.

.

quinta-feira, 6 de abril de 2017

Deputados estaduais repudiam declarações de Bolsonaro sobre índios e quilombolas



Deputados estaduais de Mato Grosso do Sul utilizaram a tribuna nesta quinta-feira (06) para repudiar as declarações do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) contra índios e quilombolas. "Não servem nem para procriar", disse Bolsonaro durante palestra no clube Hebraica, no Rio de Janeiro (RJ) no início da semana.
Amarildo Cruz (PT) repudiou as declarações que considerou desrespeitosas e preconceituosas contra os grupos marginalizados devido aos aspectos econômicos, sociais, culturais, físicos ou religiosos.
Amarildo considerou assustador o crescimento de jovens que apoiam o político. “Estamos preocupados com esses movimentos que ganham força com a exacerbação de iniciativas conservadoras na sociedade. Devemos ficar atentos, pois isso é retrogrado para o Brasil”, afirmou.
Outro petista, Pedro Kemp, também repudiou as promessas de Bolsonaro em acabar com reservas indígenas e comunidades quilombolas do País caso seja eleito presidente.
Segundo o deputado, em tempo de crise, algumas figuras procuram se destacar como o ‘Salvador da Pátria’. Já o deputado Coronel David, correligionário de Bolsonaro, acredita que o deputado federal tem se projetado em decorrência da derrocada da economia brasileira.
Líder do PT na Casa de Leis, João Grandão também registrou falou na tribuna. “Trata-se de uma concepção ideológica oportunista. Lamentável este tipo de pensamento em um País que a maioria da população é negra. A juventude precisa estudar história e compreender a importância dos índios e quilombolas para o País. Os jovens precisam tomar conhecimento sobre o processo histórico para consolidar a Democracia”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário