.

.

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

STIMA já planeja pauta de Negociação Salarial para 2015

A Data-base dos Metalúrgicos de Açailândia e Região e apenas em 01 de Março, porém a diretoria sindical trabalha bem antes do prazo judicial. em novembro o STIMA publicará o Edital de Convocação para a Assembléia de aprovação de pauta com todos os trabalhadores sócios e não sócios, após 30 dias provavelmente dia 20 de dezembro será realizada efetivamente a assembléia para homologação do pedido dos trabalhadores junto ao sindicato patronal SIFEMA, até o dia 20 de janeiro de 2015 o STIMA terá que protocolar o pedido junto ao sindicato patronal, é ambos tem até o dia 28 de fevereiro para homologar o acordo evitando assim o dissídio.


A Diretoria Executiva do STIMA realizará assembléia para definir estratégias de negociação ainda no inicio de novembro segundo a secretaria geral da Entidade Luzanira de Jesus o Presidente do Sindicato Jarlis Adelino está trabalhando forte e firme na pauta que será apresentada aos trabalhadores na assembléia deliberativa da base em dezembro deste ano afirmou Luzanira de Jesus. 


Fonte: Secretaria Geral do STIMA

A Historia do Ministério do Trabalho e Emprego no Brasil

1912 - Foi constituída a Confederação Brasileira do Trabalho - CBT , durante o quarto Congresso Operário Brasileiro, realizado nos dias 7 e 15 de novembro, incumbida de promover um longo programa de reivindicações operárias: jornada de oito horas, semana de seis dias, construção de casas para operários, indenização para acidentes de trabalho, limitação da jornada de trabalho para mulheres e menores de quatorze anos, contratos coletivos ao invés de contratos individuais, seguro obrigatório para os casos de doenças, pensão para velhice, fixação de salário mínimo, reforma dos impostos públicos e obrigatoriedade da instrução primária.
1918 - Foi criado o Departamento Nacional do Trabalho, por meio do Decreto nº 3.550, de 16 de outubro, assinado pelo Presidente da República, Wenceslau Braz P. Gomes, a fim de regulamentar a organização do trabalho no Brasil.
1923 - Foi criado o Conselho Nacional do Trabalho, por meio do Decreto nº 16.027, de 30 de abril, assinado pelo Presidente Artur Bernardes.
1928 - Foi alterada a redação do Decreto que criou o Conselho Nacional do Trabalho por meio do Decreto nº 18.074, de 19 de janeiro, assinado pelo Presidente Washington Luiz.
1930 - Foi criado o Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio, por meio do Decreto nº 19.433, de 26 de novembro, assinado pelo Presidente Getúlio Vargas, assumindo a pasta o Ministro Lindolfo Leopoldo Boeckel Collor.
O Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio foi organizado pelo Decreto nº 19.667, de 4 de fevereiro, com a seguinte estrutura:
  • Secretário de Estado;
  • Departamento Nacional do Trabalho;
  • Departamento Nacional do Comércio;
  • Departamento Nacional de Povoamento;
  • Departamento Nacional de Estatística.
1932 - O Ministro de Estado Lindolfo Leopoldo B. Collor solicitou sua demissão em 2 de março, sendo seu sucessor o Ministro Joaquim Pedro Salgado Filho. Foram criadas as Inspetorias Regionais do Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio, por meio dos Decretos nºs 21.690 e 23.288, de 1º de agosto de 1932 e 26 de outubro de 1933, respectivamente.
1933 - Foram criadas as Delegacias do Trabalho Marítimo, por meio do Decreto nº 23.259, de 20 de outubro, para inspeção, disciplina e policiamento do trabalho nos portos.
1940 - As Inspetorias Regionais foram transformadas em Delegaciais Regionais do Trabalho, por meio do Decreto-Lei nº 2.168, de 6 de maio.
1960 - O Ministério passou a ser denominado de Ministério do Trabalho e Previdência Social, por meio da Lei nº 3.782, de 22 de julho.
1964 - Foi criado o Conselho Superior do Trabalho Marítimo, por meio da Lei nº 4.589, de 11 de dezembro, constituído por representantes dos Ministérios do Trabalho e Previdência Social, da Marinha, da Agricultura e dos Empregadores e Empregados.
1966 - Foi criada a Fundação Centro Nacional de Segurança, Higiene e Medicina do Trabalho - FUNDACENTRO, por meio da Lei nº 5.161, de 21 de outubro, para realizar estudos e pesquisas pertinentes aos problemas de segurança, higiene e medicina do trabalho. Foi criado o Serviço Especial de Bolsas de Estudos - PEBE, órgão autônomo vinculado ao Ministério, extinto o Conselho Nacional do Trabalho, por meio do Decreto nº 57.870, de 25 de fevereiro.
1971 - Foi estabelecida, provisoriamente, por meio do Decreto nº 69.014, de 4 de agosto, a seguinte estrutura básica do Ministério:
  • Gabinete do Ministro;
  • Consultoria Jurídica;
  • Divisão de Segurança e Informações;
  • Secretaria-Geral;
  • Inspetoria-Geral de Finanças;
  • Conselho Nacional de Política Salarial;
  • Comissão da Ordem do Mérito;
  • Secretaria do Trabalho;
  • Secretaria da Previdência Social;
  • Secretaria da Assistência Médico-Social;
  • Departamento de Administração;
  • Departamento do Pessoal.
1972 - Foi criado o Conselho Consultivo de Mão-de-Obra, por meio do Decreto nº 69.907, de 7 de janeiro.
1974 - O Ministério passou a ser denominado de Ministério do Trabalho, por meio da Lei nº 6.036, de 1º de maio.
1976 - Foi criado o Serviço Nacional de Formação Profissional Rural, SENAR, órgão autônomo vinculado ao Ministério, por meio do Decreto nº 77.354, de 31 de março.
1977 - Foi criado o Conselho Nacional de Política de Emprego, por meio do Decreto nº 79.620, de 18 de janeiro.
1978 - Foi alterada a denominação da FUNDACENTRO para Fundação Jorge Duprat Figueiredo, de Segurança e Medicina do Trabalho, por meio da Lei nº 6.618, de 16 de dezembro. Foi alterada a denominação do Conselho Consultivo de Mão-de-Obra para Conselho Federal de Mão-de-Obra, por meio do Decreto nº 81.663, de 16 de maio.
1980 - Foi criado o Conselho Nacional de Imigração, por meio da Lei nº 6.815, de 19 de agosto.
1989 - Foram extintas as Delegacias do Trabalho Marítimo, o Conselho Superior do Trabalho Marítimo, o Conselho Federal de Mão-de-Obra e o PEBE, por meio da Lei nº 7.731, de 14 de fevereiro. Foi criado o Conselho Curador do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço, por meio da Lei nº 7.839, de 12 de outubro.
1990 - Foi criado o Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador, por meio da Lei nº 7.998, de 11 de janeiro. Por meio da Lei nº 8.028, de 12 de abril, foram criados os seguintes órgãos:
  • Conselho Nacional de Seguridade Social;
  • Conselho Nacional do Trabalho;
  • Conselho de Gestão da Proteção ao Trabalhador;
  • Conselho de Gestão da Previdência Complementar;
  • Conselho de Recursos do Trabalho e Seguro Social.
Foram também extintos os seguintes órgãos:
  • Conselho Nacional de Política Salarial;
  • Conselho Nacional de Política de Emprego.
A referida Lei também alterou a denominação do Ministério, que passou a se chamar Ministério do Trabalho e da Previdência Social.
1991 - Foi extinto o SENAR, por meio do Decreto de 10 de maio.
1992 - O Ministério passou a ser denominado Ministério do Trabalho e da Administração Federal, por meio da Lei nº 8.422, de 13 de maio. Por meio do Decreto nº 509, de 24 de abril, foi criada a DRT no Estado de Tocantins e extintos os seguintes órgãos:
  • Conselho Nacional de Seguridade Social;
  • Conselho de Gestão da Proteção ao Trabalhador;
  • Conselho de Gestão da Previdência Complementar;
  • Conselho de Recursos do Trabalho e Seguro Social;
  • Conselho Nacional do Trabalho.
Por meio da Lei nº 8.490, de 19 de novembro, foi criado o Conselho Nacional do Trabalho e o Ministério passou a ser denominado de Ministério do Trabalho.
1995 - O Ministério do Trabalho passou a ter nova estrutura organizacional por meio do Decreto nº 1.643, de 25 de setembro. A Secretaria de Controle Interno - CISET foi transferida para o Ministério da Fazenda por meio do Decreto nº 1.613, de 29 de agosto.
1999 - O Ministério passou a ser denominado Ministério do Trabalho e Emprego, por meio da Medida Provisória nº 1.799, de 1º de janeiro. Com o Decreto nº 3.129 de 9 de agosto de 1999 o Ministério passou a ter seguinte estrutura organizacional:
  • Gabinete do Ministro;
  • Secretaria-Executiva;
  • Consultoria Jurídica;
  • Corregedoria
  • Secretaria de Políticas Públicas de Emprego;
  • Secretaria de Inspeção do Trabalho;
  • Secretaria de Relações do Trabalho;
  • Delegacias Regionais do Trabalho;
  • Conselho Nacional do Trabalho;
  • Conselho Curador do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço;
  • Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador;
  • Conselho Nacional de Imigração;
  • Fundação Jorge Duprat Figueiredo, de Segurança e Medicina do Trabalho - FUNDACENTRO
2003 - Aprovada a Estrutura Regimental e o Quadro Demonstrativo dos Cargos em Comissão e das Funções Gratificadas do Ministério do Trabalho e Emprego pelo Decreto nº 4.634, de 21 de março; O Decreto nº 4.764, de 24 de junho, estruturou a Secretaria Nacional de Economia Solidária; e Foi instituído o Fórum Nacional do Trabalho pelo Decreto nº 4.796, de 29 de julho.
2004 - Decreto nº 5.063, de 3 de maio, deu nova Estrutura Regimental ao Ministério do Trabalho e Emprego, estruturando a Ouvidoria-Geral e o Departamento de Políticas de Trabalho e Emprego para a Juventude.

2008 - O Decreto nº 6.341, de 3 de janeiro alterou a nomenclatura das Delegacias Regionais do Trabalho para Superintendências Regionais do Trabalho e Emprego, das Subdelegacias do Trabalho para Gerências Regionais do Trabalho e Emprego e das Agências de Atendimento para Agências Regionais. As Superintendências Regionais do Trabalho e Emprego passaram a ser competentes pela execução, supervisão e monitoramento de todas as ações relacionadas às políticas públicas afetas ao Ministério do Trabalho e Emprego.

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Consumo de remédios falsos no país preocupa

Consumo de remédios falsos no país preocupa Sincofarma/MT
O aumento da venda e consumo de medicamentos falsificados está preocupando o Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos no Brasil.
O uso pode prejudicar o quadro clínico do paciente e até mesmo o matando. Entre os medicamentos mais falsificados estão antidepressivos, Viagra e emagrecedores. A preocupação é tanta que o sindicato lançou uma campanha na televisão. 

Já foi alertado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) que o brasileiro consome em média 30% de medicamentos falsos. Apesar de não possuir um número regional, Ricardo destaca que a venda desses produtos faz parte da realidade do mato-grossense. 

Os produtos chegam às prateleiras por meio de cargas roubadas, podendo ser também composições sem registros na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Segundo Ricardo, o consumidor deve ficar atento aos preços baixos ofertados no mercado. 

“Existe hoje uma cultura popular em que o celular caro é o melhor, roupas só se forem de grifes, mas o remédio, esse sim precisa ser o mais barato. Isso não é verdade”, explica Ricardo. 

O mais preocupante do consumo, segundo o farmacêutico, é que o uso desse tipo de medicação pode matar. “Quem procura pelo menor preço, pode sofrer com as consequências no futuro. A consequência por fazer um tratamento indevido”, ressalta. Para ele fica claro que se há esse tipo de oferta, é porque existe mercado, consumo. 

Para evitar comprar medicamentos falsos, o consumidor deve se atentar para o local de compra. As farmácias devem deixar a vista dos clientes os alvarás de funcionamento, expedidos pela prefeitura, vigilância sanitária e Conselho Regional de Farmácia. “Essa é uma das formas de garantir a compra de um produto de qualidade”. 

Entre os produtos mais falsificados estão os antibióticos, analgésicos, emagrecedores, antidepressivos e estimulante sexual, o viagra. 

“Esses produtos são os mais visados por esse mercado negro, devido a grande quantidade de vendas”, frisa o presidente. Ele exemplifica o caso dos viagras, que seu genérico sai por R$ 10 reais e o falsificado é encontrado por R$ 1,00. 

O paciente deve procurar um médico, caso esteja tomando um medicamento para inibir uma reação, mas que só aumenta. “O consumidor e paciente deve se atentar aos alertas dado pelo corpo. Se você está tomando um medicamento que não faz efeito, pelo contrário, só aumenta os sintomas, você precisa consultar o médico. Preço baixo não é tudo!”, finaliza o presidente. 

Em 30 de outubro, uma das categorias mais antigas do Brasil é homenageada com o Dia do Comerciário


Desde o ano passado, com a profissão reconhecida em carteira de trabalho, quando a presidente Dilma Rousseff, em 14 de março, sancionou a lei de regulamentação do comerciário.

Mesmo com o reconhecimento tardio, o dia 30 de outubro é comemorado desde o século XX devido à luta intensa dos trabalhadores por melhores condições de trabalho e fim da exploração. Foi na década de 1930 que surgiram as primeiras entidades que defendiam os empregados do comércio e o trabalho digno para a categoria. Na época, os comerciários trabalhavam por mais de 12 horas por dia, domingos, feriados e não tinham direito a folgas. 

Em 1932, milhares de comerciários do Rio de Janeiro realizaram grande passeata até o Palácio do Catete e foram recebidos pelo, então presidente da República, Getúlio Vargas. Na ocasião, os trabalhadores entregaram diversas reivindicações sobre jornada de trabalho ao líder político. No mesmo dia, foi assinado o Decreto Lei N° 4.042, de 29 de outubro de 1932, que acabava com a carga horária de 12 horas diárias, passando para 8 horas e instituía o repouso semanal remunerado aos domingos. O documento foi publicado no Diário Oficial no dia 30 de outubro de 1932. Assim, a data foi definida como Dia do Comerciário.

Para atuar nessa luta e ampliar os direitos dos trabalhadores do comércio, o Sindicato dos Comerciários de Osasco e Região (Secor) foi fundado em 1976 e, desde estão, vem crescendo como entidade, tendo cada vez mais representatividade no cenário sindical para lutar para e pelo trabalhador. O Secor acredita que nada substitui o desempenho do comerciário, nem mesmo a atual tecnologia presente no sistema comercial. 

No ano passado, comemoramos, ao lado dos trabalhadores, o reconhecimento e a regulamentação da profissão comerciária. O Secor é movido pelo espírito de luta para trabalhar pelos comerciários, seja na porta de empresa, em nossas Campanhas Salariais, ou na busca de benefícios para nossa categoria. 

A Lei 12.790 assegura direitos importantes para a categoria como obrigatoriedade de especificação da profissão na carteira de Trabalho e Previdência Social, a qual determina a jornada de trabalho de 8 horas diárias e 44 horas semanais, e pode ser alterada mediante convenção coletiva ou acordo coletivo. Além de muitas outras garantias, como a possibilidade da adoção da jornada de 6 horas para o trabalho realizado em turnos de revezamento. Com a lei, o dia 30 de outubro é oficialmente o Dia do Comerciário. 

Mesmo com todos esses avanços, a luta dos trabalhadores sempre será uma batalha diária! O Secor continuará buscando a evolução dos direitos trabalhistas, mesmo porque o comércio sempre foi um negócio primordial para a sociedade e quem trabalha diretamente com isso tem o direito de ser devidamente reconhecido. 

Nessa data tão importante, o Sindicato dos Metalúrgicos de Açailândia parabeniza os comerciários e as entidades que trabalham para a categoria continuar avançando! Nós ainda podemos muito mais!

ATENÇÃO!!! Mais uma Grande Parceria do STIMA para os Associados! CARTÓRIO POSTAL


O STIMA celebrou nessa quinta-feira(30) de outubro de 2014, mais uma grande parceria para os Trabalhadores Metalúrgicos Associados ao Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Açailândia e Região STIMA, à parceria com o CARTÓRIO POSTAL.

basta o Associado do STIMA apresentar a Carteirinha de Sócio do Sindicato para obter 10% (dez por cento) de desconto no rol de atendimento do Cartório! Confira:
LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO NACIONAL DE DOCUMENTOS
  1. Averbação
  2. 2ª Via de Registro Civil (nascimento, casamento e óbito)
  3. Consulta ao SPC e SERASA
  4. Certidão de Distribuidores 
  5. Certidões para compra e venda de Imoveis 
  6. Pasta Pronta Imobilíaria
  7. Certidão de Registro de Imóveis
  8. Minutas de Escrituras
  9. Notificação para todo o Brasil
  10. Negativa de Protestos
  11. Reabilitação de Crédito
  12. Registro de Contratos 
  13. Pesquisa Patrimonial 
  14. Histórico Escolar 
  15. Protesto de Títulos em todo o Brasil
  16. Cidadania Estrangeira 

O CARTÓRIO POSTAL de Açailândia Também faz:
  1. Empréstimos financeiros para servidores públicos e privados
  2. Serviços Imobiliários, em breve trabalho de financiamento de imoveis através do Banco do Brasil  
  3. Regularização de Imóvel.

entre outros serviços do CARTÓRIO POSTAL AÇAILÂNDIA!
Endereço: RUA BONAIRE, N 312 LOJA 1 - CENTRO DE AÇAILÂNDIA CEP: 65930-000, TELEFONE (99) 3538-3293 / 9172-3293 EMAIL- contato.acailandia@cartoriopostal.com.br

Fonte: STIMA/Secretaria Jurídica  

   

ATENÇÃO Metalúrgicos de Açailândia o STIMA fechou mais uma Grande Parceria que Beneficiará os Metalúrgicos e Familia


Quem Somos

Desde 1997, a DentalShow oferece soluções para a promoção da saúde bucal, com ampla rede que abrange Beneficiários em todo o país. Seu objetivo primordial é garantir máxima qualidade no atendimento, proporcionando satisfação e bem estar aos seus clientes e usuários.
  
A Rede Credenciada DentalShow tem como diferencial a possibilidade de indicação do dentista de confiança do usuário, o que garante atendimento personalizado, contribuindo para uma sensível melhoria na qualidade de vida, bem-estar, relacionamento e valorização de todos os envolvidos.
  
Registrada na ANS – Agencia Nacional de Saúde – a DentalShow cobre desde procedimentos simples a cirurgias e próteses, primando pela agilidade na aprovação de procedimentos e no pagamento a rede credenciada.
 Missão

Prover soluções inovadoras, diversificadas, como integradora de serviços com sustentabilidade, flexibilidade, excelência e foco no agir e pensar do cliente.
 Visão
 Perpetuar-se pela excelência, inovação e geração de valor, superando as expectativas dos clientes.
 Valores
 RESPEITO – Integridade, confiança e garantia incondicional permeiam as relações entre nós e todos em nossa volta.
  
EMPREENDEDORISMO – Aqui a criatividade é incentivada. Cultivamos a ousadia, a inovação, o pensar no futuro.

 ESPÍRITO DE SERVIR – Satisfazer com gentileza e zelo às pessoas, sejam elas clientes, consumidores, estabelecimentos, colaboradores, fornecedores e a sociedade.
  
TRANSPARÊNCIA – Em tudo. E com todos.
  
RESILIÊNCIA – Valorizamos a capacidade das pessoas de enfrentar e superar as adversidades, aprendendo , crescendo e mantendo a motivação.
  
RAPIDEZ e DETERMINAÇÃO – Agir rápido nas decisões, sendo simples, objetivo e eficaz no alcance dos melhores resultados. Pratique a Iniciativa e “Acabativa”. Começou? Termine.
  
FLEXIBILIDADE – Entender e saber valorizar as diferenças entre pontos de vista diversos, adaptando nosso próprio enfoque. Estar disposto à mudança, a novas situações. Queremos ser flexíveis internamente para sabermos oferecer flexibilidade aos nossos clientes.
  
VALORIZAÇÃO DA EQUIPE – Valorização do talento e da competência, acreditando na capacidade de desenvolvimento das pessoas por meio de uma liderança livre de patentes.
  
COMPROMETIMENTO – Fazer ao outro o que gostaríamos que fizessem conosco. É mais que um valor, é um mandamento.

PAIXÃO – O que vale mesmo é o entusiasmo, ter paixão pelo que fazemos, lá fora e aqui dentro.
imagem mae e filho

 Plano Referência


Com o Plano Odontológico DentalShow, você  cuidada sua saúde bucal e a de sua família por um preço acessível.

Veja as vantagens do Plano Odontológico DentalShow: 

- Cerca de 95% dos procedimentos mais utilizados são cobertos pelo plano, garantindo um sorriso bem cuidado

Agilidade na aprovação dos tratamentos

- Rede credenciada dimensionada à sua necessidade

- Atendimento personalizado

- Possibilidade de indicação do seu "Dentista de Confiança"

- Central de Atendimento 24 horas - suporte / informação aos Beneficiários e Clientes


Confira as coberturas DentalShow:

Diagnóstico

Urgência 24 horas (nacional e internacional)

Radiologia (raio-X)

Prevenção (limpeza)

Odontopediatria (criança)

Dentística (obturação e restauração)

Periodontia (gengiva)

Cirurgia (extração de dente, incluindo ciso)

Endodontia (canal)

Prótese (contratual) 
O STIMA fechou essa parceria para os metalúrgicos com preços acessíveis, com pagamento através do Cartão VALE CARD, tudo isso por apenas R$ 16,00 por pessoa, maiores informações pelo (99) 3538-3786.

confira e veja o que a Dental Show traz para você é sua Família pelo site:
www.dentalshow.com.br 

O STIMA busca nessa parceria oferecer aos Trabalhadores oportunidades de acesso a saúde, temos o compromisso com a classe trabalhadora, essa parceria se estende a todos os familiares dos trabalhadores com o mesmo proposito, a saúde do trabalhador e dos seus familiares. A implantação deste programa de atenção à saúde bucal do trabalhador pelo sindicato é uma das formas mais eficaz e determinante na prevenção de alterações da saúde bucal disse Jarlis Adelino Presidente do STIMA.

Fonte: STIMA/Secretaria de Saúde do Trabalhador 

OIT e Cepal: apesar de desaceleração econômica, América Latina e Caribe geram empregos

Estudo sobre formalização do emprego e distribuição dos rendimentos do trabalho, da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal), foi lançado esse mês. O estudo traz indicadores do mercado de trabalho na América Latina e no Caribe para o primeiro semestre de 2014 e mostra que apesar do pouco crescimento econômico não aumentará o desemprego na região neste ano: na verdade, o mesmo cairá para 6,0% ou 6,1% (estimativa), comparado ao índice de 6,2% em 2013. O estudo ainda pondera que o crescimento econômico da América Central será maior que o do resto da região e que na região como um todo se prevê maior crescimento no segundo semestre.
No primeiro semestre de 2014, segundo o estudo, a desaceleração econômica afetou a geração de emprego, que se expressa na diminuição da criação de emprego assalariado formal. Mas a queda da geração de emprego não se traduziu em maior desemprego ou diminuição de salários, que tiveram moderados incrementos. Assim, apesar da crise mundial, a formalização continuou crescendo: entre 2009 e 2013, os empregos formais cresceram 12,7%, enquanto os informais somente 2,6%, o que indica uma melhora da inserção no mercado de trabalho. A distribuição da renda, no mesmo período, melhorou, tendo como causa também a formalização do emprego. O aumento da formalidade beneficiou especialmente assalariados, trabalhadores com nível intermediário de escolaridade e mulheres.
O estudo aponta que um dos motivos da continuidade da queda do desemprego é a saída de pessoas da população ativa, fenômeno que tem ocorrido na região desde 2013. Por exemplo, no Brasil, entre o primeiro semestre de 2013 e o mesmo período em 2014, segundo o estudo, a taxa de participação dos jovens de 15 a 24 anos no mercado de trabalho caiu de 52,6% para 50,2%, enquanto na faixa etária de 25 a 49 anos se contraiu somente de 81,5% para 81,1%. Entre os adultos de mais de 50 anos, também houve redução significativa, de 40,6% para 39,3%.
No geral, portanto, o balanço do mercado de trabalho na região é positivo, apesar da desaceleração econômica. Permanecem como desafios a elevada heterogeneidade no mercado de trabalho, especialmente considerando a desigualdade de gênero.

Em setembro, o faturamento bruto da indústria de máquinas e equipamentos do Brasil somou mais de R$ 6 bilhões, com aumento de 6,4% sobre agosto e queda de 17,9% sobre setembro do ano passado.

São Paulo - Em setembro, o faturamento bruto da indústria de máquinas e equipamentos do Brasil somou mais de R$ 6 bilhões, com aumento de 6,4% sobre agosto e queda de 17,9% sobre setembro do ano passado, segundo dados da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq).
Neste ano, os preços das máquinas e equipamentos cresceram menos que os custos, o que reduziu as margens do setor.
No mês passado, a balança comercial do setor registrou déficit, somando US$ 1,302 bilhão de saldo negativo, valor 18,2% superior ao déficit de agosto e 15,6% menor que o de setembro de 2013. As exportações totalizaram US$ 1,087 bilhão, ficando 5,4% abaixo das de agosto deste ano e 7,9% acima das do mesmo mês do ano passado.
Já as importações somaram US$ 2,389 bilhões, com aumento de 6,1% sobre agosto e queda de 6,3% em comparação a setembro do ano passado.
Segundo a Abimaq, o número de pessoas ocupadas no setor vem recuando, com queda de 0,7% em setembro em relação a agosto, com 243.173 empregos, o menor número desde julho de 2010.

Prejuízo da Usiminas alcança os R$ 24 mi no 3º trimestre

FABRICA DA USIMINAS
Pífio.A receita líquida da siderúrgica mineira entre julho e setembro foi de R$ 2,9 bilhões, queda de 6,4%
PUBLICADO EM 30/10/14 - 04h00
A Usiminas registrou um prejuízo líquido de R$ 24 milhões no terceiro trimestre deste ano, contra um lucro líquido de R$ 129 milhões do segundo trimestre. Já o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) foi de R$ 357 milhões, queda de 35% em relação ao período anterior. “Temos muito o que trabalhar internamente para melhorar a nossa competitividade. E isso significa olhar de forma responsável para os nossos custos operacionais, com uma visão industrial mais rigorosa”, disse o presidente Rômel Erwin de Souza, que divulgou nesta quarta os resultados.

No mercado, a culpa pelo fiasco no terceiro trimestre está no discurso dos argentinos – nos últimos dois anos, o presidente foi Julián Eguren. “O que sustentou os bons resultados de Eguren foi apenas fatores externos, quando o mercado estava melhor”, disse uma fonte. “Se a empresa tivesse os custos controlados como ele (Eguren) tanto pregou, esse resultado negativo seria amortecido, mas na primeira queda de mercado, a Usiminas já teve prejuízo”, disse a fonte.
A reclamação se baseia em números: no terceiro trimestre de 2013, eram necessários R$ 1.708 para fazer uma tonelada de aço. No mesmo período deste ano, o custo da Usiminas pulou para R$ 1.809. “As ineficiências operacionais estão nos alto-fornos e sinterização das usinas de Ipatinga (MG) e Cubatão (SP)”, informou a fonte, lembrando que o custo das matérias-prima como minério e carvão caíram. “Que turnaround (reviravolta na empresa) é esse que não sustenta um resultado quando o mercado cai”, critica.
No terceiro trimestre, o volume total de vendas de aço, de 1,4 milhão de toneladas, apresentou queda de 4% se comparado ao segundo trimestre. O volume comercializado no mercado interno teve queda de 14% principalmente devido à desaceleração de vários setores industriais. Em função da menor demanda no mercado interno, a Usiminas direcionou ao mercado externo 337 mil toneladas. A produção de aço bruto das usinas de Ipatinga e de Cubatão foi de 1,4 milhão de ton, 12% menor que o período anterior.
Perfil
PresidenteRômel de Souza está há quase 40 anos na Usiminas e é uma pessoa que tem muito respaldo dos funcionários. O mandato dele é temporário até que os acionistas entrem em um consenso.

Executivos afastados em setembro

Durante este ano, a auditoria interna da Usiminas fez um relatório constatando que o presidente da Usiminas, Julián Eguren, e os vice-presidentes Marcelo Chara e Paolo Bassetti – os três indicados pelo acionista Techint – receberam bônus e benefícios irregulares que, somados, chegam a cerca de R$ 1 milhão.

Os desvios foram ratificados pelas auditorias ErnestYoung e a Delloitte. Por isso, em 25 setembro, o Conselho da Usiminas decidiu destituir dos cargos Eguren, Chara e Bassetti.

Preço do petróleo caiu 25% mas tarda em refletir-se nos combustíveis

A alta carga fiscal sobre os produtos petrolíferos está a impedir que os consumidores beneficiem da queda dos preços do petróleo nos mercados internacionais, disse o responsável pelo departamento de energia da "Economist Intelligence Unit".
 
AXEL SCHMIDT/REUTERS
Vista geral da refinaria de Kraftstoffe (PCK) em Schwedt/Oder, na Alemanha
"A descida dos preços vai chegar aos consumidores, mas o processo não é imediato, há sempre um período de tempo entre a queda no preço do barril e a descida do preço do produto refinado, e na Europa o custo real do petróleo representa apenas uma pequena parte do preço total, por isso haverá uma descida dos preços, sim, mas não tão grande como os valores da descida do preço do petróleo", disse Peter Kiernan, em entrevista à Lusa a partir de Londres, a sede do departamento de estudos e análise económica da revista The Economist.

O pessimismo generalizado no mercado, conhecido como "bear market", levou a maioria dos analistas a descerem as previsões do preço médio do petróleo para valores na casa dos 80 dólares no final deste ano e para o próximo, o que cria um problema aos países que dependem do petróleo para equilibrar os orçamentos.
"A procura fraca tinha sido absorvida pelo mercado porque alguns países também estavam a produzir menos, mas agora o Sudão, a Síria, o Iémen e a Líbia aumentaram a produção e isso desequilibrou o mercado, fazendo os preços descer", explicou Peter Kiernan, sublinhando que "a chave é saber por quanto tempo o petróleo vai manter-se baixo".
Em Angola, o segundo maior produtor de petróleo em África, o Governo está a rever em baixa a previsão do preço do petróleo no próximo ano, descendo de 98 para 81 dólares por barril, de acordo com a proposta de Orçamento do Estado, que prevê também um défice orçamental de 9,4 mil milhões de euros, o que representa 7,6% do PIB estimado para 2015 e uma quase duplicação face aos 4% com que o executivo prevê chegar ao final deste ano.
"O mercado está a tornar-se mais competitivo para Angola, porque o tipo de petróleo que exportavam para os EUA de forma massiva é muito semelhante ao que os próprios EUA estão a produzir, por isso têm de o vender noutro lado, nomeadamente na Ásia, onde os produtores do Médio Oriente já estão implantados, e por isso é natural que estejam a praticar descontos sobre o preço anunciado", explicou o analista da EIU.

terça-feira, 28 de outubro de 2014

GLOBO NEWS FALA A VERDADE AO FALAR DOS MEDICOS DE CUBA



O jornalista que chamou a notícia fez cara de decepção ao chamar o Jorge Pontual, como se a notícia fosse negativa, mas teve que engolir a verdade sobre Cuba.

OAB defende mobilização como a das 'Diretas Já' para aprovar reforma política

-
Manifestação pelas eleições diretas para presidente tomou as ruas do país em 1984
Para aprovar a reforma política será necessária uma mobilização semelhante ao movimento pelas eleições diretas, defendeu ontem (23) a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), no encerramento do Congresso Nacional de Advogados. O secretário da Comissão Especial de Mobilização pela Reforma Política Democrática da OAB, Aldo Arantes, destacou que o projeto defendido pela entidade e mais 102 instituições vai requerer grande envolvimento da sociedade para passar no Legislativo.
"Uma proposta dessa natureza tem dificuldade de passar no Congresso, mas, se a sociedade se mobiliza, consegue. A influência dessa pressão sobre o Congresso é muito forte. Portanto, o pressuposto absolutamente necessário é o envolvimento da sociedade", disse Arantes. Acrescentou que este debate será a principal pauta política do ano que vem: "é necessária uma reforma política democrática, que assegure uma identificação entre a representação política e as aspirações da maioria da sociedade. Por isso, apresentamos esse projeto. Temos o dever e o papel de mobilizar a sociedade em algo semelhante ao que foi a "Diretas Já".
O ponto mais importante a ser aprovado pela reforma política, na visão da OAB, é o fim do financiamento de empresas às campanhas, com a permissão apenas de financiamento público ou de pessoas físicas, com valor limitado. Outro, é a votação legislativa em dois turnos, quando os eleitores votariam, primeiro, nos projetos dos partidos, para depois escolherem seus candidatos entre os partidos eleitos.
"Isso faz com que o debate se coloque em outro patamar, que a eleição não se dê em torno de pessoas, mas de projetos para o país, reduzindo o número de candidatos e de partidos de forma democrática e consolidando política e ideologicamente os partidos do país", defendeu Aldo Arantes.
A OAB também defende o voto em lista fechada baseado nas propostas apresentadas. Assim, no primeiro turno os candidatos seriam definidos em eleições internas e, nesta listagem, seria obrigatória a divisão igualitária entre homens e mulheres: "vivemos a situação absurda em que as mulheres são mais de 50% da população e menos de 10% dos congressistas eleitos".
O último dos quatro pontos defendidos é o fortalecimento dos mecanismos de participação direta, como os plebiscitos, referendos e projetos de iniciativa popular enviados ao Legislativo. "Eles estão presentes na Constituição, mas são praticamente letra morta", criticou Arantes.
A proposta de reforma política defendida pela OAB é assinada, também, por entidades religiosas, como a Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e o Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (Conic), de representantes sindicais, como a Central Única dos Trabalhadores (CUT), e por outras entidades e movimentos sociais como a União Nacional dos Estudantes (UNE), o Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) e o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST).
(Fonte: Vinicius Lisboa - Rede Brasil Atual)

