.

.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Corinthinas Campeão da Copa São Paulo Futebol Junior 2017

Com emoção até o fim, Corinthians vence Batatais e leva 10º título

Pacaembu com 33 mil pessoas viu o Timão ampliar a hegemonia na Copa São Paulo de Futebol Júnior

corinthians
Corinthians sofreu para se impor diante do Batatais, mas conseguiu o título
O jogo acabou sendo até mais complicado do que muita gente esperava. Com pressão do início ao fim, mas gols só nos minutos finais, o Corinthians comprovou o favoritismo e derrotou o Batatais por 2 a 1, nesta quarta-feira à tarde, no Pacaembu, conquistando pela 10ª vez a Copa São Paulo de Futebol Júnior, diante de mais de 33 mil torcedores presentes. O primeiro gol saiu só aos 39 minutos do segundo tempo, com o artilheiro da competição, Carlinhos, autor de 11 bolas na rede.
Sob os olhares do técnico Fábio Carille e do gerente de futebol do clube, Alessandro Nunes, os meninos corintianos tiveram boa atuação, mas tiveram que encarar um adversário complicado, que, mesmo entrando em campo claramente para segurar o adversário, teve brio e conseguiu se segurar até os minutos finais.
O primeiro tempo foi de pressão total do Corinthians, que por alguns momentos até acabou se expondo demais pela ânsia em abrir o placar e acabou dando espaço para o Batatais chegar. A equipe alvinegra iniciou com ritmo intenso e explorando as jogadas pela esquerda, com Luisinho, substituto de Guilherme Romão, suspenso para a decisão.
Mas, desde o início, o Corinthians sofreu com a falta de calma para finalizar. A primeira grande chance ocorreu aos 19 minutos, quando Fabrício Oya cobrou falta com muita categoria e mandou a bola muito perto do ângulo do goleiro Gerson. O meia, inclusive, foi o destaque na primeira etapa, com rápida movimentação e arriscando chutes das mais variadas distâncias.
Animado com a proximidade do primeiro gol, que teimava em não sair, a equipe alvinegra cedeu espaço e quase o Batatais marcou. Aos 25, Igor aproveitou a liberdade que tinha e cruzou da esquerda para Thales, que apareceu sozinho na frente do goleiro Filipe, mas chutou por cima do gol.
Essa, inclusive, foi a única grande chance da equipe interiorana na primeira parte do jogo. Depois, só deu Corinthians. Oya, Carlinhos e Marquinhos tiveram novas oportunidades e novamente não foram felizes na finalização. Em uma das tentativas, Oya chutou cheio de efeito de fora da área e Gérson saltou para fazer uma bela defesa, em uma jogada bem muito dos dois atletas.
Antes de acabar a primeira etapa, o zagueiro Thiago tentou fazer aquilo que os atacantes e meias não estavam conseguindo. Aos 44, ele desviou cobrança de escanteio de Pedrinho e acertou a trave. Mais uma vez, ficou no quase. Pedrinho, inclusive, chegou na decisão como um dos principais jogadores do Corinthians, mas não repetiu as boas atuações.
Na etapa final, a pressão foi ainda maior. O Batatais não conseguia trocar dois passes e via como única solução para afastar a bola, dar fortes chutes para frente, na esperança de um jogador de vermelho conseguir ficar com a bola. Já o Corinthians continuou a pressão e Pedrinho, que estava sumido na primeira etapa, "acordou" e passou a ajudar Carlinhos e Fabrício Oya na tentativa de superar a retranca do time interiorano.
E lá foi o Corinthians, repetindo o roteiro durante toda a partida. Muito ataque, nervosismo na finalização e o zero do placar persistia. O Batatais, por sua vez, seguia claramente jogando na defesa e tentava gastar o tempo para levar a decisão para os pênaltis. Aos 34, quando o time alvinegro vivia seu melhor momento e o clube do interior demonstrava cansaço, o jogo teve de ser paralisado porque torcedores acenderam sinalizadores nas arquibancadas.
Após quatro minutos de paralisação, os sinalizadores parecem ter "dado uma luz" para o caminho do gol. Aos 39, Pedrinho cruzou a bola na cabeça de Carlinhos, que saltou e, livre, desviou de cabeça para, finalmente, colocar o Corinthians na frente. A torcida começava a entoar o cântico de "É campeão" quando a dupla inverteu as funções. Aos 42, Carlinhos foi quem deu assistência para Pedrinho chutar, a bola ainda desviar no goleiro e morrer dentro do gol: 2 a 0.
E a festa começou no Pacaembu. Mas, antes de acabar o jogo e o título ser assegurado, o Corinthians ainda levou um susto. Aos 44, Douglas Pote recebeu lançamento nas costas da zaga, viu o goleiro Filipe adiantado e bateu por cima, encobrindo-o e fazendo um belo gol. Foi só para dar ainda mais emoção aos corintianos, que puderam comemorar o 10º título da Copa São Paulo.
Maior vencedor da competição, o Corinthians também foi campeão da Copinha em 1969, 1970, 1995, 1999, 2004, 2005, 2009, 2012 e 2015, sendo que foi finalista das últimas quatro edições do torneio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário