.

.

terça-feira, 2 de agosto de 2016

Crise! Volkswagen para de novo por falta de peças

Montadora contabiliza 100 dias perdidos por falhas do Grupo Prevent


VW de Taubaté também foi afetada. Lá são montados Up!, Gol e Voyage
A produção das três fábricas de automóveis da Volkswagen volta a ser prejudicada em consequência da falta de peças. Desta vez, em vez de estruturas para bancos, os itens responsáveis por interrupções desde a metade de julho vem sendo chapas estampadas de carroceria fornecidas pela Fameq. A companhia foi adquirida recentemente pelo Grupo Prevent, o mesmo que detém a marca Keiper e que provocou paralisações anteriores na VW, em maio, junho e julho.

Em sua conta, a Volkswagen informa 100 dias de paralisações desde março de 2015 no somatório das três fábricas e 90 mil carros não produzidos como consequência. A VW alega que levou por mais de 40 anos um relacionamento comercial sem problemas com a Fameq e garante que a empresa teve sua atuação alterada depois de adquirida pelo Grupo Prevent.

“A Fameq interrompeu as entregas em meados de julho, que deveriam atender a área de armação de carrocerias nas três fábricas (...) Diante da paralisação na fabricação de carrocerias, a Volkswagen se viu obrigada a suspender diversos turnos de produção em suas fábricas desde o dia 15/7”, informa parte de uma extensa nota divulgada pela montadora na segunda-feira, 1º de agosto.

“O grupo multinacional Prevent, proprietário de dezenas empresas em diversos setores pelo mundo, tem descumprido contratos com a Volkswagen do Brasil e reiteradamente faz solicitações de aumento de preços, pagamento injustificado de valores (sem respaldo contratual ou econômico). O grupo tem-se mostrado inflexível, elencando uma série de condições que nada tem a ver com o contrato atual para a continuidade do fornecimento, incluindo exclusividade para os próximos projetos. A problemática nos fez recorrer à Justiça, já que o Grupo Prevent continua a gerar problemas para a Volkswagen do Brasil, seus funcionários e toda a sua cadeia de fornecedores”, informa a montadora de automóveis.

De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba, a produção da VW de São José dos Pinhais (PR) foi interrompida na quarta-feira, 27 de julho, e voltará no dia 8 de agosto. A montagem dos Audi A3 sedã e Q3 ocorre nesta mesma unidade e também está parada, mas por causa do Programa de Proteção ao Emprego (PPE). Será retomada igualmente no dia 8.

Em Taubaté (SP) e São Bernardo do Campo (SP) a produção estava parada na tarde da segunda-feira, 1º, e a Volkswagen não dá previsão de retorno.

Procurado, o Grupo Prevent não quis se pronunciar a respeito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário