.

.

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Ministério Público do Uruguai quer ouvir depoimento de Felipe Melo por briga

A promotora Gabriela Fossati, do Ministério Público do Uruguai, solicitou à Justiça local que o volante Felipe Melo, do Palmeiras, seja detido (caso volte ao país) para prestar esclarecimentos sobre a briga generalizada com jogadores do Peñarol após a partida da última quarta-feira, pela Taça Libertadores da América. Também nesta sexta-feira, a Conmebol suspendeu provisoriamente o jogador por três partidas até que o caso seja julgado pelo Comitê de Disciplina da entidade.
No documento em que pede a detenção de Felipe Melo para depoimento, Fossati lamenta não ter sido colocada a par dos acontecimentos enquanto a delegação do Palmeiras ainda estava em solo uruguaio. A promotora, no caso, só teve a oportunidade de ouvir as versões dos jogadores do Peñarol envolvidos na confusão. E todos eles, segundo o documento, disseram que a confusão começou depois de provocação do jogador do time brasileiro.
Nahitán Nández, Matías Mier e Lucas Hernández foram os jogadores do Peñarol que, assim como o volante, foram suspensos provisoriamente pela Conmebol.
À Justiça uruguaia, no entanto, a promotora Gabriela Fossati pede um rigor maior. Ela sugere no documento que esse três jogadores sejam suspensos preventivamente por dois meses de qualquer evento esportivo ligado ao futebol.
Nesta primeira fase da Libertadores, o Palmeiras não tem mais nenhuma viagem ao Uruguai. O time, sem o suspenso Felipe Melo, vai a Cochabamba, na Bolívia, para encarar o Jorge Wilstermann, quarta-feira, pela penúltima rodada da fase de grupos. O Verdão está a um empate da classificação às oitavas de final.
Felipe Melo dá soco em Matias Mier na briga de Peñarol x Palmeiras (Foto: REUTERS/Andres Stapff)
  Felipe Melo dá soco em Matias Mier na briga de Peñarol x Palmeiras (Foto: REUTERS/Andres Stapff)

Nenhum comentário:

Postar um comentário