.

.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Confirmado Pelo SIFEMA, Mais duas Siderurgicas Deixarão de Operar em Fevereido de 2017 em Açailândia-MA

A Matéria foi publicada hoje 19, pelo jornal O ESTADO DO MARANHÃO, o Presidente do Sindicato do Ferro do Estado do Maranhão - SIFEMA Dr. Claudio Azevedo, afirma que as operações industriais das Siderúrgicas Pindaré e Guarany ambas do Grupo QUEIROZ GALVÃO JÁ TEM DATA MARCADA PARA SEU FECHAMENTO, segundo o Sindicato Patronal as Siderurgicas encerrarão suas atividades até o fim de fevereiro do corrente ano.
O GRUPO QUEIROZ GALVÃO encerrará suas atividades depois de vender para A Suzano Papel e Celulose ativos florestais e imobiliários da Companhia Siderúrgica equivalente a US$ 245 milhões.
São 75 mil hectares de imóveis nos Estados do Maranhão e de Tocantins, dos quais 40 mil agricultáveis e as florestas plantadas nelas.
Isso deixara mais de 1.500 (mil e quinhentos) país de famílias desempregados, com isso outros setores econômicos serão afetados.



 Antonio Brito/STIMA - Sen. João Alberto/Ver. Jarlis Adelino




Ver. Jarlis Adelino/ Dep. João Marcelo/Antonio Brito STIMA














O Vereador Jarlis Adelino (PMN) esteve recentemente em Brasília-DF, acompanhado do presidente do STIMA Brito, solicitando apoio político de deputados e senadores para que auxiliem com intervenções comerciais o polo siderúrgico de Açailândia, há tentativa de salvar a indústria siderúrgica seria o arrendamento das usinas a empreendedores já existente no ramo que tenham florestas plantadas para que possam alimentar a produção das siderúrgicas com carvão de reflorestamento, já que a paralisação das atividades produtivas das duas siderúrgicas deixará o mercado guseiro com saúdo produtivo negativo, tendo possibilidade de investimentos para sanar a lacuna deixada pela paralisação das mesmas.
O Prefeito Juscelino Oliveira, já esteve reunido com diretores e investidores que podem ser os futuros arrendatários das siderúrgicas do GRUPO QUEIROZ GALVÃO, o futuro é incerto, mais varias frentes de lutas surgem em Açailândia para tentar contornar essa nova realidade.
O Vereador Jarlis Adelino (PMN) vem junto com o STIMA tentando promover uma audiência com os Ministérios do Trabalho e Emprego e o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Ministério da Fazenda, juntamente com os Sindicatos Profissional e Patronal entre outras Entidades da Sociedade Civil Organizada o mais rápido possível.


Fonte: Acessória Ver. Jarlis Adelino

Nenhum comentário:

Postar um comentário