Líderes internacionais destacam fortalecimento de laços com governo Dilma

Os presidentes da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, e do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy, parabenizaram ontem (27) a presidenta Dilma Rousseff por sua reeleição, afirmando que o novo mandato permitirá uma consolidação da democracia e da inclusão social no país. "Em nome da União Europeia apresentamos nossas mais calorosas felicitações por sua reeleição como presidente da República Federativa do Brasil. Desejamos a Dilma todo o êxito no cumprimento da missão que o povo brasileiro lhe confiou de novo", indicaram os líderes em comunicado.
Barroso e Van Rompuy destacaram que a sequência do governo é "uma oportunidade única para consolidar a trajetória inequívoca de construção da democracia e da inclusão social no Brasil, baseada na promoção da igualdade de direitos e de oportunidades, e a estabilidade econômica".
Ambos os líderes comunitários, que estão de saída das instituições que comandam, se mostraram seguros de que seus sucessores trabalharão com o governo de Dilma para ampliar a associação estratégica entre a UE e o Brasil.
O fortalecimento dos laços terá como o objetivo alcançar novas metas que permitam impulsionar o crescimento, a competitividade de ambas as economias e fazer frente aos atuais desafios globais, destacaram os líderes em nota.
"Europa e Brasil compartilham os mesmos valores democráticos e as mesmas aspirações de liberdade, prosperidade, solidariedade e paz", frisaram Barroso e Van Rompuy. "À medida que aproximamos nossos países, sociedades e economias, estamos criando mais possibilidades de fazer com que estes valores e aspirações sejam uma realidade para todos, seja em nível nacional ou internacional."
China
O presidente da China, Xi Jinping, também parabenizou a presidenta Dilma por sua reeleição, uma vitória que, na opinião dos chineses, trará grandes avanços para o Brasil e para a relação entre ambas as nações. Essa é opinião da porta-voz do Ministério de Relações Exteriores da China, Hua Chunying, que reiterou em entrevista coletiva a confiança do país asiático no governo de Dilma.
"Achamos que, sob sua liderança, o Brasil conseguirá grandes avanços em seu desenvolvimento nacional", disse Hua, que também destacou que o segundo mandato poderá impulsionar as relações entre os dois países.
A porta-voz chinesa lembrou que, durante os primeiros anos do atual governo, as relações registraram "um rápido crescimento" e destacou o encontro entre o presidente da China e Dilma em julho, quando Xi fez uma visita de Estado ao Brasil.
"Durante sua estadia, Xi manteve um encontro muito produtivo com a presidente. Eles trocaram opiniões sobre as relações e os assuntos de interesse comum, e se chegou a um consenso", ressaltou hoje Hua.
O Brasil é o principal destino dos investimentos chineses na América Latina.
Durante a primeira visita de Xi Jinping ao Brasil, ambos países assinaram um total de 54 acordos. Eles preevem parceiras em áreas como ferrovias, telecomunicações, hidrelétricas, transmissão de energia, fábricas de automóveis, plantas de máquinas de construção e computação na nuvem.
França
O governo da França cumprimentou Dilma e afirmou que espera trabalhar em estreita cooperação com o governo brasileiro para impulsionar a parceria estratégica entre os dois países em todos os âmbitos, segundo o Ministério das Relações Exteriores da França em comunicado.
O governo francês lembrou que a relação com o Brasil gira em torno de três prioridades: reforçar o diálogo político relativo ao clima, aumentar os vínculos comerciais e de investimento, e dinamizar a cooperação de intercâmbios universitários.
Índia
Na Índia, o primeiro-ministro, Narendra Modi, parabenizou Dilma com o desejo de que o segundo mandato signifique um reforço nas relações entre ambos os países. "Espero continuar o trabalho com Dilma Rousseff para fortalecer as relações entre Índia e Brasil nos próximos anos", disse Modi, em comunicado.
Brasil e a Índia assinaram em julho vários acordos para desenvolver projetos ambientais conjuntos, elevar a troca de imagens de seus satélites de vigilância terrestre, estabelecer consultas entre seus consulados e facilitar o trânsito de pessoas entre as duas nações.
As parcerias foram assinadas em Brasília durante a VI Cúpula dos Brics, fórum que ambos países integram junto à Rússia, China e África do Sul, após uma reunião de trabalho entre Dilma e Modi.
Brasil e a Índia mantêm desde 2006 uma associação estratégica com o objetivo de ampliar o comércio e os investimentos mútuos.
Em 2012, durante uma visita da presidente reeleita ao país asiático, foram fixadas como meta a elevação das relações comerciais para perto de 15 bilhões de dólares anuais.
Em dez anos (2003-2013), as transações já cresceram de US$ 1 bilhão para US$ 9,49 bilhões, o que transformou a Índia no 13º maior parceiro comercial do Brasil.

(Fonte: Rede Brasil Atual)