.

.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Guilherme minimiza desmanche no Timão: "Não dá para se escorar nisso"

Dono de opiniões incisivas e normalmente pouco ortodoxo nas suas avaliações, o meia Guilherme voltou a ir na contramão de tudo que foi falado no Corinthians durante a atual temporada. Nesta segunda-feira, após a reapresentação do elenco no CT Joaquim Grava, o armador minimizou a importância do desmanche sofrido pelo elenco e das diversas trocas no comando no desempenho apresentado pelo equipe. 
Dono de opiniões incisivas e normalmente pouco ortodoxo nas suas avaliações, o meia Guilherme voltou a ir na contramão de tudo que foi falado no Corinthians durante a atual temporada. Nesta segunda-feira, após a reapresentação do elenco no CT Joaquim Grava, o armador minimizou a importância do desmanche sofrido pelo elenco e das diversas trocas no comando no desempenho apresentado pelo equipe.
"É claro que atrapalham as mudanças, se iniciou com Cristóvão, depois veio Oswaldo. Esse ano pagamos o preço das mudanças, mas eu ainda vejo a nossa qualidade, sabemos da qualidade de cada um e sabemos que poderíamos estar um pouco acima na tabela. Não dá para se escorar só nisso", disse o camisa 10, uma das principais contratações no ano, que não vê o Timão como um elenco para estar apenas na sétima posição.
"Pelo investimento que foi feito, poderíamos estar acima, não tem como pensar diferente. Talvez pelas mudanças que ocorreram durante o ano tenhamos aceitado esse discurso mais facilmente. Posso dizer também que em outro clube poderíamos estar ainda pior. Temos outra ficha para jogar contra o Cruzeiro, mas o importante é analisar tudo que foi feito de bom para aplicar no ano que vem", observou.
Provável titular para a partida de domingo, contra o Cruzeiro, no Mineirão, a última da equipe no Campeonato Brasileiro e na temporada, Guilherme assegurou não estar aliviado por terminar o ano nesta condição. Oscilando entre titular e reserva, ele afirmou que esperava muito mais da sua estreia pelo Corinthians.
"Não estou aliviado, não. Teve tantos jogos que a gente teve na mão tanto dentro quanto fora de casa e não ganhou. Claro que muitos podem reclamar disso, mas é complicado. O que posso dizer é que não estou aliviado, não. Sou um vencedor, vim para um clube vencedor e tenho companheiros vencedores, não era para ficar assim", apontou ele, com opinião compartilhada pelo companheiro Marlone.
"Toda mudança traz um desgaste. Reconhecemos que oscilamos devido a tudo isso, essas mudanças, vem um treinador com uma visão, outro com outra. Às vezes acaba tendo um estilo diferente de jogar. Tudo isso influencia no nosso desempenho. Mas todos sabemos que poderíamos ganhar, realmente sair com a vitória quando tivemos essa condição, mas deixamos muito a desejar", concluiu o avante, outro que terminará a temporada como titular na busca por um posto na Libertadores de 2017.
Com 55 pontos conquistados, o Alvinegro está um ponto atrás de Botafogo e Atlético-PR, sexto e quinto colocados, respectivamente. Para conseguir atuar no torneio continental, a equipe precisa vencer o Cruzeiro, no dia 11 de dezembro, no Mineirão, e torcer para que um dos dois adversários não vença as suas respectivas partidas. No mesmo dia, o Fogão visita o Grêmio e o Furacão recebe o Flamengo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário