.

.

terça-feira, 1 de novembro de 2016

O Senador João Alberto Recebe o Vereador Jarlis Adelino e Antonio Brito no Senado Federal.



Caso SUZANO x QUEIROZ GALVÃO.
 Antonio Brito/STIMA - Sen. João Alberto/Ver. Jarlis Adelino
O Vereador Jarlis Adelino (PMN), esteve na manhã dessa terça-feira 01, acompanhado do presidente do STIMA Antonio Brito no Congresso Nacional, onde participaram de reunião com o Deputado Federal João Marcelo (MA) e com o Senador João Alberto, na oportunidade o Vereador relatou a situação do futuro dos trabalhadores metalúrgicos e de todos os outros trabalhadores secundários envolvidos com o setor industrial do polo siderúrgico de Açailândia-MA.
Os parlamentares se demonstraram preocupados e manifestaram-se solidários aos trabalhadores e ao setor, o Senador João Alberto disse que irá se reunir com o presidente do SIFEMA Dr. Cláudio Azevedo para saber a real situação que se encontra essa transação econômica entre as empresas: QUEIROS GALVÃO e SUZANO PAPEL E CELULOSE.
O vereador Jarlis Adelino informou aos parlamentares à gravidade do impacto social que irá acontecer na Região do Sul do Maranhão com venda dos ativos florestais e imobiliários da COMPANHIA SIDERÚRGICA VALE DO PINDARÉ para a Empresa SUZANO PAPEL E CELULOSE, sabemos que a SUZANO utilizará a madeira na produção de celulose, os Altos Fornos Siderúrgicos e as Carvoarias serão afetados de forma direta, com demissões em massa, serão cerca de 1.200 empregos extintos no município e região. O impacto social pode ser irreversível para a região, o fechamento da Siderúrgica Vale do Pindaré vai acarretar o efeito dominó com fechamento de varias outras empresas, principalmente prestadores de serviços que empregam grande parte dos trabalhadores local. Açailândia poderá se tornar uma cidade fantasma sem uma expectativa de investimento no setor siderúrgico, essa venda traz para o setor diversas dificuldades inclusive para as siderúrgicas que estão em operação em vários setores como: Logística Internacional e na Logística produtiva local, podendo afetar ainda o projeto da Aciaria Gusa Nordeste que está em atividade inicial.
Ver. Jarlis Adelino/ Dep. João Marcelo/Antonio Brito STIMA

A Ideia inicial é promover uma audiência com os Ministérios do Trabalho e Emprego e o Ministério da Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, os Sindicatos Profissional e Patronal entre outras Entidades da Sociedade Civil Organizada o mais rápido possível.

Saímos de Brasília, cientes que fizemos o que estava ao nosso alcance, agora voltaremos para o município de Açailândia para se organizar junto a entidades da sociedade civil organizada, que estão preocupadas na defesa dos postos de trabalho, já temos reunião marcada com varias lideranças e políticos da região na Associação Comercial de Açailândia que irá acontecer na próxima quinta-feira na sede da Entidade, disse Antonio Brito presidente do STIMA.

Fonte: Assessoria Vereador Jarlis Adelino

Nenhum comentário:

Postar um comentário