.

.

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Maranhão: STIMA Protocola Documento Sobre a Crise no Setor Siderúrgico no Senado Federal com apoio de 15 Entidades


27 de abril, o STIMA através de seu presidente Jarlis Adelino acompanhado do Representante do SICAM Sr. Claudio Queiroz faz a entrega de documento que aponta a crise no setor siderúrgico ao Senador João Alberto, na tarde desta segunda-feira no Senado Federal em Brasília-DF.
Amanhã 28, o STIMA se reunirá com a bancada dos Deputados Federais do Maranhão, que e composta por 18 parlamentares, a reunião acontecerá as 10 horas da manhã na Câmara Federal!
Pelo menos 15 entidades assinaram o documento solidário ao STIMA, na última semana em audiência pública realizada em Açailândia-MA a Prefeitura Municipal também se mostrou solidária as entidades.
Estamos fazendo a nossa parte, a nossa missão como sindicalista e manter os postos de trabalho no setor siderúrgico e lutar por melhores salário, temos que envolver outros estados do Brasil que estão passando pela mesma situação como: Pará, Mato Grosso e Minas Gerais disse Jarlis Adelino.
O Sr. Claudio Queiroz já fez contato com alguns estados a fim de mobilizar o setor de forma macro, temos que tratar esse problema a nivel nacional. Os contatos foram feitos com diversas entidades dos estados produtores de ferro gusa.

Fonte: Secretaria de Imprensa do STIMA

sábado, 25 de abril de 2015

Fiat Radicaliza Veja como será a nova picape da Fiat, e Renault se movimenta para a disputa!!! Confira

Falta pouco para a Fiat entrar em um novo segmento de automóveis no Brasil: o de picapes intermediárias, que ficarão entre as compactas (Strada e VW Saveiro) e as médias (Chevrolet S10 e Toyota Hikux). A montadora se prepara para lançar um modelo ainda sem nome, que compartilha a plataforma com o recém-lançado Jeep Renegade, que já é produzido na planta de Goiana, em Pernambuco.

Enquanto isso não acontece, preparamos uma projeção, feita por Rodrigo Losano. O objetivo da Fiat com o novo produto é inaugurar esse segmento, que terá em breve a companhia da Renault Oroch.
Em março passado, o leitor Matheus Rodrigues fotografou a nova picape da Fiat em uma rodovia próxima ao município de Cabo de Santo Agostinho, em Pernambuco. O anúncio de que a Fiat teria uma nova picape no Brasil foi feito no dia 6 de maio de 2014 pelo Grupo FCA, que detém, além da italiana, as marcas da Chrysler. No Salão do Automóvel 2014, a fabricante chegou a mostrar o conceito FCC4, que detalha como serão as linhas que o carro terá.

Uma fonte da marca afirmou durante o Salão do Automóvel de São Paulo, em outubro passado, que a picape, mesmo sendo menor que as médias, terá tração 4X4 ou dianteira, apoiada sobre um chassi monobloco. Os motores disponíveis serão 2.0 turbodiesel e um 2.4 flexível da linha Tigershark da Chrysler, com elementos do Multiar 2 da Fiat, que rende 185 cv e equipa o Renegade nos EUA. Mais detalhes do modelo deverão ser liberados em breve.

MONTADORA RENAULT, também se movimenta é vai vim com tudo nesse seguimento a briga vai ser boa!


Internet de Volta aos Celulares dos Brasileiros!!!!!!

Boas notícias!

Em razão de varias denuncias, o Ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini, informou em uma emissora de TV, a notícia da reunião realizada na ultima terça-feira 21no Ministério das Comunicações, onde as operadoras telefônicas assinaram o compromisso público para melhorar a comunicação a respeito do acesso à internet móvel. ou seja assinaram um TAC - Termo de Ajuste de Conduta.

Vamos aguardar o pronunciamento público das operadoras e acompanhar para garantir que o nosso direito seja respeitado e todas atuem conforme falou o Ministro! Se a internet do seu celular continuar sendo bloqueada ao término da franquia envie a denúncia diretamente para a ANATEL.

ou ainda envie para www.celsorussomanno.com.br/denuncie/

Entidades de Classe Promoveram Audiencia Publica em Açailândia,MA nos dias 23 e 24 com Deputados Estaduais para Discutir Crise no Setor Siderurgico

Audiência Pública discutiu a crise do setor Siderúrgico de Açailândia-MA



As entidades de classe que apóiam o movimento contra a crise do setor siderúrgico de Açailândia no sul do Maranhão estiveram reunidas com os Deputados Estaduais que compõem a Comissão Especial dos parlamentares que representam o Legislativo na problemática da crise siderúrgica instalada no municipio.

No dia 23 de abril os parlamentares durante todo o dia, juntamente com os sindicalistas do STIMA, da CNM/CUT e Dirigente Patronal "SIFEMA" visitaram as Indústrias Siderúrgicas, Aciaria e Empresa de Montagens Industriais, no Pequiá em Açailândia.

Os Deputados tiveram a oportunidade de conhecer de perto toda a Realidade do Setor Siderúrgico e Sua capacidade de produção bem como toda a cadeia produtiva, mesmo na crise ainda emprega mais de 2 mil trabalhadores de forma direta.
vale lembrar que as siderúrgicas no inicio dos anos 2000 empregavam cerca de 5 mil trabalhadores de forma direta.

As Visitas foram realizadas nas empresas para que os Deputados tivessem a oportunidade de conhecer de perto a real situação do setor, tiveram a oportunidades de dialogar com os empresarios e trabalhadores das empresas, na tentativa de identificar possíveis contribuições do Governo Estadual para o enfrentamento da crise!

A Comissão Especial dos Parlamentares do Maranhão e composta por 06 Deputados Estaduais: Dep. Marco Aurelho (PCdoB), Fabio Braga (PT doB), Váleria Macedo (PDT), Adriano Sarney (PMDB) Leo Cunha (PSC) e Junior Verde (PRB), essa comissão tem como seu Relator o Deputado Adriano Sarney e o Presidente da Comissão Junior Verde.

Essa Comissão foi Constituída através da Resolução nº 603/2015 de 31 de março de 2015, provocada pelo STIMA através de documento solicitando apoio contra demissões de trabalhadores, documento  protocolado na Assembléia Legislativa do Maranhão no dia 19 de março do corrente ano pelo STIMA. Este documento foi entregue nas mãos do Deputado Estadual Junior Verde o responsável pela criação da resolução que efetivou a comissão especial para enfrentamento da crise no setor siderúrgico no Maranhão.

Os Trabalhos da Comissão iniciaram-se no dia 23 as 09 hs da manhã com apresentação e explanação dos objetivosda da comissão dos parlamentares no auditorio da Associação Comercial de Açailândia. As 12 hs se reuniram com a Prefeita Gleide Santos, durante toda a tarde a comissão esteve nas empresas dialogando com os empresarios, executivos, trabalhadores do setor siderurgico e lideranças sindicais, para entendimento real da situação atraves das visitas que perdurou ate as 19hs.


No dia 24, a Comissão Especial juntamente com as Entidades de Classe Solidarias com o STIMA, promoveram a Audiencia Publica no Auditorio da Associação Comercial de Açailândia, estiveram presentes todos os representantes de classe, o poder Executivo e Legislativo de Açailândia e representante da secretaria de Industria e Comercio de Açailândia entre outras entidades que se fizeram presentes..
Entidades Solidárias:

STIMA, CUT/MA, FIMETAL
SICAM, Rotary Clube, ACIA, 
SICA, CDL, SINPRA, ADEFIA
SINTRASEMA, SECA, 
SINPROESEMMA, 
SIND. Const. Civil.



ENCAMINHAMENTO DE PROPOSTAS ELABORADAS E IDENTIFICADAS PELO STIMA E PELAS ENTIDADES SOLIDARIAS APÓS REUNIÕES COM O SETOR SIDERÚRGICO
  
Agilidade na Liberação de créditos de ICMS retidos

 Liberação das licenças de operações

 Infraestrutura – (Melhorias na BR 222, de Açailândia ao Distrito do Pequiá e Criação de um novo parque Industrial). Existem Empresas que tem sua produção de carvão 100% em Grajaú e barra do Corda,  (Trechos: BR 010, Montes Altos a Sitio Novo, Sitio Novo ao Santana), não tem estrada, a mesma está totalmente prejudicada por falta de manutenção, As estradas estão em péssimas condições, prejudicando a qualidade do carvão (Muita Quebra)  é aumenta o custo do transporte deste material.

 Abertura de Novos Empreendimentos (Pelo Estado) (via secretaria de indústria e comercio) (junção de capital: Estado x Privado) 

Garantia dos Postos de Trabalho, Garantia da Manutenção Salarial 2015 e Garantia da Escala de Trabalho em jornadas de 08 hs. 

Convocar o Governo Federal para Enfrentamento da Crise Conosco: As Entidades de Classe Irão a Brasília-DF, convocar a Câmara de Deputados e o Senado Federal bem como o MDIC - Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. 

Algumas entidades também apresentaram resoluções a Comissão Especial no intuito de contribuição para o setor siderurgico e solicitanto a manutenção dos postos de trabalho como a OAB/Açailândia, SICAM e a Prefeitura Municipal de Açailândia-MA



STIMA, E um momento histórico para Açailândia, pela primeira vez nosso município é visitado por uma comissão de Deputados Estaduais para discutir problemas do município, essa audiência publica teve a cooperação de varias entidades de classe que contribuíram para esse acontecimento, que envolveu todos por um único objetivo, manter os empregos e salários dos trabalhadores, não adianta discutir nada sem que o ser humano tenha uma fonte de renda, a renda familiar e a sustentação de tudo, isso pode ser melhorado consideravelmente com o estudo, essa audiência publica não se resguardou apenas em discutir a crise no setor mais discutir o Município de Açailândia, como podemos observar a vontade dos deputados em contribuir com o processo, saíram de Açailândia com uma visão macro do nosso município disse Jarlis Adelino Presidente do STIMA   

Entre os dias 26 e 29 de abril o Presidente do STIMA Jarlis Adelino, juntamente com o Representante do SICAM Claudio Queiroz irão até Brasilia-DF, protocolar documentação sobre a crise no setor, segundo o representante do SICAM esses documentos serão protocolados no MDIC - Ministerio da Industria e Comercio Exetrior, no Senado Federal e na Câmara de Deputados Federal, a ideia é fomentar as lideranças maranhenses nas bancadas e os presidentes da Câmara e do Senado.

Fonte: Secretaria de Imprensa do STIMA

Carlitos Tévez de Volta ao Corinthians

Corinthians estuda trocar Pato por um atleta que deixou saudade no Parque São Jorge. O nome dele é Carlitos Tévez, que atualmente defende a Juventus, da Itália. 
Tévez foi a principal contratação da MSI, que injetou um celeiro de craques no Corinthians, que ficou marcado por conquistar o Campeonato Brasileiro de 2005, sob polêmica de arbitragem, envolvendo o juiz Edílson Pereira de Carvalho. O Internacional, segundo colocado da época, não engoliu o título conquistado pelo Timão até hoje. Apesar de sair pelas “portas do fundo”, Tévez sempre elogiou o Corinthians, onde revelou o desejo de voltar a defender o clube, assim como tem pelo Boca Júniors. Nos últimos dias, o argentino comparou o Timão com grandes times da Europa como Manchester United e a própria Juventus. Dentro do Parque São Jorge especula-se, que a diretoria do Corinthians já teria entrado em contato com a Juventus sobre a troca entre os atacantes, porém, o acerto ainda está longe de acontecer. Alexandre Pato deixou o Milan para acertar com Corinthians a peso de ouro e desde então não vem rendendo o esperado, sendo que na maioria das partidas fica como opção no banco de reservas. Fonte: Futebol Interior

quarta-feira, 22 de abril de 2015

CONTRIBUIÇÃO SINDICAL EXERCÍCIO 2015 CONFIRA O PRAZO!

CONTRIBUIÇÃO SINDICAL URBANA DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS METALÚRGICAS, MECÂNICAS E DE MATERIAL ELETRICO DE AÇAILANDIA E IMPERATRIZ – MA.

EDITAL N.º 031/2015.     AÇAILÂNDIA-MA; 01 DE MARÇO DE 2015.

EDITAL DE CONTRIBUIÇÃO SINDICAL EXERCÍCIO 2015


        EM CUMPRIMENTO AO QUE DETERMINA O ARTIGO 605 DA CLT, APROVADO PELO DECRETO LEI 5.425, 01 DE JANEIRO DE 1.943, ESTE SINDICATO PELO PRESENTE EDITAL, COMUNICA A TODAS AS EMPRESAS, DEPARTAMENTO CONTABIL E SETORES: METALÚRGICAS, SIDERÚRGICAS, FABRICAÇÃO E MONTAGENS DE ESTRUTURAS METÁLICAS, MECÂNICAS, ELÉTRICAS, ELETRÔNICAS, SERRALHERIAS, REFRIGERAÇÕES EM GERAL, AUTOS PEÇAS, E DEMAIS EMPRESAS QUE PRESTAM SERVIÇOS DIRETO OU INDIRETAMENTE AS EMPRESAS JÁ CITADAS, INDEPENDENTIMENTE DA RAZÃO SOCIAL, QUE A CONTRIBUIÇÃO SINDICAL RELATIVA A SEUS EMPREGADOS, SERÁ DESCONTADO NA FOLHA DE PAGAMENTO DO MÊS DE MARÇO DE 2015, SERÁ RECOLHIDA DIRETAMENTE NA CONTA N.º 094-3, DA CAIXA ECONÔMICA FEDERAL DE AÇAILÂNDIA-MA., CODIGO SINDICAL Nº. 023.000.04387-6. DO SINDICATO PROFISSIONAL ATÉ O DIA 30 DE ABRIL DE 2015.
ESTA CONTRIBUIÇÃO CORRESPONDENTE À 1/30 (UM TRINTA AVOS) DO SALÁRIO BASE E DEMAIS PARCELAS COMPONENTES A TEOR DO DISPOSTO NO PARÁGRAFO 1º DO ARTIGO 457 DA CLT ALÉM DAS GRATIFICAÇÕES MENSAIS PAGAS, PERCEBIDAS NO MÊS DE MARÇO.
        QUANTO AO RECOLHIMENTO DA CONTRIBUIÇÃO, AS GUIAS SÃO ACOMPANHADAS DAS RELAÇÕES NOMINAL DOS CONTRIBUINTES, OU CÓPIAS DAS FOLHAS DE PAGAMENTOS, COM O VALOR DA REMUNERAÇÃO DO MÊS DO RECOLHIMENTO, O DESCONTO, A FUNÇÃO DE CADA UM DOS EMPREGADOS, O n.ºDA CTPS E REMETIDAS PARA ESTA ENTIDADE NO DIA DO PAGAMENTO, CONFORME EXIGÊNCIA CONTIDA NA PORTARIA N.º 3.570 DE 04/10/1997. LEMBRE SE, O NÃO RECOLHIMENTO NA FORMA ACIMA E NO PRAZO LEGAL, IMPLICARÁ NAS SANÇÕES DO ARTIGO 600 DA CLT.

        AS GUIAS podem ser adquiridas diretamente na caixa econômica federal ou pelo site: WWW.caixa.gov.br

SINDICATO DOS METALURGICOS DE AÇAILANDIA - RUA MARLY SARNEY N.º 1242 – CENTRO – AÇAILÂNDIA – MA. FONE 99 3538-3786.  

        ATENCIOSAMENTE:         
Jarlis Adelino Presidente


terça-feira, 21 de abril de 2015

Paulo Cayres e Reeleito Presidente da CNM/CUT no 9º Congresso dos (as) Metalúrgicos (as) da CUT

“O tom está dado: é luta, luta e mais luta”, disse o presidente Paulo Cayres
Paulo Cayres
Paulo Cayres foi reconduzido para a presidência da entidade. Dirigentes eleitos estarão à frente da Confederação pelos próximos quatro anos.
Os delegados e as delegadas do 9° Congresso Nacional dos (as) Metalúrgicos (as) da CUT elegeram no final da tarde desta quarta-feira (15), por unamidade, a nova direção da entidade para o manato 2015-2019. O metalúrgico na Ford do ABC, Paulo Cayres, foi reconduzido à presidência da Confederação e a direção eleita tem representantes de norte a sul do país, além de respeitar a cota de gênero estabelecida pela CUT. 

Em sua intervenção logo depois da eleição, Cayres ressaltou que o desafio da nova direção será ampliar ainda mais as ações empreendidas pela entidade e ampliar a unidade com sindicatos e federações da categoria, com o Macrossetor da Indústria da CUT e com a central sindical. "Hoje esta categoria mostrou que não desiste nunca da luta e da defesa de nossos interesses. Seus representantes neste Congresso mostraram que são guerreiros e marcharam seis quilômetros para protestar contra o PL 4330", ressaltou. "A nossa missão é a nossa coragem de lutar", completou.

O presidente reeleito assinalou ainda a importância da solidariedade de classe e lembrou que a CNM/CUT foi criada graças ao apoio das entidades sindicais internacionais. "Temos neste 9° Congresso representantes de 25 países e a importância da CNM é crescente dentro e fora do Brasil", assinalou ainda.

A defesa da chapa "Unidade Metalúrgica" (confira o programa ao final)  foi feita pelos presidentes das confederações cutistas dos ramos químico, Lu Varjão, e da alimentação, Siderlei de Oliveira, e pelo secretário geral da CUT, Sérgio Nobre, que reafirmaram a importância da categoria metalúrgica e de sua entidade nacional para as lutas dos trabalhadores.
Programa da Chapa “Unidade Metalúrgica”


Não há mais o que esperar. O momento que vivemos nos aponta a necessidade de uma agenda de esquerda e em defesa dos direitos imediatos e históricos da classe trabalhadora. Portanto, a nossa chapa apresenta aos delegados e delegadas o seu programa. Este pequeno e sintético documento foi construído para apontar que não recuaremos na defesa de nossas bandeiras históricas.

Convidamos a todos e todas, delegados ou não, a juntarmos nossas energias para encaminhar aos sindicatos filiados, às entidades sindicais de nossa Central e das outras, aos movimentos sociais, aos partidos e ao povo brasileiro, o nosso compromisso com a luta pela melhoria das condições de vida de todos e todas.

Nesse sentido, defendemos uma jornada de lutas a ser encaminhada pela CNM/CUT que defenda os seguintes pontos:

1. a redução da jornada de trabalho sem redução de salários;
2. o fim do fator previdenciário;
3. a criação de mecanismos de proteção ao emprego;
4. o Contrato de Trabalho nacionalmente articulado, com piso nacional metalúrgico;
5. a luta ampla pela democratização dos meios de comunicação;
6. a luta por educação pública de qualidade, com qualificação profissional e organização da juventude trabalhadora;
7. a defesa do Sistema Único de Saúde público e de qualidade para todos e todas;
8. contra o PL 4330 e todos os projetos que visam a retirada de direitos da classe trabalhadora;
9. pela consolidação do Macro Setor da Indústria na CUT;
10. a luta pela creche como um direito da criança e obrigação do Estado;
11. acesso ao local de trabalho pelos representantes sindicais e contra toda e qualquer prática antissindical, além de investir na organização das CIPAs (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes) rumo à Organização no Local de Trabalho.
12. a luta inalienável pelo aprofundamento da democracia e contra todo e qualquer tipo de golpe e pela reforma política;
13. luta contra toda e qualquer discriminação e por uma sociedade mais justa, solidária e fraterna
.

(Fonte: Assessoria de imprensa da CNM/CUT)

Piauí já conta 309 profissionais do Mais Médicos atuando

O Piauí já possui 309 profissionais do Mais Médicos atuando em 144 municípios do Piauí. Com os profissionais do Programa de Valorização do Profissional de Atenção Básica (Provab), o número sobe para 355.
"Os profissionais estão todos trabalhando. Na sexta, a Sesapi fez uma oficina de acolhimento para que cada um saiba seu papel", explica Idvani Braga, coordenadora do programa Mais Médicos.
Segundo ela, o programa tem grande importância para o Piauí, já que em muitos lugares não tinha profissional. 
"Em muitos lugares não tinha médico, em outros o médico vai às vezes. Esses profissionais são de suma importância para trabalhar na atenção básica", explica a coordenadora.
Segundo a Secretaria de Saúde do Estado do Piauí, 134 municípios possuem  médicos cubanos e os demais, com médicos brasileiros. Os municípios com mais profissionais pelo Programa são Parnaíba, com 16, Esperantina, com 10, São João do Piauí, com sete, São Raimundo Nonato, Campo Maior e Corrente com seis, cada um deles. E Regeneração e Altos, com cinco, cada.

