.

.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Presidente da Chapecoense oficializa os primeiros 4 reforços para 2017

Plínio David De Nes Filho fala pela primeira vez sobre acordos com goleiro Elias, zagueiro Grolli, meia Dodô e atacante Rossi

Dodô
Pertencente ao Atlético, Dodô já havia tido empréstimo oficializado pelo clube
Em reconstrução após o trágico acidente aéreo que matou boa parte de seu elenco, a Chapecoense aproveitou os últimos dias para dar os primeiros passos em negociações por jogadores. E nesta sexta-feira, o presidente do clube, Plínio David De Nes Filho, confirmou os quatro primeiros contratados para o ano que vem: o goleiro Elias, do Juventude, o zagueiro Douglas Grolli, do Cruzeiro, o meia Dodô, do Atlético-MG, e o atacante Rossi, do Goiás.
Destas, a negociação de Grolli já havia sido confirmada pelo Cruzeiro, assim como a de Dodô, pelo Atlético-MG. O atacante Rossi, por sua vez, anunciou nas redes sociais que defenderia a Chapecoense, enquanto o acordo de Elias já estava encaminhado. Esta sexta, no entanto, marcou a primeira vez que o presidente falou sobre o assunto.
"Nosso time será de jogadores valentes, guerreiros. Ainda mais agora que temos que homenagear aqueles que nos deixaram, e só podemos honrá-los com o trabalho. A formação do novo elenco também trará muitas alegrias, sem nunca, em nenhum momento, esquecermos daqueles bravos guerreiros que nos trouxeram onde estamos hoje", disse Plínio.
A tendência é que a Chapecoense ainda confirme outros nomes nos próximos dias. O volante Moisés, do Grêmio, estaria próximo de um acerto, assim como o atacante Wellington Paulista, que estava na Ponte Preta mas pertence ao Fluminense. Plínio, no entanto, descartou a contratação do goleiro Douglas, que pertence ao Corinthians e estava emprestado ao Grêmio.
Ainda na coletiva desta sexta, Plínio fez questão de agradecer a solidariedade de algumas empresas: a Netshoes, que realizou uma ação para venda de camisas da Chapecoense e repassou R$ 1 milhão ao clube, a Volkswagen, que doou um ônibus, e a Renault De Marco, que deu uma ambulância ao time catarinense.
Outro ponto elogiado pelo dirigente foi a iniciativa das torcidas organizadas do clube, que deixaram de lado qualquer rivalidade entre elas e prometeram estar unidas nas partidas da equipe. "São todos Chape. É um gesto com grande significado. E que sirva de exemplo para todo Brasil, para que tenhamos paz entre as torcidas."

Nenhum comentário:

Postar um comentário