.

.

sábado, 2 de julho de 2016

Musa fitness morre após ficar 20 dias internada

 
 
Fernanda Guttila foi sepultada no Cemitério Quarta Parada, em São Paulo
A fisiculturista Fernanda Guttila, 31 anos, morreu em um hospital de São Paulo depois de ficar 20 dias internada com tromboembolismo pulmonar. A atleta já foi campeã paulista, brasileira e também do Arnold Classic Brasil.

O tromboembolismo pulmonar, ou embolia pulmonar, ocorre quando um coágulo localizado em uma das veias das pernas ou da pelve se solta, viaja pelo organismo e se aloja em uma das artérias do pulmão, o que acaba atrapalhando o fluxo de sangue.

Dependendo do tamanho do coágulo, a embolia pulmonar pode causar até mesmo morte súbita.

Internada neste quadro, que é considerado grave, Fernanda acabou contraindo pneumonia durante o período em que ficou no hospital, e morreu após uma parada cardíaca.

Fernanda foi velada e sepultada no Cemitério Quarta Parada, na Zona Leste de São Paulo.

Redes sociais
Através de suas redes sociais, Fernanda chegou a comentar sobre sua saúde, e pediu orações a seus seguidores.
 
"Sei que vocês gostam de acompanhar a evolução dos atletas e sua rotina, por isso direi aqui a minha situação. Estou muito triste, tive pneumonia e ainda estou sofrendo as consequências, muita tosse, falta de ar, dor de cabeça. Estou há vários dias sem treinar, indo direto ao hospital, tentando manter o máximo possível da dieta e descansar. Vou competir em julho, estando bem ou não. Não sei até onde meu físico será prejudicado pela falta de treino, provavelmente estou em processo catabolico além de não ter quase nenhum gasto calórico dificultando meu cutting. Que fase! Justo no meu PRO Debut. Mas, enfim, tenho que cuidar da minha saúde agora, que isso é o mais importante. Rezem por mim, para desaparecer essa zica", escreveu a fisiculturista há cerca de três semanas em seu perfil no Instagram. 
Também pelo Instagram, o namorado de Fernanda, o atleta Vinícius Piffardini, comentou a morte da fisiculturista e fez uma homenagem à sua companheira.

“Essas são as imagens que ficarão marcadas. Não hospitais, não sofrimento. Mas sim o que ela sempre foi: campeã. Fer, suas conquistas nunca serão esquecidas, sobretudo, a pessoa que você foi: amorosa, companheira, honesta, determinada, guerreira! No que depender de mim sua memória nunca se apagará. Descanse em paz”, escreveu Piffardini.


Você viu?

Nenhum comentário:

Postar um comentário