.

.

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Jogadores são dispensados de time gaúcho após masturbação no vestiário

Dirigente do Gaúcho, de Passo Fundo, deixou claro que a decisão de romper com o contrato dos atletas não possui nenhum caráter homofóbico

Gaúcho
Clube de Passo Fundo optou pela saída dos atletas após reunião nessa terça-feira
PUBLICADO EM 05/07/17 - 11h55
Os jogadores que aparecem se masturbando no vestiário do Gaúcho, equipe de Passo Fundo, em um vídeo que ganhou as redes sociais nessa terça-feira, foram dispensados e não integram mais o plantel do clube. Eles acertaram sua saída de forma amigável com o presidente Gilmar Rosso.
Os atletas não tiveram seus nomes divulgados e optaram por se reunir com os dirigentes para rescindir o contrato.
"Comentei com eles que daria um conselho de pai de dois jovens que sou: se afastar por um tempo e esperar a poeira baixar. Eles poderiam acabar estragando a carreira se seguissem jogando agora. E isso é ruim para nós. Já temos um grupo limitado, mas não poderia colocar o clube acima da questão humana", explicou o presidente Gilmar Rosso em entrevista ao jornal Zero Hora.
O dirigente deixou claro que a decisão de romper com o contrato dos atletas não possui nenhum caráter homofóbico.
"O Gaúcho teve uma das primeiras torcidas homossexuais do Interior. Tivemos a nossa Coligay em 1980, quase 40 anos. Não temos qualquer preconceito, não somos guardiões de moral e não temos poder de polícia para monitorar o que jogadores fazem nas folgas. O que houve foi um ato de indisciplina. Desde o início da temporada, todos sabiam que não poderiam envolver o Gaúcho em imagens e vídeos sem autorização da direção. Se o vídeo tivesse caráter heterossexual, a mesma providência seria tomada", completou Gilmar.
O vídeo mostra quatro atletas do Gaúcho no vestiário. Enquanto três estão no chuveiro, um está ajoelhado masturbando os companheiros. O Juventude, clube com escudo similar ao Gaúcho, teve que divulgar uma notas nas redes sociais uma nota desmentindo as informações de que as imagens em questão teriam sido registradas dentro do clube. "Coé rapaziada! No Verdão não existe preconceito, porém vale lembrar: o vídeo que estão comentando não tem relação alguma com nossos atletas".

Nenhum comentário:

Postar um comentário