Em mais uma etapa do Mais Médicos e do Programa de Valorização do Profissional de Atenção Básica(Provab), o Piauí recebeu 60 novos profissionais para atuar na atenção básica, em 2015, sendo 46 pelo Provab e 14 pelo Mais Médicos. O que totaliza 355 profissionais da saúde atuando pelo interior do Estado.

Da Redação (Com informações da TV Cidade Verde)

Câmara pode votar pontos polêmicos do projeto de terceirização nesta quarta-feira (22)

O plenário da Câmara dos Deputados retoma nesta quarta-feira (22) a votação do projeto de lei que regulamenta a terceirização (PL 4330/04). Os deputados já aprovaram o texto-base da proposta, mas precisam concluir a análise dos destaques e das emendas apresentados ao texto.

As duas últimas sessões em que a matéria foi debatida foram marcadas pela apresentação de várias emendas propondo mudanças mais profundas no texto do relator, deputado Arthur Oliveira Maia (SD-BA). Protestos conduzidos pelas centrais sindicais também ocorreram em várias capitais do País contra certos pontos do projeto, como a permissão de terceirização das atividades-fim de uma empresa. Os sindicatos temem a precarização da relação trabalhista.

Outro ponto tratado por emendas é a responsabilidade da empresa contratante em relação aos direitos trabalhistas. Há emendas que tornam essa responsabilidade solidária em todos os casos. Nesse tipo de responsabilidade, o trabalhador poderá processar a contratante e a contratada ao mesmo tempo, no caso de esta não honrar as obrigações trabalhistas e previdenciárias.

O terceiro ponto mais polêmico é a sindicalização dos contratados pela empresa de terceirização. O projeto não garante a filiação dos terceirizados ao sindicato dos empregados da empresa. A exceção já prevista no texto-base é para quando o contrato de terceirização for entre empresas da mesma categoria econômica.

Pesquisa mostra que pessoa com nome sujo em geral não fez a dívida

Uma pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) mostra que de cada 10 pessoas que entraram na lista do SPC, três sujaram o nome por causa de dívidas feitas por outras pessoas. E muito acabam pagando a dívida sozinho.
O pedreiro Paulo Souza precisou fazer um empréstimo para quitar uma dívida feita por outra pessoa. “Precisei fazer um empréstimo para meu nome não ficar sujo”, conta.
Em apenas 11% dos casos, o verdadeiro comprador honra o compromisso e quem emprestou o nome só descobre a inadimplência depois de quatro ou cinco meses.
O advogado Guilherme Côrrea diz que se  a pessoa concordou em ter seu dados usados por outras pessoas, tem que assumir o problema. “Ela é responsável. A pessoa que empresta de forma livre e consciente, ela se responsabiliza pelo cumprimento da obrigação”.
O economista José Rita Moreira é categórico: nome não se empresta. “De repente a pessoa não precisa tanto do dinheiro e sim de orientação. Então se o problema é dívidas, por exemplo, tentar fazer um empréstimo pessoal ou se tem um bem procurar vendê-lo, vender o carro e pegar um mais velho até resolver o problema para assim não ter a dependência de terceiros”.

sexta-feira, 17 de abril de 2015

Terceirizadas lideram ranking de devedores trabalhistas

O Banco Nacional de Devedores Trabalhistas (BNDT), vinculado ao Tribunal Superior do Trabalho (TST), aponta que a lista com os 100 maiores devedores na Justiça do Trabalho está repleta de empresas que prestam serviços terceirizados.

Entre as cinquenta do ranking, estão 14 empresas que sublocam mão de obra. Quatro delas aparecem entre as 12 primeiras: Sena Segurança Inteligente (2ª), Adservis Multiperfil (9ª), Sustentare (10ª) e Estrela Azul Serviços de Vigilância e Segurança (12ª).

Segundo nota na página do BNDT na internet, a inadimplência registrada inclui obrigações trabalhistas impostas por sentença, acordos trabalhistas homologados pelo juiz e não cumpridos, acordos realizados perante Comissões de Conciliação Prévia e não cumpridos, termos de ajuste de conduta firmados com o Ministério Público do Trabalho e não cumpridos e demais despesas oriundas de processos trabalhistas que não foram quitadas.

Calote - O temor dos críticos ao Projeto de Lei 4.330/14 é que a expansão desses limites de atuação para o campo da atividade-fim do setor produtivo torne o problema ainda mais grave do que o apresentado no ranking do calote trabalhista.

Mais informações: www.tst.jus.br

Protestos param fábricas e lotam ruas

De Norte a Sul, nas Capitais e no Interior, em 27 Estados e no Distrito Federal, milhares de brasileiros repudiaram o Projeto de Lei 4.330, que quer ampliar a terceirização e dar fachada legal à precarização do trabalho.

A manifestação foi organizada por um amplo conjunto de entidades, entre elas CUT, CTB, Intersindical, Nova Central e UGT, com apoio também de sindicatos filiados à Força Sindical. Outras organizações – UNE, Movimento Sem Terra e Sem-Teto – engrossaram os protestos.

Paralisações - Trabalhadores de diversos segmentos cruzaram os braços, entre os quais metalúrgicos, bancários, ferroviários, metroviários, professores, condutores e integrantes de outras categorias profissionais. No ABC paulista, pela manhã, cerca de 20 mil metalúrgicos, principalmente das multinacionais, fizeram manifestação.

A cidade de São Paulo sediou dois grandes atos. Os maiores ocorreram na avenida Paulista, em frente à Fiesp, entidade que apoia e banca a ofensiva pró-terceirização, e no Largo da Batata, Zona Oeste (com cerca de 30 mil pessoas).

Paraná - Manifestações fortes na Capital. Pela manhã, houve bloqueios nas principais rodovias que cortam o Estado. O Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba (filiado à Força Sindical) comandou atos na Volvo, Renault, Volks e Bosch, que reuniram cerca de 20 mil trabalhadores. 

A Agência Sindical ouviu Sérgio Butka, presidente do Sindicato e da Força Sindical Paraná. Ele diz: “Aqui somos totalmente contra esse projeto, que vai trazer prejuízos para a classe trabalhadora. Nas portas das fábricas, foi essa a posição que encontramos nos companheiros. Eles sabem o que é ser terceirizado. Aqui um terceirizado, fazendo as mesmas funções do contratado normal, recebe 50% menos de salário, e não tem muitos benefícios”.

Osasco - O Sindicato dos Metalúrgicos (Força Sindical) mobilizou seis mil trabalhadores em dezenas de assembleias em indústrias como Cimpal, Delphi e Aisin. “A categoria mostrou sua preocupação com as consequências da aprovação do projeto e está junto com o movimento nacional de luta contra a precarização do trabalho”, afirma Jorge Nazareno (Jorginho), presidente da entidade. 

Nova Central - SP - Organizou duas grandes manifestações na capital paulista. Pela manhã, condutores reuniram cerca de 300 pessoas em bloqueios na Via Dutra por mais de uma hora. Além do PL 4.330, o protesto foi contra as MPs 664 e 665. Os trabalhadores também criticaram a Lei 13.103, que flexibiliza a jornada de trabalho dos motoristas. A Central participou ainda de ato na avenida Paulista, onde 1.500 trabalhadores protestaram contra abusos trabalhistas no McDonald´s.

Luiz Gonçalves, presidente da Nova Central - SP, falou com a Agência Sindical e fez um balanço das lutas: “O trabalhador reafirmou que é contra esse PL que só vai beneficiar as empresas. Vamos esperar agora as reações no Congresso Nacional, sem deixar de ficar atentos”.

UGT - A manifestação da Central e Sindicatos dos Padeiros, Siemaco, Sindimoto-SP, Sincab, Sintratel e Comerciários de São Paulo ocorreu na manhã de ontem em frente à Fiesp, na avenida Paulista. O secretário-geral da UGT, Canindé Pegado, diz: “Queremos que o tomador da atividade terceirizada seja responsável pelo que acontece com o trabalhador terceirizado. Nós defendemos que as condições de trabalho, salários e outros direitos sejam iguais para todos”.

Mais informações: sites das Centrais

Rapidinha do Presidente

Campanha por direitos no McDonald’s vai às ruas

Os trabalhadores do McDonald’s saíram às r uas na manhã desta quarta (15) em São Paulo, Salvador, Goiânia e Brasília. Os protestos fazem parte da campanha #SemDireitosNãoéLegal, que começou nos Estados Unidos em 2012. O objetivo é alertar a população sobre o desrespeito aos direitos trabalhistas na rede de fast-food.
A mobilização no Brasil é liderada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Turismo e Hospitalidade (Contratuh), Federações e Sindicatos da categoria, com apoio da Nova Central e da União Geral dos Trabalhadores.

Paulista - O Sindicato dos Hoteleiros de São Paulo (Sinthoresp) realizou manifestação na avenida Paulista, que começou em frente ao Masp, às 10 horas. Ocorreram atos em pelo menos 35 países, incluindo os Estados Unidos.

Mais informações: www.sinthoresp.org.br

Austeridade fere direitos fundamentais na Europa

As medidas de austeridade tiveram forte impacto sobre direitos fundamentais na Europa, aponta levantamento da Comissão Liberdades Civis, Justiça e Assuntos Internos do Parlamento Europeu. O estudo abrange Grécia, Chipre, Bélgica, Itália, Espanha, Irlanda e Portugal.
Além do acesso ao emprego e o direito à aposentadoria, os setores de educação, saúde e justiça também foram afetados pela crise e pelas medidas de ajuste fiscal.

Empreendedor recebe estímulo para formalização

O Sebrae realiza até sábado (18) a 7ª Semana do Microempreendedor Individual. A ação conta com oficinas práticas, que contribuem para a melhoria da gestão da empresa. Desde 2010, já foram mais de 500 mil atendimentos e mais de 80 mil capacitações por meio das oficinas. A Semana também orienta o empreended or que deseja se formalizar.


Protestos em todo o Brasil mostram amplo e forte repúdio ao PL 4.330

O movimento sindical voltou às ruas no dia 15, a fim de demonstrar a insatisfação dos trabalhadores com o projeto de lei que regulamenta de forma irrestrita a terceirização da mão de obra. 

O Dia Nacional de Paralisação contra o PL 4.330 será de manifestações em todo o País, reunindo ativistas de movimentos populares do campo e da cidade.

“O PL da terceirização representa um verdadeiro atentado aos direitos sociais e trabalhistas”, denuncia Adilson Araújo, presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil. A CUT, junto com a CTB, a Nova Central e a Intersindical, estão à frente das manifestações desta quarta.

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Manifestantes ainda vão se "ajoelhar aos pés de Dilma" para agradecê-la, diz Lula

SÃO PAULO - Durante o 9º Congresso Nacional dos Metalúrgicos da CUT (Central Única dos Trabalhadores) na noite da última terça-feira (14), o ex-presidente Lula chamou de enrascada o momento enfrentado por Dilma Rousseff, voltando a convocar movimentos sociais para defender o governo. "Dilma, se tem gente que vai pra rua para te defender e te ajudar a sair dessa enrascada que nós estamos é essa gente aqui".
E, ressaltou ainda, que os manifestantes ainda vão se "ajoelhar aos pés de Dilma" para agradecer à "companheira por ter combatido tanto a corrupção".
“Eles tentaram fazer comigo exatamente o que eles estão fazendo com a Dilma. Vocês estão lembrados que há dez anos há uma política premeditada de criminalizar o PT. O que eu fico chateado é que nunca eles vão reconhecer que o PT criou os instrumentos de investigações nesse País... Até agora, todos que roubaram tem diploma”, afirmou.
Segundo Lula, os do PT estão tentando criminalizar as doações eleitorais recebidas pela sigla e defendeu a punição de todos os partidos que receberam doações ilegais. “Quem é que pega dinheiro de pobre para fazer campanha? Vamos investigar de verdade. Ou será que dinheiro tucano veio da quermesse? Por acaso vocês viram algum tucano pegar dinheiro do pastel de feira. É legal o empresário dar dinheiro aqui e em qualquer lugar do mundo. Então veja, se alguém do PT ou qualquer partido político pegou dinheiro ilegal, ele deve ser punido”, defendeu.
Ao comentar matéria da Folha de S. Paulo em que relacionava que a queda de Dilma nas pesquisas afetaria a imagem dele, Lula comentou: "o cara que fez essa manchete acha que eu vou brigar com a Dilma, que eu não vou mais tirar foto com ela. A Dilma faz parte de um projeto. Se esse projeto não der certo com a Dilma, não vai dar certo com mais ninguém".

Pernilongos preferem sangue de quem bebe cerveja, aponta estudo

Que sangue doce que nada. Os borrachudos curtem mesmo é o sangue com cevada. Segundo um estudo australiano, pernilongos e demais mosquitos tem mais tendência a picar quem bebe cerveja.
Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores reuniram voluntários – homens de 20 a 43 anos – e analisaram a reação dos insetos com um grupo que bebeu água e com outro que tinha tomado cerveja.
Os cientistas verificaram que o grupo de quem tinha tomado o suco de cevada atraiu 47% dos mosquitos que foram utilizados no experimento contra 38% dos que beberam apenas água.
Apesar do aumento na atratividade para os mosquitos, os pesquisadores não souberam explicar porque os insetos preferiam os bebedores. A explicação mais plausível até agora é que os bichos são atraídos pelo calor corporal e pela mudança na respiração. Para quem acha que o estudo foi a toa, uma explicação. Os cientistas estão tentando criar uma relação entre álcool e as doenças transmitidas por mosquitos e pernilongos. A ideia é que o consumo de cerveja seja mais controlado em países como a África para reduzir os casos de malária. Na moral? Prefiro tomar um banho de inseticida e repelente do que cortar a minha breja no fim do dia. E você?

APR 1 Lula: “Não preciso colocar roupa verde e amarela para dizer que sou brasileiro”

Ex-presidente participou de plenária em defesa da democracia na última terça-feira (31): "Eu não preciso colocar uma roupa verde e amarela para dizer que sou brasileiro. Meu sangue é VERMELHO, mas é BRASILEIRO".

Por Redação - em São Paulo

Em discurso nesta terça-feira (31) para sindicalistas e lideranças políticas de esquerda no Sindicato dos Bancários de São Paulo, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) defendeu a Petrobras, afirmando que os delatores da operação Lava Jato são "bandidos que passaram a virar heróis" para os partidos de oposição e que está "indignado" com a corrupção.
"Hoje, se tem um brasileiro indignado sou eu. Indignado com a corrupção." Lula também discursou em defesa da presidente Dilma Rousseff, que vem sendo alvo de uma onda pró-impeachment por parte de novos movimentos políticos como o Vem Pra Rua e Movimento Brasil Livre. "Eu tenho certeza que esse país nunca teve ninguém com a valentia e coragem da presidenta Dilma de fazer investigação onde quer que precise fazer investigação. Mas eles estão transformando a denúncia de corrupção a ponto que um bandido que é condenado a não sei quantos anos de prisão fala: 'Eu vou fazer delação premiada'... Aí, o bandido vira herói."
Lula disse que nunca foi feito o "debate correto" sobre a corrupção no Brasil, afirmando que "no Estado de São Paulo a corrupção é crônica". "Nós não fizemos até hoje o debate correto sobre a questão da corrupção neste país. Aqui no Estado de São Paulo, ela é crônica historicamente. Eu lembro que aqui em SP, todas vezes que teve uma eleição para o Estado, o tema da corrupção era abordado com muita violência."
"Quero saber se alguém vai ter coragem de dizer que esse moço esteve envolvido com corrupção. Mas ele conquistou o direito de andar de cabeça erguida", disse Lula, referindo-se ao ex-presidente da Petrobras Sérgio Gabrielli, presente no evento.
"A gente vê o que estão fazendo com a Petrobras, tentando mostrar que a Petrobras é uma empresa corrupta, que na Petrobras tudo é bandalheira. Eles se esquecem de dizer uma coisa: essa empresa é uma empresa de alta governança, e se teve corrupção lá dentro, não foi corrupção de uma totalidade, foi de uma ou outra pessoa, que terão de pagar o preço por ter enganado o povo brasileiro", afirmou Lula.
"Esse país nunca teve ninguém com a coragem de Dilma para fazer investigações onde quer que seja preciso. Fomos nós [os governos petistas] que colocamos um representante do Ministério Público indicado pela categoria, sem interferência do governo. Fomos nós que dobramos o número de policiais federais, os investimentos em inteligência."
"Eu não preciso colocar uma roupa verde e amarela para dizer que sou brasileiro. Meu sangue é VERMELHO, mas é BRASILEIRO".
Recentemente acusado de dividir politicamente o país em seus discursos, Lula disse que não pretendia fazer isso, mas que "os de baixo nunca apareceram no discurso deles. Só queria que os pobres subissem um degrau na escala social deste país".
Além de São Paulo, o PT e sindicatos também promoveram plenárias pró-governo em outras cidades do país.

terça-feira, 14 de abril de 2015

Rapidinha do Presidente

Crise no Setor Siderúrgico em Açailândia-MA

A Comissão Especial dos Deputados Estaduais do Maranhão formada para tratar sobre a crise no setor metalúrgico do Maranhão que tem como Presidente o Deputado Junior Verde, deliberados pela Assembléia Legislativa haviam programado uma visita em Açailândia-MA entre os dias 16 e 17 de abril, para analisar a real situação das indústrias em Açailândia, com a criação de fórum de debate entre o estado, empresas e trabalhadores, mais infelizmente por falta de vôos, os parlamentares tiveram que adiar essa visita, a nova data ainda não foi divulgada pela Assembléia Legislativa, tudo indica que a visita será entre os dias 23 e 24 de abril do corrente ano.

Fonte: Secretaria Geral do STIMA  

Infecção por dengue tem alta de mais de 200% no Brasil

Até o dia 28 de março o Ministério da Saúde contabilizou 460 mil e 500 infectados pela doença. A alta é de 240% em comparação com o mesmo período de 2014. Na época foram registrados 135 mil e 300 casos de dengue. 


De acordo com o Ministério, nas 12 primeiras seRmanas do ano 132 pessoas morreram vítimas da doença. O aumento é de 29% em relação ao ano passado, quando foram 102 mortes. 



O estado com a maior incidência de dengue é o Acre, com 882 casos a cada cem mil habitantes. Na sequência vem Goiás e São Paulo. 



A Organização Mundial de Saúde classifica como endêmica mais de 300 casos da doença por 100 mil habitantes.

Eurico solta nota enigmática contra arbitragem e vira piada

O presidente do Vasco, Eurico Miranda, assinou nesta segunda-feira uma nota oficial um tanto quanto enigmática publicada no site do clube. Um dia depois do empate por 0 a 0 com o Flamengo, o mandatário cruzmaltino reclamou da arbitragem ao dizer que há um time "sempre beneficiado em jogos decisivos".
"A história se repete como farsa. Há muitos anos existe sempre um beneficiado em jogos decisivos. No grito, na coação, no embuste, na mentira....Não!", diz a curta nota, sem citar o nome de nenhum time.
No clássico de domingo, o Vasco reclamou muito de um lance em que o volante flamenguista Jonas aplicou uma "voadora" no atacante Gilberto, atingindo o peito e o ombro do adversário, e recebeu apenas cartão amarelo pela jogada. Ainda no primeiro tempo, o técnico Vanderlei Luxemburgo substituiu Jonas, com medo que o jogador fosse expulso.
Nas redes sociais, os torcedores não perderam tempo em tirar sarro da nota oficial emitida por Eurico.

Comércio mundial deve crescer 3,3% em 2015, diz OMC

Segundo instituição, em 2016, crescimento deve ficar em 4%. Em nota divulgada nesta terça-feira (14), organização indica que não espera expansão significativa no curto prazo.

Da Redação

São Paulo – O volume de mercadorias comercializadas no mundo deve crescer 3,3% em 2015 e 4% em 2016, informou a Organização Mundial do Comércio (OMC) em estudo divulgado nesta terça-feira (14). No ano passado, o crescimento do comércio mundial ficou em 2,8%. Segundo o documento, 2014 marcou o terceiro ano consecutivo no qual o comércio cresceu menos de 3%. Na década de 1990, a média de crescimento anual era de 5,1%.

“O crescimento do comércio tem sido desapontador nos últimos anos, em função do longo período de baixo crescimento no Produto Interno Bruto (PIB), após a crise financeira. Olhando à frente, esperamos que o comércio continue com uma recuperação morosa, mas, com um crescimento econômico ainda frágil e tensões políticas contínuas, essa tendência poderia facilmente ser prejudicada”, afirmou o brasileiro Roberto Azevêdo, diretor-geral da OMC, de acordo com o comunicado.

“Mas nós não estamos impotentes frente a esse cenário obscuro. O comércio pode ser uma ferramenta política poderosa para influenciar o crescimento econômico e o desenvolvimento. Por meio da retirada de políticas protecionistas, melhoria no acesso a mercados, evitando políticas que possam distorcer a competição e lutando pela aprovação de reformas nas regras do comércio global, os governos podem impulsionar o comércio e oferecer as oportunidades que ele traz para todos”, completou Azevedo.

Segundo o documento da OMC, diversos fatores contribuíram para a lentidão do avanço do comércio e os resultados de 2014 e início de 2015, entre eles a desaceleração do crescimento do PIB nos países emergentes, uma recuperação desigual nos países desenvolvidos, e crescentes tensões geopolíticas, entre outras. As fortes flutuações de taxas de câmbio, incluindo a valorização de 14% do dólar norte-americano frente a outras moedas entre julho de 2014 e março deste ano, também complicaram a situação do comércio e seus resultados.

A OMC afirma ainda que o colapso nos preços mundiais do petróleo em 2014, com uma queda de 47% entre 15 de julho e 31 de dezembro, e a fragilidade em outras commodities atingiram as receitas de exportação e reduziram a demanda de importação nos países exportadores.

Os preços, lembra a OMC, continuaram a cair desde então, sugerindo excesso de fornecimento, demanda insuficiente ou ambos. Para a organização, ainda vai levar um tempo para se saber se os efeitos disso serão positivos ou negativos sobre o comércio mundial este ano.

Previsões

A OMC prevê que em 2015 as exportações das economias emergentes ou em desenvolvimento devem crescer 3,6%, enquanto suas importações devem aumentar 3,7%.

De acordo com a nota da organização, a Ásia deve ter o melhor desempenho nas exportações entre todas as regiões este ano, com crescimento de 5%, sendo seguida de perto pela América do Norte, com aumento de 4,5%. As vendas internacionais europeias também devem aumentar, com o crescimento de 3% em seus embarques.

A menor taxa de crescimento nas exportações este ano deverá ser a da América do Sul, de 0,2%. Outras regiões, como África e Oriente Médio, terão retração de 0,6%. Sobre as importações, a organização aponta que a América do Norte e Ásia terão aumento de 5% este ano. Já a América do Sul terá queda de 0,5%.

Inflação de abril será ‘bem inferior’, mas avanço não é suficiente, diz BC

O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, afirmou nesta terça-feira (14) que avanços já são observados na política de combate à inflação, mas ainda não são suficientes para garantir a convergência da inflação para o centro da meta, de 4,5%, até dezembro de 2016, como tem defendido a instituição.
Presidente do Banco Central, Alexandre Tombini participa de evento em São Paulo, nesta terça-feira (Foto: Darlan Alvarenga/G1)
“Já a partir deste mês de abril, deveremos observar a inflação mensal em patamar bem inferior ao registrado nos 3 primeiros meses do ano, quando ocorreu a concentração de realinhamento de preços administrados”, afirmou Tombini, durante participação, em São Paulo, de evento do Itaú BBA, braço de investimento do banco.
O presidente do BC destacou a melhora das expectativas de mercado para a inflação em 2016 e nos anos seguintes.
“Certamente esses avanços estão embasados em vários fatores, em especial no compromisso firme da política monetária com a convergência e na eliminação de incertezas que pairavam sobre o realinhamento dos preços administrados”, disse.
“Os avanços alcançados no combate à inflação, a exemplo de sinais favoráveis vindos de indicadores de expectativa de médio e longo prazo, contudo, ainda não se mostram suficientes”, ressaltou.
“Diante disso, faz-se necessário manter a política monetária vigilante. Só assim conseguiremos alcançar um dos pilares do regime de metas para inflação, que é ancorar expectativas e assegurar a convergência da inflação para a meta de 4,5% em dezembro de 2016, cujos benefícios deverão se estender para além do próximo ano”, completou.
A inflação oficial do país, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), ficou em 1,32% em março. Em 12 meses o indicador acumula alta de 8,13%, a maior desde dezembro de 2003 (9,3%).

Depois de subir por 14 semanas seguidas, a estimativa do mercado financeiro para a inflação oficial deste ano recuou na semana passada. A previsão dos economistas, que era de 8,2% na semana anterior, passou para 8,13%, segundo o relatório Focus, divulgado na segunda-feira (13) pelo Banco Central.

‘Valorização do dólar é fenômeno global’
O presidente do BC destacou ainda que a balança comercial deverá voltar a apresentar superávit, influenciada pelo aumento das exportações “a despeito da retração dos preços das commodities” e por alguma contração do volume das importações “dado o menor dinamismo da atividade doméstica”.

Com relação ao câmbio, ele disse que a “valorização do dólar é um fenômeno é global” e que o atual patamar “mais depreciado” do real contribui para a redução do déficit em transações correntes.

“O fortalecimento do dólar tem ocorrido em relação a várias moedas, alcançando o maior patamar dos últimos 12 anos”, disse o presidente do BC, citando que em relação à cesta das outras 6 principais moedas, a divisa dos Estados Unidos valorizou-se 25% nos últimos 12 meses, além de uma valorização de superior a 23% frente ao euro.

Tombini avaliou ainda que os efeitos das medidas de ajuste nas contas públicas, implementado por meio de aumento de tributos, corte de gastos, redução de subsídios e realinhamento de tarifas públicas, “deverão se materializar nos próximos meses”, o que contribuirá para a convergência da inflação para o centro da meta.

"Desempenho fraco no 1º semestre"
Com relação à atividade econômica, Tombini o resultado do PIB (Produto Interno Bruto) de 2014 confirmou a “pausa do crescimento” no ano passado e avaliou que a expectativa é de melhora a partir do segundo semestre.

“A expectativa é de um desemprenho fraco no primeiro semestre deste ano, com ligeira melhora a partir da segunda metade, e um desempenho mais favorável em 2016 como consequência dos ganhos de competitividade decorrentes da depreciação cambial, da melhora da confiança dos agentes, e da melhora dos fundamentos macroeconômicos dos ajustes atuais”, afirmou.

“Neste ano, a economia brasileira passa por um processo de ajuste importante e necessário, o qual fará de 2015 um ano de transição, com vistas na construção de bases mais sólidas para retomada do crescimento econômico sustentável mais à frente”, concluiu.

sábado, 11 de abril de 2015

CRISE!!! STIMA Inicia Porta de Fabrica e Convoca Trabalhadores Para audiencia Publica que será realizada na proxima semana em Açailândia-MA

O STIMA fomentou os problemas e dificuldades do setor siderugico ao Governo do Estado do Maranhão, uma comissão mista de parlamentares foi criada pela assembleia legislativa do Estado do Maranhão e criou-se uma Comissão Especial de Deputados para tratar do problema na região sul do maranhão, o sindicato dos metalúrgicos emitiu uma nota alertando sobre a eminente crise do setor que foi assinada por mais entidades de classe:
ENTIDADES SOLIDARIAS

além do STIMA contribuiram no processo as seguintes entidades:

CUT - Central Única dos Trabalhadores

CNM/CUT – Confederação Nacional dos Metalúrgicos

FIMETAL- Federação Interestadual dos Metalúrgicos do Nordeste

SICAM – Sindicato do Carvão

Rotary Clube 

ACIA - Associação Comercial e Industrial de Açailândia

SICA - Sindicato do Comercio Varejista de Açailândia

CDL/ACL - Câmara de Dirigentes Lojistas de Açailândia

SINPRA – Sindicato dos Pecuaristas de Açailândia

ADEFIA – Associação dos Deficientes Físicos de Açailândia 

SINDICATO DOS TRABALHADORES DA CONSTRUÇÃO CIVIL

SINTRASEMA – Sindicato Dos Trabalhadores em Estabelecimento De Ensino em Açailândia

SECA – Sindicato dos Empregados no Comercio de Açailândia

SINPROESEMMA – Sindicato dos Profissionais da Educação em Estabelecimento de Ensino Estadual e Municipal do Maranhão

    Esse apoio foi é está sendo fundamental em nossos trabalho a nivel de estado, na proxima semana teremos a oportunidade de entender melhor o que está acontecendo com o setor siderurgico no maranhão, é como poderemos reagir e sair desta situação. Jarlis Adelino Presidente do STIMA






quinta-feira, 9 de abril de 2015

Presidente da Nestlé diz que água não é um direito humano e deve ser privatizada

Na opinião de Peter Brabeck, a água deveria ser tratada como qualquer outro bem alimentício e ter um valor de mercado estabelecido pela lei de oferta e procura
O atual presidente e ex-CEO da Nestlé, o maior produtor de alimentos do mundo, acredita que a resposta para as questões globais da água é a privatização. Esta afirmação está no registro da maravilhosa empresa que vende junk food na Amazônia, tem investido dinheiro para impedir a rotulagem de produtos cheios de organismos geneticamente modificados,tem um preocupante registro médico e ético devido à sua fórmula dirigida a crianças e tem implementado um exército cibernético para monitorar crítica na internet e moldar discussões nas mídias sociais.
Esta é, aparentemente, a empresa a qual devemos confiar a gestão da nossa água, apesar de grandes empresas de bebidas como a Nestlé terem um histórico na criação de escassez:Peter Brabeck-Letmathe, um empresário austríaco que é presidente do grupo Nestle desde 2005, afirma que é necessário privatizar o fornecimento da água. Isso para que nós, como sociedade, tomemos consciência de sua importância e acabássemos com o subpreço que se produz na atualidade.
Palavras sujas que provocaram estupor, sobretudo quando se tem em conta que a Nestlé é a líder mundial na venda de água engarrafada. Um setor que representa 8% de seu capital, que em 2011 totalizaram aproximadamente 68,5 bilhões de euros.
Pero Brabeker junta essa a outras críticas para destacar que o fato de muitas pessoas terem a percepção de que a água é gratuita faz com que em várias ocasiões não lhes deem valor e a desperdicem. Assim sustenta que os governos devem garantir que cada pessoa disponha de 5 litros de água diária para beber e outros 25 litros para sua higiene pessoal, mas que o resto do consumo teria que gerido segundo critérios empresariais.
Apesar das rejeições que sua posição provoca, faz tempo que ele defende, sem cerimônia, com entrevistas como esta que aparece no vídeo abaixo, que qualifica de extremistas as ONGs que sustentam que a água deveria ser um direito fundamental.

Venda de motos cresce em março, mas previsão é fechar o ano em queda

A produção e venda de motocicletas cresceram 14,9% em março deste ano, em relação a fevereiro, e em comparação com março de 2014 a alta ficou em 1,6%, enquanto no trimestre houve queda de 12,6% sobre o ano anterior, e a indústria deve fechar o ano com uma queda na produção em relação ao ano passado.

O levantamento foi divulgado hoje (9) pela Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo). De acordo com a Abraciclo, a indústria de motocicletas projeta produção de 1.415.000 unidades para este ano, o que representa uma queda de 6,8% em relação ao volume total de 2014. A perspectiva da associação é de que “as vendas no atacado e varejo devem atingir 1.360.000 e 1.365.000 unidades, ficando, respectivamente, 4,9% e 4,5% abaixo do concretizado no ano passado”.

“Foi necessário reajustar nossas expectativas para 2015, diante dos resultados do primeiro trimestre, do cenário de contenção e rigidez na economia brasileira. O momento ainda é de incertezas, estamos na expectativa da assertividade das políticas adotadas pelo governo e que possamos experimentar novo ciclo de crescimento no nosso país”, disse, em nota, Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo.

As vendas no atacado, feitas para as concessionárias, aumentaram 20,6% em relação ao mês anterior e 3% sobre março de 2014. Já as exportações registraram recuo de 32,3% em março, se comparado ao mês passado. Na comparação ao mesmo mês de 2014, houve uma retração de 80,6%.

Ainda em março, com base nos licenciamentos registrados, foram emplacadas 32,7% mais motocicletas do que em fevereiro. Em relação a março de 2014, houve alta de 11%.

O levantamento reuniu ainda dados do trimestre. Nos primeiros três meses do ano, foram fabricadas 12,6% a menos motocicletas do que o total registrado no mesmo período de 2014. As vendas no atacado caíram 6,9%, na comparação trimestral.

Na exportação, houve recuo de 76,1% de janeiro a março deste ano, ante o mesmo período do ano passado. Houve ainda queda de 10,5% nas motocicletas emplacadas, em relação a 2014.

Tags: abraciclo, crescimento, motocicletas, produção, venda