.

.

domingo, 9 de abril de 2017

Ministério deve habilitar processo de transexualização em três Estados

Apenas cinco hospitais em todo o Brasil são autorizados a fazer cirurgias de redesignação sexual. Os hospitais são ligados a universidades e ficam nos Estados do Rio de Janeiro, de São Paulo, Pernambuco, Goiás e do Rio Grande do Sul.
O Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) é uma das cinco unidades habilitadas pelo Ministério da Saúde para realização de cirurgia de redesignação sexual
O Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) é uma das cinco unidades habilitadas pelo Ministério da Saúde para realização de cirurgia de redesignação sexual
Foto: Agência Brasil
Além destes, mais quatro unidades podem dar início ao processo de transexualização que inclui a terapia hormonal e o acompanhamento multidisciplinar e já estão habilitados pelo Ministério da Saúde: o Hospital das Clínicas de Uberlândia (MG); Instituto Estadual de Diabetes e Endocrinologia do Rio de Janeiro; Centro de Referência e Treinamento DST/AIDS de São Paulo e o CRE Metropolitano, de Curitiba.
O Ministério da Saúde informou, em nota, que hospitais nos Estados do Espírito Santo, da Bahia e da Paraíba estão em fase de habilitação para oferecer o procedimento de transexualização, mas não mencionou se a cirurgia será oferecida.
No ambulatório do Hospital Universitário Professor Edgard Santos (Hupes), da Universidade Federal da Bahia (UFBA), por exemplo, o serviço aguarda a habilitação do Ministério da Saúde para funcionar, mas, segundo a assessoria de comunicação da unidade, os procedimentos cirúrgicos não estão entre os serviços a serem disponibilizados.
Procura
Embora exista grande procura pelo procedimento de mudança de sexo, as transformações estéticas começam pela terapia hormonal. O ginecologista do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) José Carlos de Lima destaca que boa parte das pessoas trans atendidas por ele começam esse processo por conta própria, sem orientação médica adequada.
O ginecologista José Carlos de Lima alerta para a necessidade de orientação médica adequada para início do processo de transexualização
O ginecologista José Carlos de Lima alerta para a necessidade de orientação médica adequada para início do processo de transexualização
Foto: Agência Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário