.

.

terça-feira, 8 de maio de 2018

Vereador Jarlis Adelino Fala Siderurgia de Açailândia Ativa “ ATÉ QUANDO?”



Há 10 anos o setor siderúrgico de Açailândia vem passando por serias dificuldades, desde 2008 o setor siderúrgico nunca mais foi o mesmo, redução considerável de produção e mão de obra, demissões em massa marcaram os últimos 10 anos do setor siderúrgico no município.

Fechamentos de siderúrgicas como a FERGUMAR SIMASA e PINDARÉ mudaram o cenário da empregabilidade em Açailândia.

No inicio dos anos 2000 Açailândia se destacava sendo uma das 20 melhores cidades para investimentos industriais no Brasil, poucos anos depois a realidade que se encontra o município é totalmente diferente, nunca na historia se viu tantos desempregados como se vê hoje.
O setor Siderúrgico até o ano de 2007 empregava de forma direta cerca de 06 mil trabalhadores, gerando mais de 20 mil empregos de forma indireta, distribuídos por prestadores de serviços e empresas secundarias.

Em 2018 apenas duas siderúrgicas estão em atividades com sua capacidade de produção reduzida, (VIENA E GUSA) pouco mais de 02 mil trabalhadores estão empregados de forma direta gerando-se apenas cerca de 05 mil empregos de forma indireta.

Essa nova realidade afeta diretamente toda economia do município, facilmente percebido pelo comercio local.

A situação só não está pior no setor siderúrgico devido forte investimentos realizados pelas siderúrgicas: Gusa Nordeste e Viena Siderúrgica, que ainda permanecem em atividade.



Investimentos que proporcionaram a competitividade das indústrias no mercado mundial e nacional, investimentos em novas tecnologias como: Plantio de Florestas, Geração de Energia Elétrica, Injeção de Fino de Carvão vegetal, reaproveitamento de finos de minério entre outros investimentos que contribuem na qualidade e preço final do ferro gusa.

Na contra mão da crise em Açailândia o GRUPO FERROESTE vem realizando grandes investimentos no setor siderúrgico através da GUSA NORDESTE, esses investimentos podem resgatar o setor siderúrgico e colocar novamente o setor em um patamar ainda melhor que 2007.

A Gusa Nordeste apostou em um novo conceito, passando de produtor de ferro gusa para produtor de Aço Laminado AVB Aço Verde do Brasil, com capacidade de 600 mil toneladas ano de aço laminados produzidos como chapas e vergalhões entre outras oportunidades produtivas que AVB pode produzir em sua planta industrial.

Novas oportunidades e geração de empregos foram criadas já na primeira etapa do projeto ACIARIA AVB – AÇO VERDE DO BRASIL, o mesmo está produzindo tarugos de aço, cerca de 700 trabalhadores estão em plena atividade laboral com expectativa de dobrar essa quantidade de mão de obra com a conclusão da segunda etapa da obra  do projeto AVB que é o principal setor da Aciaria, o setor de laminação, que está previsto para ser inaugurado no inicio de 2019. O setor Siderúrgico de Açailândia passará agrega valor em seu aço produzido, sinônimo de maior arrecardação para o municipio.

Açailândia historicamente sempre foi desde o inicio de sua historia um município industrializado, há AVB juntamente com as Siderúrgicas Viena e Gusa Nordeste tem um papel fundamental na continuação desta historia e porque também não falar na CVB – Cimento Verde do Brasil (o Cimento Açaí) que também gera centenas de empregos de forma direta e indireta.
Genuinamente açailândense 
Cabe ao poder político do Maranhão, Estadual e Municipal contribuir com a manutenção desses investimentos, garantir a permanência dos trabalhadores que estão empregados ativamente e fomentar novos postos de trabalho ampliando novos setores produtivos e comerciais com parcerias publicas e privadas.

Temos que rever a nossa carga tributaria oferecer condições de logística para escoação de produção em escala industrial, seja ela no campo ou na cidade, temos que oferecer condições diferenciadas para que possamos atrair novos investimentos para o município de Açailândia, não podemos achar que já temos o bastante, estamos longe do ideal, mas sabemos como fazer para atrair novos investimentos, ofertando oportunidades de negócios sem burocracia, sem demagogia, e principalmente sem oportunismo político.
Estamos perdendo investimentos na área privada há muitos anos, Açailândia não aguenta mais, “VAMOS MUDAR AS POLITICAS PUBLICAS E TRIBUTARIAS” ou continuaremos COM ESSE ALTO INDICE DE DESEMPREGO no município.

Por: Vereador Jarlis Adelino.(PMN)

Nenhum comentário:

Postar um comentário