as gerações de nossos filhos”.



Jarlis Adelino - Vereador

Mulheres com um tipo comum de câncer de mama em estágio inicial podem evitar a quimioterapia, diz estudo


Um importante estudo internacional feito nos Estados Unidos concluiu que muitas mulheres com câncer de mama em estágio inicial que receberiam quimioterapia sob os padrões atuais não precisariam se submeter a esse tipo de tratamento.
A constatação feita pela pesquisa da Centro Médico da Universidade de Vanderbilt pode mudar o padrão de atendimento para a doença. "Podemos dispensar milhares e milhares de mulheres de receber um tratamento tóxico, que realmente não as beneficiaria. Isso realmente muda o padrão de atendimento", disse Ingrid A. Mayer, uma das autoras do estudo, de acordo com o jornal “New York Times”.
Desde 2006, o estudo TailorX envolveu mais de 10 mil mulheres nos Estados Unidos e cinco outros países com diagnóstico de câncer de mama precoce e acompanhou seu progresso no tratamento pós-operatório.
O estudo mostra que a maioria dos pacientes com risco intermediário de recidiva do câncer (grupo que chega a 65 mil mulheres por ano nos EUA) pode evitar a quimioterapia. Também pacientes de baixo risco, que é determinado por um teste genômico dos tumores, podem abrir mão esse tipo de tratamento, que frequentemente é debilitante.
Os dois grupos, juntos, representam cerca de 70% das mulheres diagnosticadas com o tipo mais comum de câncer de mama - o significa que mais de 85 mil mulheres por ano - podem abandonar a quimioterapia com segurança a partir desse estudo, de acordo com o “Washington Post”.
Os pacientes beneficiados pelas novas descobertas têm tumores de mama medindo de 1 a 5cm, que não se espalharam para os linfonodos, sensíveis ao estrogênio e que receberam negativo no teste para uma proteína chamada HER2. No teste que mede a recorrência do câncer nos genes, a pontuação deve ter ficado entre 11 e 25.
Os resultados do estudo, patrocinado pelo governo americano, foram publicados no “New England Journal of Medicine” e vão ser apresentados no encontro anual da Sociedade Americana de Oncologia Clínica neste domingo (3).

sexta-feira, 1 de junho de 2018

Açailândia: Veja o calendario completo de feriados Nacial e Municipal Tirem suas duvidas



Em 2018 teremos 09 feriados nacionais e 05 feriados pontos facultativos, (datas reservadas no calendário) datas que aparecem em vermelho. fora os feriados religiosos e festivos que são de autonomia de municípios e estado.
Ponto facultativo
O que se refere Ponto facultativo: é decreto realizado pelos órgãos dos governos estadual e/ou municipal que consiste em dispensar a obrigatoriedade do funcionamento das empresas e estabelecimentos comerciais em dias de determinadas datas comemorativas.
Vejamos
Feriados Nacionais
1.     Dia 01 de janeiro – confraternização mundial (conhecido como ano novo feriado nacional)
2.     Dia 30 de março – paixão de cristo (feriado Nacional)
3.     Dia 21 de abril – tirantes (feriado nacional)
4.     Dia 01 de maio – Dia Mundial do Trabalho (feriado Nacional)
5.     Dia 07 de setembro – independência do brasil (feriado nacional)
6.     Dia 12 de outubro – Nossa senhora aparecida (feriado nacional)
7.     Dia 02 de novembro – finados (feriado nacional)
8.     Dia 15 de novembro – proclamação da república (feriado nacional)
9.     Dia 25 de dezembro – natal (feriado nacional)
Datas reservadas a ponto facultativo (ao estado ou município)
1.     Dia 12 e 13 de fevereiro – carnaval (ponto facultativo)
2.     Dia 14 quarta-feira de cinzas (ponto facultativo até as 14h)
3.     Dia 31 de maio – corpus christi (ponto facultativo)
4.     Dia 28 de outubro – dia do servidor público (ponto facultativo)

 Em Açailândia além dos feriados nacionais que são 09 temos mais 04 feriados municipais:

Sendo:
1.       Terças-feiras de carnaval – Lei Municipal n° 473 de 11 de junho de 2016. (autoria vereador Jarlis Adelino sancionada pelo prefeito Juscelino oliveira)
2.       Dia 06 aniversario de Açailândia (37 anos)
3.       Feriado de corpus christis – em 2018 em 31 de maio Lei Municipal n° 473 de 11 de junho de 2016. (autoria vereador Jarlis Adelino sancionada pelo prefeito Juscelino oliveira)
4.       Dia 04 de outubro dia de são Francisco de Assis – padroeiro de Açailândia  
Lei que regulamenta os feriados municipais
Cada município brasileiro pode declarar, de acordo com a Lei federal 9.093/95 alterada pela lei 9.335/96, através de lei, até 4 feriados religiosos sendo um deles a Sexta-feira Santa. O dia do município também poderá ser declarado feriado desde que o número total de feriados municipais não seja superior a quatro.