.

.

quarta-feira, 27 de junho de 2018

Rio de Janeiro: Vereadores aprovam projeto para taxar servidores inativos do município

A Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro aprovou na noite desta terça-feira (26), por 28 votos a 20, o projeto de lei para taxar em 11% os servidores do município inativos que ganhem acima de R$ 5.645, quantia que representa o teto da previdência.
Atualmente, estão nessas condições cerca de 8,7 mil aposentados e pensionistas.
Durante todo o dia os ânimos estiveram exaltados dentro e fora do Palácio Pedro Ernesto, na Cinelândia, Centro do Rio. Enquanto os vereadores discutiam o projeto em plenário, nas imediações do palácio os manifestantes contrários à proposta e policiais militares entraram em confronto.
A confusão começou no início da tarde e teve dois momentos mais acirrados. Da segunda vez, uma professora de teatro do município e dois militares acabaram feridos. A docente, identificada como Maira, foi ferida no rosto e precisou ser levada para o Hospital Souza Aguiar, também no Centro.
Os policiais feridos foram acertados com pedras e também precisaram ser socorridos ao Hospital Central da PM, no Estácio. A corporação informou que uma mulher foi detida carregando pedras portuguesas e conduzida para a 5ª DP (Gomes Freire). 

Crivella convoca base

Ainda nesta segunda, o prefeito Marcelo Crivella se reuniu com sua base parlamentar para pedir empenho na votação.
Vereadores da oposição passaram a tarde aguardando o chefe da Casa Civil, Paulo Messina, para discutir as emendas, como combinado. Mas Messina não apareceu. Além disso, os parlamentares passaram o fim de semana estudando formas de capitalizar o Funprevi.
A vereadora Teresa Bergher (PSDB) apresentou emenda ao PL 855 - o projeto das medidas estruturantes do fundo - para que a receita do imposto de renda dos servidores da prefeitura seja investida no fundo.
"Esta receita já é do município, é retida, não vai para o Tesouro Federal. Já fica com o município. Ajudaria muito a tirar o Funprevi do fundo do poço", explicou a vereadora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário